Corecon e Polícia Civil assinam Termo de Cooperação

mesaO Corecon-RS e a Polícia Civil do Estado do RS assinaram, no dia 12 de abril, quarta-feira, na sede da Chefia de Polícia, em Porto Alegre, um Termo de Cooperação Técnica visando à instrumentalização do trabalho investigativo-policial na área da economia. O Termo foi assinado pela conselheira, economista e perita criminal Simone Magalhães, que representou a Entidade, pelo Chefe de Polícia, delegado Emerson Wendt, e pelo diretor da Divisão de Assuntos Institucionais da Polícia Civil, delegado Joerberth Pinto Nunes. Também participaram do evento os presidentes do Conselho Regional de Contabilidade, Antônio Palácios, e do Conselho Regional de medicina Veterinária do RS, Rodrigo Lorenzoni, além da representante do Conselho Pró-Segurança Pública (Consepro) de Viamão, economista Márcia de Mattos Silva.

Simone Magalhães lembrou que o Corecon-RS possui mais de cinco mil economistas no Rio Grande do Sul e falou da importância desse conhecimento técnico vir se somar às atribuições do trabalho investigativo policial. Solicitou, ainda, que o edital para o próximo concurso público a ser realizado pelo Instituto Geral de Perícias já ofereça vagas para economista.

O delegado Emerson Wendt disse que os órgãos de segurança passam por uma crise derivada das condições econômicas do país e dos estados e esse empenho dos conselhos, que vêm se somar à Polícia Civil na busca e aprimoramento dos recursos técnicos e operacionais nas áreas de investigação e perícia criminal, “é fundamental, não apenas para a instituição, mas para a sociedade como um todo”. O Termo prevê, ainda, a promoção de cursos, seminários e palestras entre as instituições, com vistas à discussão e aperfeiçoamento das atividades comuns.

inteligenciaApós a assinatura do Termo de Cooperação, os representantes dos conselhos visitaram as dependências da Divisão do Gabinete de Inteligência e Assuntos Estratégicos e da Delegacia de Polícia de Repressão ao Crime de Lavagem de Dinheiro, onde foram recebidos pelos seus titulares, delegados Cristiano Reschke e Gustavo Pereira.

“Impactos da Supersafra nas economias do Brasil e do RS” é o tema do Economia em Pauta


- Com o economista Antonio da Luz e o jornalista Léo Saballa Jr -

“Impactos da supersafra nas economias do Brasil e do RS” será o tema da próxima edição do Economia em Pauta, que acontecerá nesta quarta-feira, dia 12, às 18h30min, no Hotel Plaza São Rafael (Av. Alberto Bins, 514), numa promoção do Conselho Regional de Economia do RS (Corecon-RS). Os palestrantes serão o economista Antonio da Luz (Economista-Chefe do Sistema Farsul), e o jornalista Léo Saballa Jr (Âncora do programa Campo e Lavoura, da RBS TV).

Será fornecido um certificado de 2 horas complementares aos estudantes que participarem do evento.

No final do evento, será servido um coquetel aos presentes, com a cortesia da Água Mineral Sarandi, Vinícola Laurentia e Hotel Plaza São Rafael.

Entrada gratuita!

Informações e reservas pelo fone (51) 3254.2608 ou pelo e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo..

Corecon-RS e Polícia Civil assinam Termo de Cooperação

 

O Conselho Regional de Economia (Corecon-RS) e a Polícia Civil do Estado do RS assinarão, nesta quarta-feira, dia 12, às 10 horas, na Chefia de Polícia (Av. João Pessoa, 2050, 3º andar), Termo de Cooperação Técnica visando à instrumentalização do trabalho investigativo-policial na área da economia, com o objetivo de proporcionar maior agilidade na articulação de recursos técnicos e operacionais nas áreas de investigação e perícia criminal.

O Termo será assinado pelo presidente do Corecon-RS, economista Clovis Meurer, pela conselheira, economista e perita criminal Simone Magalhães, e pelo Chefe de Polícia, Delegado de Polícia Emerson Wendt.

O Termo prevê, ainda, a promoção de cursos, seminários e palestras entre as instituições, com vistas à discussão e aperfeiçoamento das atividades comuns.

