Antônio da Luz é escolhido Economista do Ano


O economista Antônio da Luz foi escolhido o Economista do Ano 2017. A iniciativa do Corecon-RS é um reconhecimento a economistas que atuam nos mais diferentes campos da profissão, engajados em atividades dos setores privado ou público, academia ou profissionais autônomos, no Rio Grande do Sul, e que tenham se destacado por sua contribuição no fortalecimento do desenvolvimento econômico regional ou nacional, através de análises críticas e inovadoras sobre assuntos relevantes e de interesse público.

Antônio da Luz é economista formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Mestre em Economia (UFRGS) e Doutorando em Economia do Desenvolvimento pela PUC-RS, além de ser pós-graduado em Master Business Economics e também Derivativos Financeiros. Atua como Economista-Chefe do Sistema Farsul e professor Titular das disciplinas de Comercialização e Microeconomia em cursos de Pós-Graduação (Especialização e MBA) na ESPM. Atuou como economista da Agenda 2020 e também como Corretor de Bolsa de Valores Mobiliários. Antônio da Luz é um dos 89 economistas brasileiros e estrangeiros que são consultados pelo Banco Central para elaboração do Relatório Focus com as expectativas de mercado para PIB, Inflação, Juros, Câmbio, etc. Ex-conselheiro do Corecon-RS.

Os candidatos ao “Prêmio Economista do Ano” são indicados por entidades públicas, privadas, universidades e entidades de categoria, como associações e sociedades, entre outras, sediadas no Rio Grande do Sul. A Comissão Julgadora é independente e formada por nove economistas com atuação profissional no âmbito do Rio Grande do Sul, sendo três representantes do setor público, três do setor privado e três do setor acadêmico. Integraram a Comissão os economistas Henrique de Abreu Grazziotin  (BRDE), Paulo Roberto Lucho (Sefaz) e Vanclei Zanin (FEE), indicados pelo Setor Público; Patrícia Ullmann Palermo (Fecomércio),  Pedro Lutz Ramos (Sicredi) e André Francisco Nunes de Nunes (Fiergs), indicados pelo Setor Privado; e Milton André Stella (PUCRS), Rodrigo Nobre Fernandez (UFPel) e Marcelo De Carvalho Griebeler (UFRGS), indicados pelo Setor Acadêmico.

O Prêmio será entregue durante solenidade oficial no dia 14 de dezembro, às 20 horas, no Hotel Continental (Largo Vespasiano Júlio Veppo, 77, Porto Alegre. Na oportunidade, também serão homenageados os vencedores do “Prêmio Corecon-RS 2017” – que premia as melhores dissertações de Mestrado, artigos técnicos ou científicos e monografias ou trabalhos de conclusão de Curso –, o “Prêmio Corecon-RS de Reportagem de Economia 2017” e o “Prêmio Jornalista de Economia do Ano/2017”. Também serão entregues os prêmios dos vencedores do V Concurso de vídeos sobre educação financeira.

Wellington Leonardo é eleito para presidência do Cofecon

O economista Wellington Leonardo da Silva foi eleito, na sexta-feira, di 1º de dezembro último, na sede do Cofecon, em Brasília, presidente da Entidade, para mandato de um ano, a partir do dia 1º de janeiro de 2018. Também foi eleita, para a vice-presidência, a economista Bianca Lopes de Andrade Rodrigues.

Wellington Leonardo da Silva é bacharel em Ciência Econômicas pela Universidade Gama Filho. Foi Conselheiro Federal do Cofecon de 2009 a 2014 e Vice-Presidente da autarquia no exercício de 2014. Trabalhou no setor privado de 1977 a 1990 na área de comércio internacional de indústrias do ramo têxtil, maquinaria pesada e química fina. Lecionou nas faculdades Veiga de Almeida e Gama Filho, sendo nesta última até 1992. Foi assessor do Sindicato dos Bancários do Estado do Rio de Janeiro, da Associação dos Funcionários do Banco de Desenvolvimento Econômico e Social (AFBNDES) e chefe de gabinete da ex-deputada federal Ana Júlia Carepa. Atualmente é secretário-executivo do Conselho Regional de Economia do Rio de Janeiro (Corecon-RJ), consultor em Planejamento Estratégico Situacional e diretor do Sindicato dos Economistas do Estado do Rio de Janeiro.

