Coordenadores de Cursos de Economia se reúnem em Porto Alegre

 encontro dos cursos


Coordenadores de Cursos de Ciências Econômicas das universidades do Rio Grande do Sul reuniram-se, na última sexta-feira, dia 5, na sede do Corecon-RS, em Porto Alegre. O objetivo do encontro foi a troca de experiências entre o Conselho e as instituições, e a promoção de ações conjuntas visando o aprimoramento e a qualificação profissional do economista. Na oportunidade, também foi apresentada uma análise da conjuntura econômica regional e suas perspectivas e discutidos temas, como Corecon Acadêmico, Dia do Economista, Gincana dos Cursos de Ciências Econômicas, entre outros.

encontro dos cursos 1A reunião foi coordenada pelo presidente do Corecon-RS, economista Clovis Meurer, e contou com a participação dos professores Cláudia Katherine Rodrigues (Fadergs), Ely José de Mattos (PUCRS), Thales Viegas (UFSM/Palmeira das Missões), Marcel Jaroski Barbosa (Ulbra), Judite Sanson de Bem (Unilasalle). Também participaram do encontro o vice-presidente do Corecon-RS, economista Rogério Tolfo, os conselheiros Aristóteles Galvão, Bruno Breyer Caldas, Guilherme Stein, o ex-conselheiro Alfredo Meneghetti Neto, e o conselheiro federal Henri Bejzman.

“Mitos e verdades da Previdência” é o tema do Economia em Pauta

darcy3felippe

- Com o economista Darcy Carvalho dos Santos
e o jornalista Felippe Hermes -

“Mitos e verdades da Previdência” é o tema da próxima edição do Economia em Pauta, que acontecerá no dia 16 de maio próximo (terça-feira), às 18h30min, no Hotel Plaza São Rafael (Av. Alberto Bins, 514), numa promoção do Conselho Regional de Economia do RS (Corecon-RS). Os palestrantes serão o economista Darcy Francisco Carvalho dos Santos (Especialista em finanças públicas, conselheiro do Corecon-RS), e o jornalista Felippe Hermes (Jornalista e co-fundador do blog spotniks.com).

Será fornecido um certificado de 2 horas complementares aos estudantes que participarem do evento.

No final do evento, será servido um coquetel aos presentes, com a cortesia da Água Mineral Sarandi, Vinícola Laurentia, Car House e Hotel Plaza São Rafael.

Entrada gratuita!

Informações e reservas pelo fone (51) 3254.2608 ou pelo e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Prêmio ABDE-BID de Artigos 2017 com inscrições abertas até 24 de julho

 

Em sua quarta edição, o Prêmio visa estimular a reflexão sobre o desenvolvimento brasileiro
e o papel das instituições financeiras públicas nesse processo;
Primeiros colocados recebem prêmio de R$ 8 mil



A Associação Brasileira de Desenvolvimento (ABDE) e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), com o apoio do Sistema OCB, receberão até 24 de julho inscrições para o Prêmio ABDE-BID de Artigos 2017, em importante iniciativa que visa estimular a reflexão sobre os rumos do desenvolvimento e o papel do fomento no desempenho da economia brasileira.

Neste ano, o Prêmio ABDE-BID de Artigos é voltado a todos os segmentos da sociedade, tais como universidades (graduação, pós-graduação e acadêmicos), institutos de pesquisa, instituições financeiras associadas à ABDE, economistas e demais profissionais e especialistas dedicados aos temas do desenvolvimento e do fomento.

O prêmio é formado pelas seguintes categorias:

Categoria 1 / Desenvolvimento em debate – Os artigos deverão abordar assuntos relevantes ao processo de desenvolvimento, podendo utilizar abordagens macro e ou microeconômicas, do desenvolvimento de instrumentos financeiros com enfoque em modelos públicos, privados e/ou do papel do mercado de capitais para o financiamento ao investimento, da interrelação entre o financiamento de longo prazo e o desenvolvimento econômico, do processo de planejamento para o desenvolvimento, da natureza institucional do sistema financeiro, bem como de teorias de desenvolvimento de longo prazo.

