Encontram-se abertas inscrições para o 22º Congresso Brasileiro de Economia


O 22º Congresso Brasileiro de Economia (CBE), promovido pelo Cofecon e pelo Corecon-MG, é voltado para reflexão e debate sobre os principais aspectos que afetam a economia brasileira e mundial. O evento terá como tema “Desenvolvimento Econômico, Justiça Social e Democracia: Bases para um Brasil Contemporâneo”. Estarão presentes, além dos mais renomados economistas do país e de palestrantes internacionais, especialistas, autoridades governamentais, estudantes e representantes dos principais segmentos da economia e da sociedade civil em geral. Já estão confirmadas as presenças do economista argentino Roberto Frenkel (Professor Honorário da Universidade de Buenos Aires) e do norte-americano Jan Kregel (Diretor do Programa de Mestrado em Teoria Econômica no Levy Economics Institute dos EUA).

Inscrições no Site

As inscrições já estão abertas e podem ser feitas por meio do site do Congresso, onde os interessados encontrarão também todas as informações disponíveis, como programação e relação dos palestrantes. Confira as modalidades e os valores de inscrição no site do Congresso: www.cbe2017.com.br

A programação do encontro prevê a realização de 24 mesas, com cerca de 90 palestrantes, além de palestras magnas, diversas atividades culturais, premiações e homenagens. Os temas vão promover uma reflexão sobre os mais variados aspectos da economia brasileira e internacional.

Sessão especial pelos aniversários de “Princípios de Economia Política” e de “O Capital”

O Conselho Federal de Economia e a Associação Nacional dos Cursos de Graduação em Ciências Econômicas (ANGE) realizarão, durante o XXII Congresso Brasileiro de Economia (CBE), uma sessão especial em comemoração aos 200 anos da publicação da obra "Princípios de Economia Política" de David Ricardo e aos 150 anos de publicação da primeira edição do Livro I de "O Capital", de Karl Marx. Como forma de estimular a produção acadêmica, lançam o Concurso de Resenhas sobre os livros mencionados, com foco em estudantes de graduação em Ciências Econômicas. Os autores dos melhores trabalhos receberão menção honrosa durante o XXII CBE, com deslocamento e hospedagem pagos pelas entidades.

A dinâmica do Concurso funciona da seguinte forma: os estudantes escrevem uma resenha sobre um dos livros e a coordenação do curso de cada faculdade selecionará o melhor trabalho sobre cada obra. O coordenador fará a inscrição pelo site resenhas.cofecon.gov.br e submeterá os textos para avaliação do Cofecon e da ANGE, que, por meio de comissão avaliadora, escolherão a melhor análise sobre cada livro. As inscrições já estão abertas e seguem até o dia 31 de julho. O regulamento encontra-se disponível no mesmo site.

Abertas as inscrições para o 22º Enesul, em Curitiba


Economistas de grande notoriedade nacional estarão em Curitiba nos dias 28 e 29 de julho, para debaterem assuntos importantes da economia nacional e da região Sul, durante a 22ª edição do Encontro dos Economistas da Região Sul (Enesul), que acontecerá no auditório da FAE Business School. Voltado para economistas, estudantes dos cursos de economia e para a população em geral, o evento terá como tema principal “As perspectivas da economia brasileira sob a ótica da Região Sul”.

Ao todo, o evento contemplará quatro painéis, com temas sobre “Situação Econômica dos Estados do Sul e suas Perspectivas”, “Economia do Crime”, “O Economista no Mercado de Trabalho” e palestra com o presidente do Cofecon, economista Júlio Miragaya, que irá falar da Economia Nacional e sobre o Projeto Lei da reformulação da Profissão do Economista.

O Enesul é promovido anualmente, em sistema de rodízio entre os Conselhos Regionais de Economia do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, sempre abordando temas importantes relacionados ao desenvolvimento destes Estados.

As inscrições estão abertas e podem ser feitas através do link http://enesul.coreconpr.gov.br/

Economistas terão descontos nas anuidades em função da idade

O Corecon-RS está concedendo desconto de 80% do valor da anuidade aos economistas do sexo masculino, com idade superior a 70 anos, e às economistas do sexo feminino, com idade superior a 65 anos. A medida está prevista por Resolução do Corecon-RS, nº 385/2017, de 26 de abril de 2017, em atendimento à Resolução Nº 1.945, do Cofecon, que dispõe sobre o tratamento especial dispensado em função da idade, no Sistema Cofecon/Corecons.

Para terem direito às novas normas, os economistas devem atender aos seguintes requisitos:

- estar regularmente inscritos e quites com suas anuidades junto ao seu Conselho;

- ser, ou ter sido, detentor de registro profissional em um ou mais Conselhos Regionais de Economia, por no mínimo 15 (quinze) anos, consecutivos ou alternados;

- não ter tido as suas contas desaprovadas no exercício de administração sindical profissional ou de entidade de fiscalização do exercício da profissão;

- não estar cumprindo sanção disciplinar imposta pelo órgão fiscalizador do exercício profissional, ou tê-la cumprido há mais de 1 (um) ano, condição que poderá ser atendida mediante declaração do requerente, no próprio pedido, da qual se responsabilizará;

- estar em condição de regularidade, no que diz respeito ao pagamento das anuidades.