Bianca Lopes de Andrade Rodrigues é bacharel em Ciências Econômicas pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e aluna do curso de MBA em Gestão Financeira, Controladoria e Auditoria, pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Foi Presidente e Vice-Presidente do Conselho Regional de Economia de Rondônia (Corecon-RO) e atualmente é Conselheira Federal do Cofecon. Tem experiência em gestão de políticas públicas, planejamento e finanças públicas, elaboração de planos de desenvolvimento regional e projetos de viabilidade econômica. Atualmente ocupa o cargo de Vice-Presidente da Junta Comercial do Estado de Rondônia.

RS esteve presente na plenária do Cofecon

henriO conselheiro federal, economista gaúcho Henri Bejzman, e o delegado eleitor e ex-presidente do Corecon-RS, economista Lauro Renck, também estiveram presentes na reunião-plenária do Cofecon. Na oportunidade, também aconteceu a Assembleia de Delegados-Eleitores, que elegeu os novos conselheiros federais para o triênio 2018-2020. Os economistas Fernando Aquino Fonseca Neto, Eduardo Rodrigues da Silva, Antonio Ubirajara de Pádua Galvão, Antonio Melki Junior, Maria Auxiliadora Sobral Feitosa e Antônio Corrêa de Lacerda foram eleitos para o cargo de conselheiro federal efetivo. Como suplentes, foram eleitos Róridan Penido Duarte, Sávio de Jesus Tourinho da Cunha, João Bosco Ferraz de Oliveira, Clóvis Benoni Meurer, Paulo Salvatore Ponzini e Luiz Antonio Rubin.

Aristóteles Galvão é eleito para Conselho fiscal do fórum/RS

 

O conselheiro Aristóteles Galvão assumirá a vaga do Corecon-RS no Conselho Fiscal do Fórum dos Conselhos Regionais e Ordens das Profissões Regulamentadas do RS (Fórum/RS). 

A eleição da nova Diretoria Executiva e Conselho Fiscal, para os próximos dois anos, foi realizada durante reunião plenária extraordinária, no dia 29 de novembro, na sede do Cremers, em Porto Alegre, e contou com a participação de 15 Conselhos Regionais. Assumirá a presidência do Fórum/RS a atual presidente do Conselho Regional de administração do RS (CRA-RS), a administradora Claudia Abreu. A solenidade de posse ocorrerá na próxima reunião plenária no dia 13 de dezembro. Confira abaixo a composição da chapa eleita.


Diretoria Executiva

Presidência – Conselho Regional de Administração do RS (CRA-RS)

1ª vice-presidência - Conselho Regional da Ordem dos Advogados do Brasil do RS (OAB/RS)
2ª vice-presidência – Conselho Regional de Fonoaudiologia do RS (CREFONO/RS)
3ª vice-presidência – Conselho Regional de Educação Física do RS (CREF/RS)
4ª vice-presidência - Conselho Regional Medicina Veterinária do RS (CRMV-RS)
5ª vice-presidência – Conselho Regional de Medicina (CREMERS)
Secretária geral –Conselho Regional de Farmácia do RS (CRF-RS)
1º Secretário Adjunto – Conselho Regional de Nutricionistas (CRN-RS)
2º Secretário Adjunto – Conselho Regional de Contabilidade do RS (CRCRS)
3º Secretário Adjunto – Conselho Regional de Biomedicina do RS (CRBM-RS)

Conselho Fiscal
1ª titular – Conselho Regional de Biologia do RS (CRBio)
2ª titular – Conselho Regional de Economia do RS (CORECON-RS)
1ª suplente – Conselho Regional de Psicologia RS (CRP-RS)
2ª suplente – Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do RS (CREA-RS)
3º suplente – Conselho de Arquitetura e Urbanismo do RS (CAU/RS)

Ecoserra escolhe nova diretoria

 


O economista Tarciano Mélo Cardoso assumirá, em janeiro próximo, a presidência da Associação dos Economistas da Serra Gaúcha (Ecoserra). Foi escolhido durante reunião realizada, no dia 30 de novembro último, na sede da Entidade. Assumirá a vice-presidência o economista Eraldo Ricardo dos Reis. Graduado pela Universidade de Caxias do Sul (UCS), com MBA pela FGV, Tarciano Cardoso é Economista-Chefe na Ferrari Gestão de Ativos, em Caxias do Sul, e sucede, na Ecoserra, o economista Carlos Wanderlei Reis da Silva.