Categoria 2 / Financiamento Verde – Os artigos deverão abordar ideias inovadoras para o financiamento verde, analisando gargalos e propostas para ampliar o financiamento sustentável ambiental, florestal e climático (adaptação e mitigação), tais quais – potencial uso e aplicação de green bonds, eficiência energética e energias renováveis, cadeia florestal e finanças ambientais, utilização das fintechs para área ambiental, mecanismos de financiamento, mercados de capitais, seguros, garantias, entre outros.

Categoria 3 / Sistema OCB Desenvolvimento e Cooperativismo de Crédito - Os artigos deverão abordar a relação entre o cooperativismo de crédito e o desenvolvimento econômico sustentável e inclusivo, estratégias de colaboração financeira para o desenvolvimento regional, estratégias colaborativas e novos instrumentos de fintech.

O artigo poderá ser escrito por autores individuais ou em grupo. O vencedor em cada uma das três categorias receberá prêmio de R$ 8 mil e será publicado em livro. O segundo colocado receberá prêmio de R$ 4 mil e também terá o trabalho publicado em livro.

A divulgação dos vencedores será feita em 18 de setembro, com entrega do prêmio em 13 de dezembro, no Fórum do Desenvolvimento, a ser realizado em Belo Horizonte.
Os interessados em mais informações devem escrever para: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

A ABDE - A Associação Brasileira de Desenvolvimento (ABDE) reúne as instituições financeiras de desenvolvimento presentes em todo o país – bancos públicos federais, bancos de desenvolvimento controlados por unidades da Federação, bancos cooperativos, bancos públicos comerciais estaduais com carteira de desenvolvimento, agências de fomento –, além da Finep e do Sebrae. Essas instituições compõem o Sistema Nacional de Fomento (SNF). A ABDE define estratégias e executa ações indutoras do SNF, tendo como meta constante o aprimoramento da atuação de seus associados, para que essas instituições financiem com eficiência o desenvolvimento brasileiro. Realiza cursos, produz estudos e representa as instituições em mesas de diálogo com organismos do governo, do setor produtivo e da sociedade.

O BID - O Banco Interamericano de Desenvolvimento tem como missão melhorar vidas. Criado em 1959, o BID é uma das principais fontes de financiamento de longo prazo para o desenvolvimento econômico, social e institucional da América Latina e o Caribe. O BID também realiza projetos de pesquisas de vanguarda e oferece assessoria sobre políticas, assistência técnica e capacitação a clientes públicos e privados em toda a região.

O Sistema OCB - No Brasil, o movimento cooperativista é representado oficialmente pelo Sistema OCB, com suas três entidades complementares: Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), Confederação Nacional das Cooperativas (CNCoop) e Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop). O Sistema conta com uma unidade nacional e 27 estaduais – localizadas nas capitais de cada estado e também no Distrito Federal. Seu papel é trabalhar pelo fortalecimento do cooperativismo no Brasil. São focos diferenciados e, ao mesmo tempo, complementares. A soma de todas essas forças tem um importante objetivo comum: potencializar a presença do setor na economia e na sociedade brasileira.

SERVIÇO
Edição 2017 do Prêmio ABDE-BID de Artigos
Inscrições: Até 24/07/2017
Informações: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

BNDES abre espaço a consultorias na área de economia

O Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES) está solicitando, via Cofecon, levantamento de empresas de consultoria prestadoras de serviços de avaliação patrimonial de ações e debêntures, com base em valor presente (avaliação financeira).

O objetivo é estabelecer um rol de possíveis fornecedores dos serviços, caso demandados. Paralelamente, configura oportunidade de abertura de mercado no campo profissional dos economistas.

O objetivo é estabelecer um rol de possíveis fornecedores dos serviços, caso demandados. Paralelamente, configura oportunidade de abertura de mercado no campo profissional dos economistas.