Conselheiro do Corecon-RS participa de debate da Isto É Dinheiro

 

A convite da Editora Três, o conselheiro do Corecon-RS, economista Darcy Francisco Carvalho dos Santos, participou, na última quarta-feira, dia 5, em São Paulo, de debate com transmissão ao vivo, via facebook, pelo canal da Isto É Dinheiro. O tema foi a reforma da Previdência Social e contou com a participação de Marcelo Caetano, secretário da Previdência, de Mansueto Almeida, secretário de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda, e de Marcos Lisboa, presidente do Insper (instituição sem fins lucrativos de ensino superior e pesquisa).


Assista à gravação do debate pelo https://www.facebook.com/istoedinheiro/?fref=ts

Corecon-RS participa de audiência pública da reforma trabalhista, na OAB-RS

 

O vice-presidente do Corecon-RS, economista Rogério Tolfo, participou, no dia 29 de março último, na sede da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional RS (OAB-RS), de audiência pública que debateu o projeto de lei de Reforma Trabalhista. 

O evento, presidido pelo presidente da OAB-RS, Ricardo Breier, reuniu advogados, sociedade civil, centrais sindicais e federações patronais, que estudaram as proposições do Projeto de Lei n° 6787/2016, que altera a CLT de 1943, para se posicionarem sobre o tema.

As deliberações serão reunidas em um documento que será encaminhado ao Conselho Federal da OAB.

Cofecon lança nova edição da Revista Economistas


O Cofecon está disponibilizando a edição de nº 23 da Revista Economistas, que tem, como destaque, o tema “2017: crescimento ou estagnação?”.

A Revista apresenta, ainda, os artigos “A realidade e o discurso”, de autoria do economista Márcio Pochmann; “PIB – O crescimento em 2017 e a estagnação há décadas”, do economista Roberto Macedo; “Reforma da Previdência: o ajuste pela ampliação das receitas”, da economista Denise Gentil; “Reforma da Previdência: o Regime Geral da Previdência Social”, assinado pelos economistas Carlos Eduardo de Freitas e Felipe Ohana; “O economista e a justiça”, do economista Fernando Aquino; “A hipótese da tributação internacional”, economista Paulo Dantas da Costa; “Atenção: como você aloca a sua atenção?”, de autoria da economista Juliana Inhasz.

A publicação traz, ainda, as reportagens “2017: crescimento ou estagnação?”; “Cofecon realiza debate sobre Reforma da Previdência” e “Cofecon apresenta Relatório de Gestão 2016”; além da Nota do Cofecon sobre a PEC de Reforma da Previdência e da seção Novos Livros.

Acesse o conteúdo da revista pelo site https://goo.gl/19S39W

Corecon-RS na formatura da Fadergs

 

O ex-conselheiro do Corecon-RS, economista Vladimir Alves, representou a Entidade, no dia 1º de abril, sábado, durante a solenidade de formatura do Curso de Ciências Econômicas da Faculdade de Desenvolvimento do RS (Fadergs). O evento aconteceu no Teatro do Bourbon Country - Avenida Túlio Rose, 80, em Porto Alegre.

O Corecon-RS esteve presente, no dia 18 último, na cidade de Ijuí, na formatura dos alunos de Ciências Econômicas da Unijuí – Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul. A solenidade de colação de grau de oito formandos aconteceu no salão de atos do Campus da Universidade e contou com a participação do fiscal do Corecon-RS, economista Antonio Pedro Hickmann, que representou a Entidade. 

O conselheiro do Corecon-RS, economista Bruno Breyer Caldas, esteve em São Leopoldo, no dia 11 de março, representando a Entidade na solenidade de formatura de 14 alunos do Curso de Ciências Econômicas da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), que aconteceu no Anfiteatro Padre Werner. 

No mesmo dia, o vice-presidente Rogério Tolfo esteve no município de Passo Fundo, acompanhando a diplomação de 17 novos bacharéis de Economia, da Universidade de Passo Fundo (UPF). No ano do sexagésimo aniversário da Faculdade de Economia da UPF, o evento aconteceu no Palazzo Centro de Eventos e também contou com as participações do diretor da Faculdade, Elói Dalla Vecchia, do coordenador do curso, Marco Antonio Montoya,  e do paraninfo, Julcemar Zilli.
 

Também no sábado, o conselheiro federal, economista Henri Wolf Bejzman, participou, em Canoas, da solenidade de formatura de 10 novos bacharéis de Economia da Universidade Luterana do Brasil (Ulbra). O evento aconteceu no Auditório do Prédio 14, do Campus da Ulbra.

 
 

 

No dia 25 de fevereiro, o presidente Clovis Meurer esteve em Horizontina, onde representou o Corecon-RS na solenidade de formatura do Curso de Ciências Econômicas da FAHOR.