 

Cofecon realizará debate sobre Política Fiscal com transmissão ao vivo pelo Facebook

 

O Cofecon realizará neste sábado, 2 de dezembro, debate com os economistas Gabriel Leal de Barros e Pedro Garrido da Costa Lima sobre o tema “Política Fiscal”. O evento ocorrerá na sede da autarquia, em Brasília, das 9h às 12h, e será transmitido ao vivo pela página Cofecon Economia, no Facebook (www.facebook.com/cofeconeconomia/). O conselheiro federal Róridan Duarte será o mediador da discussão.

Gabriel Leal de Barros é diretor da Instituição Fiscal Independente do Senado Federal, economista e pós-graduado em Finanças pela UFF. É mestrando em Economia e Finanças pela EPGE/FGV. Foi Pesquisador de Crédito e Finanças Públicas na FGV/IBRE, responsável pelas seções dedicadas à análise fiscal do boletim macroeconômico. Trabalhou no departamento econômico do Banco BTG Pactual. Possui especialidade na áreas de macroeconomia e política fiscal, tendo publicado artigos e estudos dessa natureza na imprensa. 

Pedro Garrido da Costa Lima é consultor legislativo na Câmara dos Deputados e conselheiro do Conselho Regional de Economia do Distrito Federal (Corecon-DF). Economista pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, mestre em Economia pela Universidade Federal Fluminense e doutor em Economia pela Universidade de Brasília.

Debate – Política Fiscal

Data: 02/12/2017 (sábado)

Horário: 9h às 12h

Local: Sede do Cofecon – Setor Comercial Sul, Quadra 02, Bloco B, sala 1201. Edifício Palácio do Comércio.

Transmissão ao vivo em facebook.com/cofeconeconomia

“O analfabetismo é uma boa métrica do nosso atraso”, afirma Garcia

abertura“Desenvolvimento econômico e políticas públicas" foi o tema do Economia em Pauta, realizado na última terça-feira, dia 21, na Sala Figueiras do Hotel Plaza São Rafael. O palestrante foi o economista e professor da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Felipe Garcia, e o moderador foi o diretor da Coletiva.net, Iraguassu Farias.

O encontro foi aberto pelo vice-presidente do Corecon-RS, economista Rogério Tolfo, que agradeceu a presença de todos e falou da importância do tema no contexto da economia brasileira.

mesa1
Felipe Garcia iniciou sua apresentação falando sobre os conceitos de desigualdade e demonstrou, através de gráficos, o comportamento da economia ao longo do tempo e seus determinantes de curto e longo prazos. Destacou a importância de um bom ambiente institucional, do bom nível de capital humano e das políticas públicas com fatores determinantes para o desempenho de longo prazo da economia. Disse que o problema da desigualdade no Brasil é consequência de uma histórica má distribuição de renda e de uma desigualdade brutal de oportunidades, com sérias repercussões sobre o desenvolvimento humano de grande parte de sua população, e que “as políticas públicas, se bem estruturadas e bem pensadas, podem trazer resultados extremamente satisfatórios para a sociedade porque atuam diretamente sobre as tendências de longo prazo da economia”. Explicou que as políticas públicas e programas sociais também podem atuar sobre o capital humano, ou seja, sobre a formação educacional e a qualidade de saúde das pessoas. Disse que o Brasil de hoje ainda carrega a má fama de ter um número absoluto expressivo de analfabetos, mais de 12,9 milhões de pessoas, o equivalente a 8% da população com 15 ou mais anos de idade. “Um indicador parecido com o de alguns países europeus do final do século XIX. É uma boa métrica do nosso atraso”, disse, lembrando das dificuldades de inserção dessas pessoas na realidade do mercado de trabalho. 