Aos interessados, favor confirmar pelo e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo., aos cuidados de Michelle Gomes, a possibilidade de fornecermos nome e CNPJ ao BNDES. Outras informações podem ser adquiridas pelo telefone (51) 32542603.

Estudo analisa evolução das finanças públicas de estados brasileiros


O conselheiro do Corecon-RS, economista Darcy Carvalho dos Santos, elaborou um estudo sobre a evolução das finanças públicas dos principais estados brasileiros, entre os anos 2002 e 2016, com base na taxa média de crescimento da Receita Corrente Líquida (RCL).

No trabalho, o economista explica o comportamento desse indicador e a sua relação com o ICMS, previdência, investimentos, entre outros. Analisa, ainda, o novo acordo da dívida de 2016 e o que é necessário para os três estados brasileiros em pior situação financeira saírem da crise. E deixa uma mensagem: “A grande bandeira precisa ser a responsabilidade fiscal”.

Para ler o texto completo, com tabelas e gráficos, em PDF, clique aqui.

João Fernandes, da Quantitas, fala no Café com Finanças

 


O economista João Souza Fernandes, da Quantitas Asset Management, será o palestrante do Café com Finanças, que acontecerá nesta quarta-feira, dia 3, às 7h45min, na sede da Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais (Apimec-Sul), na General Câmara, 243, 3º andar, em Porto Alegre. Fernandes, que é responsável pela análise e projeções de inflação da Quantitas, falará sobre Conjuntura Econômica.

O evento é uma promoção da Apimec-Sul em parceria com o Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças do RS (IBEF-RS), com o apoio do Corecon-RS.

Maiores informações e confirmação de presença, através do telefone 3225.4459 ou pelo e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Coordenadores de Cursos de Economia do RS se reunirão em Porto Alegre



Coordenadores dos cursos de Ciências Econômicas das universidades do Rio Grande do Sul estarão reunidos, nesta sexta-feira, dia 5, às 14 horas, na sede do Corecon-RS. O objetivo do encontro é promover troca de experiências e discutir ações conjuntas que venham ao encontro do aprimoramento e da qualificação profissional do economista.

Além de uma análise da conjuntura econômica regional e suas perspectivas, serão discutidos temas como Corecon Acadêmico, Dia do Economista, Gincana dos Cursos de Ciências Econômicas, entre outros.

Aeconsul promove palestra com Fernando Estima

A Associação dos Economistas da Zona Sul do Estado do RS (Aeconsul) promove palestra, no dia 18 de maio próximo, às 19h15min, no Auditório da Associação Comercial de Pelotas (Rua 7 de Setembro, 272 - 8º andar), com o secretário de Desenvolvimento Econômico de Pelotas. Fernando Estima abordará sobre o tema “Desenvolvimento da região com foco no Pólo Tecnológico”.

O evento é gratuito aberto ao público.

As inscrições poderão ser feitas pelo link https://goo.gl/forms/zLFeoF0XFGWjGgA92

“O grande desafio é transformar volume da safra em riqueza”, afirma Antonio da Luz

leo e antonio Impactos da supersafra nas economias do Brasil e do Rio Grande do Sul foi o tema do Economia em Pauta, ocorrido na noite do dia 12 de abril, quarta-feira, no Hotel Plaza São Rafael, que teve como palestrantes o Economista-Chefe do Sistema Farsul, Antono da Luz, e o jornalista Âncora do programa Campo e Lavoura, da RBS TV, Léo Saballa Jr.