 

 

 

Na semana anterior, no dia 18, o presidente da Ecoserra, economista Wanderlei Reis da Silva, representou a Entidade na formatura da Universidade de Caxias do Sul (UCS).




 

No dia 10, sexta-feira, o conselheiro André Carraro já havia acompanhado a formatura dos novos bachareis do Curso de Ciências Econômicas da Unipampa, em Santana do Livramento, e, no sábado, dia 11, o conselheiro Bruno Breyer Caldas representou o Corecon-RS em Santa Cruz do Sul, por ocasião da formatura do Curso de Ciências Econômicas da Unisc.
 

 

No dia 4 de fevereiro último, o vice-presidente do Corecon-RS, economista Rogério Tolfo, o conselheiro Aristóteles Galvão e o delegado regional do Corecon-RS em Caxias do Sul, economista Milton Biazus, já haviam participado da formatura de colação de grau dos alunos do Curso de Ciências Econômicas da Universidade de Caxias do Sul (UCS).

  

Também, no mesmo dia, na cidade de Rio Grande, o conselheiro João Carlos Madail representou o Corecon-RS na formatura dos alunos da Universidade Federal do Rio Grande (FURG), que aconteceu no Cidec, Campus Carreiros.


  

No dia 27 de janeiro, o vice-presidente Rogério Tolfo representou o Corecon-RS na formatura dos alunos do Curso de Ciências Econômicas da PUCRS, quando foram diplomados 26 novos bacharéis. Dois dias antes, o presidente Clovis Meurer participou da solenidade de colação de grau de 42 alunos do Curso de Ciências Econômicas da UFRGS. Também, no mês de janeiro, no dia 14, o ex-conselheiro Vladimir da Costa Alves representou a Entidade na solenidade de formatura dos novos bacharéis do Curso de Ciências Econômicas do Centro Universitário La Salle (Unilasalle).

A participação do Corecon-RS nas formaturas dos alunos dos cursos de Ciências Econômicas das universidades gaúchas tem como objetivo estreitar ainda mais as relações com os estudantes e com as instituições acadêmicas do Rio Grande do Sul, disponibilizando-os informações e esclarecendo-os a respeito dos objetivos e funções do órgão de representatividade dos Economistas do Rio Grande do Sul.

 

 

Artigo: Grande quebradeira - Econ. Darcy Carvalho dos Santos

Grande quebradeira
Darcy Carvalho dos Santos
Economista, conselheiro Corecon-RS
Corecon-RS Nº  3755

 


A decisão do presidente Temer de retirar os servidores públicos estaduais e municipais da reforma da Previdência, repassando a competência que hoje é da União para Estados e municípios, poderia ser uma boa medida se a motivação fosse de caráter técnico. Os Estados do Norte e Nordeste, mais pobres e com expectativa de vida menor, poderiam dar um tratamento diferenciado a seus servidores.

Mas o que ocorreu foi uma decisão política, decorrente da pressão das corporações de servidores e dos políticos locais, por medo de se desgastarem para o pleito do ano que vem.

Por mais necessária que seja a reforma em nível federal, onde os déficits do Regime Geral e o dos servidores atingiram R$ 227 bilhões em 2016, são os Estados e municípios que mais necessitam dela, devido à maior precocidade das aposentadorias de seus servidores.

No RS, por exemplo, metade dos servidores se aposenta com idade mínima de 50 anos e uma quarta parte não tem nem essa exigência. Nos demais Estados não é muito diferente.

Muitas pessoas acham que se trata de um benefício aos servidores, quando é exatamente isso que está achatando seus salários. Estudo recente do economista José Francisco Afonso mostra que o Estado do RS é o que mais gasta com servidores inativos em relação à receita, mas é também o que despende menos com servidores ativos, prejudicando estes e a sociedade que não recebe os serviços necessários.

Metade dos Estados despende com previdência entre 16% e 34% da sua receita líquida e os que mais gastam nesse item são exatamente os que estão em pior situação financeira: RS, RJ e MG.

Quanto aos municípios, o superávit na conta previdência é uma questão de média. Há vários municípios no RS que, para cobrir o déficit no regime próprio, editaram leis criando uma alíquota suplementar, em muitos casos superiores a 20%, durante 30 anos ou mais. Isso é, com certeza, impagável. Esses servidores terão dificuldade para receber sua aposentadoria no futuro.