felipe1O economista citou o Programa Bolsa Família e o Programa Primeira Infância Melhor (PIM) como duas experiências muito importantes no Brasil, que, por sua amplitude e capacidade de atuação diretamente na redução da pobreza, possuem grande capacidade de promover redução das desigualdades ao longo do tempo. Lembrou que a primeira experiência de programa social com alguma semelhança ao Bolsa Família aconteceu no século passado, nos EUA, onde, batizado de Pensão da Mãe, era voltado a mães solteiras sem as contrapartidas educacionais que o Bolsa Família tem, mas que apresentou resultados extremamente satisfatórios ao longo do tempo, em termos de educação, saúde, salário, expectativa de vida e de desenvolvimento humano das crianças de famílias beneficiárias. Destacou os resultados positivos do Bolsa Família, como o baixo custo do programa, em torno de 0,5% do PIB, estímulo à frequência escolar e as sinergias com outros programas sociais como o Pronaf e o Saúde da Família. No entanto, alertou para a necessidade de monitoramento e avaliações constantes, já que há indícios de estimular a substituição de trabalho formal por informal. “O Bolsa Família, com sua cobertura expressiva da população, é uma iniciativa importante para a redução da desigualdade no país e é o primeiro programa que realmente conseguiu levar os recursos para as pessoas mais pobres do nosso país”, afirmou. Com relação ao PIM, disse que intervenções na primeira infância apresentam retornos positivos significativos ao longo da vida e que, focalizados em famílias pobres, reduzem as desigualdades futuras. Ressaltou que o programa está atendendo pessoas de vulnerabilidade social e chegando também, portanto, a pessoas realmente pobres.

Felipe Garcia concluiu sua apresentação dizendo que alguns estados da federação estão iniciando processos frequentes de monitoramento e avaliação de suas políticas públicas e que ainda tem esperanças na eficiência desses programas. “A boa política pública é aquela que não necessariamente tem grande orçamento e expressiva cobertura da população, mas sim aquela que consegue de fato modificar positivamente a vida das pessoas nas mais diversas dimensões do desenvolvimento humano”, finalizou.

iraguassu1O diretor da Coletiva.net, Iraguassu Farias, disse que, embora se esforçasse, seria muito difícil não transmitir mensagem de pessimismo diante do quadro atual vivenciado pelo país. Questionou o professor palestrante sobre como ter a certeza de que essas políticas públicas citadas em sua palestra teriam continuidade num quadro de ruptura política e de gestão partidária que o Brasil vem atravessando. Elencou algumas notícias recentes divulgadas pela imprensa que vêm demonstrando a distância existente com um processo de recuperação da economia. Citou a taxa de desemprego de 29,9% ente os jovens com idade de até 25 anos, o equivalente a um terço da população economicamente ativa, que demonstra a enorme dificuldade de inserção dos jovens no mercado de trabalho. “É uma taxa semelhante a de países em guerra constante, como o Líbano, ou de envolvidos com a pobreza e catástrofes naturais, como o Haiti”, lembrou, ressaltando que “o que quero dizer é que um país com esses índices de desemprego tem razão para se preocupar”. Lembrou, também, notícia recente sobre o destravamento das barreiras ambientais no Brasil para favorecer a exploração de pré-sal por parte de empresas inglesas, através da MP 795, que prevê isenções de impostos de importação para essas petroleiras. Disse que as isenções beiram os R$ 40 bilhões, o equivalente a 1,5 vezes o que se gasta com o Bolsa Família no Brasil. “E essas empresas ganharão duas vezes: no momento da instalação aqui e na hora da importação de produtos que elas mesmas fabricam lá fora. É um descalabro”, afirmou, o que revela “uma inversão institucionalizada das políticas públicas no Brasil”.

Iraguassu Farias finalizou sua apresentação lembrando, ainda, o tamanho da dívida fiscal brasileira, que beira os 73% do PIB. “Em pouco tempo poderemos chegar a 100% do PIB, com sérios riscos de quebradeira, não apenas de pequenos empresários, mas, também, de grandes empresas nacionais e, mesmo, de bancos. É muito difícil, portanto, fazer previsões otimistas nesse contexto em que se encontra a economia brasileira”, concluiu.

No final da palestra, foi servido um coquetel aos presentes, com a cortesia da Água Mineral Sarandi e Hotel Plaza São Rafael.