O encontro foi aberto pelo presidente do Corecon-RS, economista Clovis Meurer, que agradeceu a presença dos palestrantes e ressaltou a importância do assunto, especialmente pelo impacto que a supersafra prevista para este ano trará à economia brasileira e, especialmente, à gaúcha.

leo fechado2Leo Saballa Jr iniciou sua apresentação informando que está trabalhando na RBS há 12 anos e que já atuou em praticamente todo o tipo de cobertura jornalística. Passou dois anos em Brasília, trabalhando diretamente com o política, foi para a TV Com e apresenta o programa Campo e Lavoura, da RBS TV há pouco mais de um ano. Afirmou aos presentes que apresentaria duas importantes reportagens, veiculadas recentemente em seu programa, que enfocam de forma muito clara os impactos positivos nos números da agricultura, que já, em 2016, se começava a sentir no campo.

 

 

leo tv

Uma delas, que cita o exemplo da cidade de Cruz Alta, no noroeste gaúcho, que aborda a forma como o agronegócio movimenta a economia através da contratação de mão de obra. Explica que o município terminou 2016 com o maior saldo positivo na geração de empregos e que entre demitidos e contratados, teve saldo de 1085 novas vagas ocupadas, sendo 88% deste total, no agronegócio. A outra matéria mostra o reflexo do emprego, que se estende também ao comércio de máquinas e implementos agrícolas. Explicou que o IBGE já estimava a safra de 2017 como a maior dos últimos 14 anos e que a Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores também já previa um incremento de 13% nas vendas de máquinas e, portanto, um fôlego para o segmento que havia sofrido queda de 5% em 2016. “Neste momento, o agricultor já começava, inclusive, a buscar linhas de créditos nos bancos, visando à aquisição de uma máquina mais moderna e maior para o trabalho de sua lavoura”. Ficamos felizes quando conseguimos apresentar um jornal que não fale apenas de coisas ruins”, complementou, ao referir-se à série de reportagens veiculadas com a intenção de destravar as obras de duplicação da BR 116, ligando Porto Alegre ao porto de Rio Grande, “que têm causado tantos prejuízos à economia do Rio Grande do Sul e do País”.

leo e antonioO economista Antonio da Luz iniciou sua apresentação falando sobre a importância da agropecuária para a economista do Rio Grande do Sul. Através de gráficos, demonstrou que nos anos 2005 e 2012, quando ocorreram quedas no PIB agropecuário do estado, em função de secas, também ocorreu queda do PIB gaúcho como um todo, e que, nos anos de recuperação de safra, o RS experimento crescimento do PIB global. Explicou que isso decorre da importância da agropecuária na composição do PIB global do estado, com a distribuição dos ganhos da safra pelos diferentes setores da economia, como a indústria metal mecânica e o próprio setor serviços, através do comércio de produtos voltados à agricultura.

Disse que a previsão de faturamento desta safra é de R$ 39 bilhões, sendo que o equivalente a cerca de R$ 24,5 bilhões deverão ser absorvidos por setores que embora não pertençam à agricultura, tem no setor importante fonte de grande demanda. Lembrou que, após uma análise da distribuição dos números pelas diferentes cadeias produtivas e a aplicação de uma projeção da taxa de crescimento do setor, chegou-se a uma expectativa de um PIB do agronegócio de R$ 153,1 bilhões a partir desta safra, o equivalente a 40,95% do PIB gaúcho, “o que demonstra, sem dúvida, uma força econômica extremamente significativa e bastante entrelaçada”. Apresentou uma comparação do saldo de empregos gerados pelos municípios gaúchos ligados à agricultura, detentores de PIB agropecuário maior ou igual da 30% do PIB total, e os demais, entre os anos de 2013 e 2016, onde se constata que, mesmo nos períodos de maior crise do setor, embora tenham reduzido oferta de postos de trabalho, esses municípios continuaram contratando, ao contrário dos outros, que apenas destruíram vagas de emprego”.