Estados e municípios, pela proximidade dos interesses em jogo, que são contraditórios, não terão condições de fazer uma reforma adequada, o que vai ocasionar uma grande quebradeira.

Leia em ZH https://goo.gl/BV7K2Z

Abertas inscrições para o Prêmio ABDE-BID de Artigos



A Associação Brasileira de Desenvolvimento (ABDE) e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), com o apoio do Sistema OCB, abriram as inscrições para o “Prêmio ABDE-BID de Artigos 2017”, em iniciativa que visa estimular a reflexão sobre os rumos do desenvolvimento e o papel do fomento no desempenho da economia brasileira.

Neste ano, o Prêmio ABDE-BID de Artigos é voltado a todos os segmentos da sociedade, como universidades (graduação, pós-graduação e acadêmicos), institutos de pesquisa, instituições financeiras associadas à ABDE e demais interessados e especialistas dedicados aos temas do desenvolvimento e do fomento.

Os artigos poderão ser enviados até o dia 24 de julho de 2017, com divulgação dos vencedores em setembro.

O Prêmio é formado pelas seguintes categorias:

Categoria 1 / Desenvolvimento em debate – Os artigos deverão abordar assuntos relevantes ao processo de desenvolvimento, podendo utilizar abordagens macro e ou microeconômicas, do desenvolvimento de instrumentos financeiros com enfoque em modelos públicos, privados e/ou do papel do mercado de capitais para o financiamento ao investimento, da interrelação entre o financiamento de longo prazo e o desenvolvimento econômico, do processo de planejamento para o desenvolvimento, da natureza institucional do sistema financeiro, bem como de teorias de desenvolvimento de longo prazo.

Categoria 2 / Financiamento Verde – Os artigos deverão abordar ideias inovadoras para o financiamento verde, analisando gargalos e propostas para ampliar o financiamento sustentável ambiental, florestal e climático (adaptação e mitigação), tais quais – potencial uso e aplicação de green bonds, eficiência energética e energias renováveis, cadeia florestal e finanças ambientais, utilização das Fintechs para área ambiental, mecanismos de financiamento, mercados de capitais, seguros, garantias, entre outros.

Categoria 3 / Sistema OCB Desenvolvimento e Cooperativismo de Crédito - Os artigos deverão abordar a relação entre o cooperativismo de crédito e o desenvolvimento econômico sustentável e inclusivo, estratégias de colaboração financeira para o desenvolvimento regional, estratégias colaborativas e novos instrumentos de fintech.

O artigo poderá ser escrito por autores individuais ou em grupo. O vencedor em cada uma das três categorias receberá prêmio de R$ 8 mil e será publicado em livro. O segundo colocado receberá prêmio de R$ 4 mil e também terá o trabalho publicado em livro.

As inscrições poderão ser feitas entre 24 de março e 24 de julho. A divulgação dos vencedores será feita em 18 de setembro, com entrega do prêmio em 13 de dezembro, no Fórum do Desenvolvimento.

Os interessados em mais informações devem escrever para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

A Associação Brasileira de Desenvolvimento (ABDE) reúne as instituições financeiras de desenvolvimento presentes em todo o país – bancos públicos federais, bancos de desenvolvimento controlados por unidades da Federação, bancos cooperativos, bancos públicos comerciais estaduais com carteira de desenvolvimento, agências de fomento –, além da Finep e do Sebrae. Essas instituições compõem o Sistema Nacional de Fomento (SNF). A ABDE define estratégias e executa ações indutoras do SNF, tendo como meta constante o aprimoramento da atuação de seus associados, para que essas instituições financiem com eficiência o desenvolvimento brasileiro. Realiza cursos, produz estudos e representa as instituições em mesas de diálogo com organismos do governo, do setor produtivo e da sociedade.

O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) tem como missão melhorar vidas. Criado em 1959, o BID é uma das principais fontes de financiamento de longo prazo para o desenvolvimento econômico, social e institucional da América Latina e o Caribe. O BID também realiza projetos de pesquisas de vanguarda e oferece assessoria sobre políticas, assistência técnica e capacitação a clientes públicos e privados em toda a região.

O Sistema OCB - No Brasil, o movimento cooperativista é representado oficialmente pelo Sistema OCB, com suas três entidades complementares: Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), Confederação Nacional das Cooperativas (CNCoop) e Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop). O Sistema conta com uma unidade nacional e 27 estaduais – localizadas nas capitais de cada estado e também no Distrito Federal. Seu papel é trabalhar pelo fortalecimento do cooperativismo no Brasil. São focos diferenciados e, ao mesmo tempo, complementares. A soma de todas essas forças tem um importante objetivo comum: potencializar a presença do setor na economia e na sociedade brasileira.