Também estiveram presentes nesta edição do Economia em Pauta o conselheiro do Corecon-RS, economista Aristóteles Galvão, e os ex-presidentes Lauro Renck e Leandro Lemos, atual Secretário de Desenvolvimento do município de Porto Alegre.

Corecon-RS divulga vencedores do concurso de vídeos sobre educação financeira

 

-  Numa parceria com Seduc e Banrisul, Concurso foi dirigido a alunos dos ensinos Fundamental e Médio
de escolas públicas e privadas do RS  -

Os estudantes Yasmin Vitoria Oliveira da Silva e Matheus Gustavo Freddi, da 5ª Série, da escola FEMA (Fundação Educacional Machado de Assis), de Santa Rosa, foram classificados em 1º Lugar, com o vídeo “Banco da Poupança”, no V Concurso de Educação Financeira, promovido pelo Conselho Regional de Economia do RS (Corecon-RS), em parceria com a Secretaria Estadual de Educação (Seduc) e com o apoio do Banrisul. O 2º Lugar ficou para o vídeo “Planejar para evoluir”, de autoria de Gisele Silveira de Oliveira e Ana Caroline Drabach Rosso, estudantes do Instituto Estadual de Educação Barão de Tramandaí, da cidade de Tramandaí. A 3ª colocação foi para o vídeo “A vida financeira do João”, de autoria das estudantes Tainá Fick Noschang e Verônica Temes Lunkes, da Escola Estadual de Educação Básica Leopoldo Ost, da cidade de Santo Cristo.

O Concurso foi dirigido a estudantes do Ensino Fundamental e Médio das escolas privadas e públicas do Rio Grande do Sul, com o objetivo de estimular e desenvolver a conscientização sobre a importância da economia e da educação financeira na vida do cidadão em nosso País. Para participarem, os estudantes produziram vídeos, com duração de um a três minutos, abordando a importância da “poupança”.

VÍDEOS VENCEDORES

1º lugar
BANCO DA POUPANÇA
Yasmin e Matheus
Santa Rosa

2º lugar
ECONOMIZAR PARA EVOLUIR
Gisele Oliveira e Ana Caroline
Tramandaí

3º lugar
A VIDA FINANCEIRA DO JOÃO
Tainá e Verônica
Santo Cristo

 

Assista aos vídeos vencedores do V Concurso de Educação Financeira

“Desenvolvimento econômico e políticas públicas” é o tema do Economia em Pauta, terça-feira, dia 21, no Plaza


“Desenvolvimento econômico e políticas públicas" é o tema da próxima edição do Economia em Pauta, que acontecerá na próxima terça-feira, dia 21 de novembro, às 18h30min, no Hotel Plaza São Rafael (Av. Alberto Bins, 514), numa promoção do Conselho Regional de Economia do RS (Corecon-RS). Os  palestrantes serão o economista e professor da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Felipe Garcia, e o diretor da Coletiva.Net, Iraguassu Farias.

Será fornecido um certificado de 2 horas complementares aos estudantes que participarem do evento.

No final do evento, será servido um coquetel aos presentes, com a cortesia da Água Mineral Sarandi e Hotel Plaza São Rafael.

Entrada gratuita!

Informações e reservas pelo fone (51) 3254.2608 ou pelo e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo..

 

Corecon-RS no III Fórum de Empreendedorismo e Inovação da Unicruz


A Universidade de Cruz Alta (Unicruz), em parceria com o Corecon-RS, promoveu, no último dia 16, o III Fórum de Empreendedorismo e Inovação. Organizado pela Agência Start, daquela Universidade, o evento contou com a palestra do economista Tiago Lemos, que abordou o “Perfil Empreendedor 4.0”. Lemos é especialista em Management 3.0, Lean Startup, Canvas, Consultor em Inovação Corporativa e em psicologia positiva e transnacional. Desenvolveu a primeira aceleradora do Sul do País e Avaliou mais de 500 modelos de negócios.

O vice-presidente do Corecon-RS, economista Rogério Tolfo, também esteve presente ao ato, que aconteceu no Miniauditório da Campus da Unicruz.

No final do evento, a coordenadora do projeto de extensão, Tamara Diverio lançou a página do Banco de Dados Regional, uma ferramenta de informações estatísticas socioeconômicas da região Corede Alto Jacuí.

 

Pagina 8 de 36