antonio de pe 1O economista da Farsul apresentou dados sobre projeções do consumo mundial de grãos, como arroz, milho, soja e trigo, além do consumo de carne bovina e leite, que estimam importante aumento de demanda, especialmente nos países asiáticos. Explicou que até 1997 o Brasil era importador de alimentos, e que, agora, por uma questão de demanda, de oferta e de geração maior da economia, precisa colocar sua produção excedente no mercado internacional. “Os desafios e oportunidades ocorrem no sentido de que consigamos transformar todo esse volume em riqueza. Produzir volume é o resultado da produção e produzir riqueza depende do faturamento, do consumo intermediário”, destacou. Apresentou dados sobre a projeção das safras brasileira e gaúcha entre os anos de 2015 e 2026 e falou da necessidade de superar os principais gargalos no escoamento da safra, o que demonstrou, comparando os níveis de produtividade e os custos operacionais da produção brasileira com a dos EUA e países da América Latina. ”Quanto mais agricultura, mais indústria e serviços teremos”, disse, reconhecendo que há uma grande janela de oportunidades para os próximos 10 anos, embora não veja qualquer movimento sério de melhoria da infraestrutura para atender a essa demanda. “Precisamos reduzir muito nossos custos de produção e, em primeiro lugar, buscar alternativas de transporte que passem pelo uso de nossas hidrovias”, alertou.

antonio fechado1Antonio da Luz encerrou sua participação falando sobre a importância do setor agrícola como meio de atuação do economista. Para ele, o produtor rural é um grande gerador de emprego de alta performance, e o produtor gaúcho e, em especial o brasileiro, é, por natureza, um maximizador de produção, já que acredita que, assim, está diminuindo o custo médio e aumentando a sua renda. “E o papel do economista é, através de seu conhecimento técnico, mostrar que, nessa relação, o mais importante é maximizar o lucro”.

No final do evento, foi servido um coquetel aos presentes, com a cortesia da Água Mineral Sarandi, Vinícola Laurentia e Hotel Plaza São Rafael.

 

 

auditorio1Além do presidente Clovis Meurer, estiveram presentes ao evento o vice-presidente Rogério Tolfo, os conselheiros Aristóteles Galvão, Bruno Breyer Caldas, Guilherme Stein e Jorge Melo, os ex-presidentes Antonio Carlos Brites Jaques, Ário Zimmermann e Lauro Renck, o ex-vice-presidente Carlos Abel e o ex-conselheiro Vladimir da Costa Alves.

 

Corecon promove encontro com ex-conselheiros

almooO Corecon-RS promoveu, no dia 12 de abril, quarta-feira, reunião-almoço de integração entre os conselheiros da atual gestão e de gestões anteriores. O encontro, com almoço foi por adesão, aconteceu no restaurante do City Hotel, em Porto Alegre, onde foi realizada a 1478ª sessão plenária ordinária da Entidade.

Ao abrir a reunião, o presidente do Corecon-RS, economista Clovis Meurer, agradeceu a presença de todos e disse que o grande objetivo do encontro era integrar os conselheiros e suas ideias em torno do propósito maior, que é ampliar, através da Entidade, a oferta de serviços prestados aos economistas gaúchos. Entregou aos presentes a minuta do novo Regimento Interno do Corecon-RS, para avaliação e sugestões, além de um documento visando à captação de patrocínios para os eventos anuais da entidade. Fez um breve resumo desta gestão, agradecendo o apoio de todos os conselheiros e da equipe de servidores. Falou, ainda, sobre os estudos de melhorias na sede com os Conselheiros atuais e abriu a palavra aos presentes, que  encaminharam propostas de ações para a Entidade.

almoo1

Além do presidente Clovis Meurer e do vice-presidente Rogério Tolfo, estiveram presentes os conselheiros Aristóteles Galvão, Bruno Breyer Caldas, Darcy Carvalho dos Santos, Filipe Grisa, Guilherme Stein, João Carlos Madail, Leandro Höerlle e Victor Sant’Ana, o conselheiro federal Henry Bejzmann, o delegado regional Milton Biazus, os ex-presidentes Antonio Carlos Brites Jaques, Geraldo Fonseca, José Luiz Machado e Lauro Renck, os ex-vice-presidentes Carlos Alberto Abel e Everton Lopes.

Pagina 7 de 27