Maiores informações podem ser adquiridas no site www.abde.org.br ou pelo email O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Balreira assume Diretoria-Executiva da SMAS de Pelotas



Diplomado em Ciências Econômicas e em Direito, e pós-graduado em Processo Civil, Trabalhista e Penal pela Universidade Católica de Pelotas (UCPEL), o
 economista Cláudio Balreira (Corecon-RS Nº 4651) assumiu, em fevereiro último, a Diretoria-Executiva da Secretaria Municipal de Assistência Social de Pelotas. Balreira responde pelo Cadastro Geral, Financeiro, Recursos Humanos e Planejamento do Órgão, e é o novo gestor do Fundo Municipal da Criança e do Adolescente (Fundica).

 

 

 



Qual é o orçamento destinado ás ações sociais do município?

O orçamento previsto é de R$ 21.898.570,00.

São recursos próprios?

A maior parte sim. Os recursos têm participação do governo federal, sendo a composição 76,6% de receita do município e 23,4% do governo federal.

Que tipo de ações estão contempladas pelos planos sociais do Município?

Atendendo à missão da Prefeitura Municipal de Pelotas, as nossas ações buscam satisfazer as necessidades do cidadão por meio da prestação de serviços públicos qualificados, garantindo, com isso, a organização da cidade. Com o objetivo de atender esse objetivo, são executadas ações, como ofertar aos cidadãos em situação de vulnerabilidade social atividades que proporcionem o acesso aos direitos de acordo com suas necessidades, garantindo uma intervenção qualificada, através do SUS, a todos usuários que dele necessitam. A intenção, com isso, é garantir ao cidadão provisão de proteção social em todos níveis, possibilitando o atendimento de suas necessidades com qualidade. Da mesma forma, a execução de serviços socioassistenciais de qualidade e políticas de proteção e prevenção à violência, ofertados pela Rede de Proteção Social em todos níveis de complexidade. Temos aqui os Serviços de Convivência e Fortalecimentos de Vínculos (SCFV), que são ofertados por entidades conveniadas parceiras na execução da política de assistência social do Município. Da mesma forma, o acesso à orientação especializada dos filhos, através do PRÉ-ENEM nos bairros que representa a possibilidade de disputa de vaga e de acesso ao ensino superior pelas camadas socialmente excluídas. Investimos também na qualificação para o trabalho, proporcionando à população capacitação profissional através dos cursos do Programa Capacitar Pelotas, que ofereceu 813 vagas distribuídos em cursos de artesanatos patchwork, em EVA, pintura em tecido pintura e reciclagem em vidro, bordados, crochê, além de oficina de culinária e atividades de esporte e lazer como jiu jitsu e aero samba.

E a gestão da segurança social?

A Secretaria possui eixos muito importantes para a atuação da atual gestão, pois através da prestação de serviços à comunidade busca satisfazer as necessidades básicas da população em vulnerabilidade social, garantir justiça social através de oportunidades de inserção no mundo do trabalho e proporcionar segurança à população através de ações de prevenção à violência. Mantemos 12 abrigos, com quase 200 pessoas acolhidas, morando nas nossas casas. Possuímos cinco Centros de Referência de Assistência Social (CRAS), com mais de 10 mil famílias referenciadas, além dos oito Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, localizados na periferia da cidade, com quase 200 crianças atendidas em turno inverso ao da escola. Ainda, nos Centros de Referência Especializados de Assistência Social (CREAS), são atendidos idosos em risco, mulheres vítimas de violência, menores infratores cumprindo medidas sócioeducativa, entre outras ações. Temos um plantão social o qual concede benefícios eventuais como roupas e alimentos e também possuímos um setor exclusivo de atendimento para pessoas com deficiência.

Como gerir esses recursos de forma adequada ás necessidades das diferentes áreas?

Esses recursos são aplicados através de projetos e de gestão plena.

Quais os critérios de distribuição desses recursos?

Os critérios seguem a Política Nacional de Assistência Social, distribuídas por polos ou blocos de proteção aos mais necessitados.

São recursos suficientes para atender a todas as demandas da área?

Não. Não são suficientes para atender a todas as necessidades sociais e econômicas do público-alvo.

Pagina 8 de 27