Obs: O processo somente será efetivado após a entrega de documentação por parte do economista, e deferimento em Plenária no que diz respeito ao pagamento da anuidade.

INSTRUÇÕES PARA TRATAMENTO ESPECIAL POR IDADE

FORMULARIO PEDIDO DE TRATAMENTO ESPECIAL POR IDADE

Prazo para empresas se cadastrarem junto ao BNDES vai até final de maio

 

O Corecon-RS informa que o prazo para cadastramento de consultorias junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES) se estenderá até o final deste mês de maio. O Banco está solicitando, via Cofecon, levantamento de empresas de consultoria prestadoras de serviços de avaliação patrimonial de ações e debêntures, com base em valor presente (avaliação financeira).

O objetivo é estabelecer um rol de possíveis fornecedores dos serviços, caso demandados. Paralelamente, configura oportunidade de abertura de mercado no campo profissional dos economistas.

Aos interessados, favor confirmar pelo e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo., aos cuidados de Michelle Gomes, a possibilidade de fornecermos nome e CNPJ ao BNDES. Outras informações podem ser adquiridas pelo telefone (51) 32542603.

Ciclo de Debates da FCE/UFRGS abordará política e economia


A Faculdade de Ciências Econômicas da UFRGS promove, na próxima terça-feira, dia 30, às 8h30min, no auditório da FCE (Av. João Pessoa, 52, 3º andar), o I Fórum de Debates FCE, ciclo de debates com oficinas temáticas. Participarão palestrantes de expressão, que abordarão economia e política brasileira e internacional.

Maiores informações pelo site https://www.ufrgs.br/fce/i-forum-da-fce/ ou pelos fones (51) 33083502 / 33083467

Desenvolvimento da região Sul foi tema de palestra promovida pela Aeconsul

 

aeconsul


A Associação dos Economistas da Zona Sul do Estado do RS (Aeconsul) promoveu palestra, no dia 18 último, no Auditório da Associação Comercial de Pelotas, com o secretário de Desenvolvimento e Turismo do Município. Fernando Estima falou sobre o desenvolvimento da região, com foco no Pólo Tecnológico de Pelotas. O evento contou com a participação de 150 estudantes de Economia e de Administração da UCPel, UFPel e da FURG.

Darcy: “Estão fazendo alquimia financeira, que transforma um enorme déficit em superávit”

 

“Mitos e verdades da Previdência” foi o tema da última edição do Economia em Pauta, ocorrido no dia 16 de maio, no Hotel Plaza São Rafael. Participaram o especialista em finanças públicas e conselheiro do Corecon-RS, economista Darcy Francisco Carvalho dos Santos, e oco-fundador do blog Spotniks.com, Felippe Hermes.

O evento foi aberto pelo vice-presidente do Corecon-RS, economista Rogério Tolfo, que justificou a ausência do presidente Clovis Meurer e agradeceu a participação dos palestrantes e a presença da plateia. Tolfo falou sobre a importância da discussão do tema, especialmente neste momento em que o País busca alternativas mais eficientes para reencontrar o desenvolvimento e o crescimento econômico a partir das reformas que se encontram à análise do Congresso Nacional, entre elas a da Previdência.

darcy1

O economista Darcy Carvalho dos Santos iniciou sua apresentação dizendo que, dentro do tema central do encontro, que os “Mitos e verdades da Previdência”, irá comprovar através de números que “essa história de não ter déficit na Previdência e na Seguridade Social não passa de uma grande mentira. Estão fazendo uma alquimia financeira que transforma um enorme déficit em superávit”, alertou. Disse que, no Brasil, a Previdência é um grande problema para as contas públicas, e de difícil solução, em função das implicações sociais que envolvem. Explicou através de gráficos que o déficit total no Regime Geral da Previdência, integrado pelos planos urbano e rural é de R$ 149,7 bilhões. Já, no regime dos servidores públicos, composto pelos planos federal, estados e, também, dos municípios, chega a R$ 155,6 bilhões, perfazendo um déficit total, no ano de 2016, da ordem de R$ 305,3 bilhões. Comparou o valor médio dos benefícios previdenciários do Regime Geral da Previdência (INSS) com o Regime de Previdência dos Servidores Públicos, denominado Regime Próprio de Previdência Social (RPPS). Através de gráficos, explicou que enquanto o INSS teve uma despesa de R$ 85,8 milhões em 2015 para distribuir o valor médio de R$ 2.624,28 a cada um de seus 32.701.562 beneficiários, o RPPS consumiu R$ 72,5 milhões, para distribuir a cada um de seus 1.031.375 segurados, o valor médio de R$ 70.309,05l. “Trata-se de uma das distorções mais absurdas existentes entre o regime próprio e o federal”, afirmou, lembrando que o grande problema do regime do servidor público é a transição, que, para ele, somente se modificará nos anos 2030. Falou, ainda, sobre o crescimento do déficit do INSS, que passou de R$ 85,8 milhões em 2015 para R$ 149,7 milhões em 2016, uma variação de 74,5%, ocorrida em função da crise econômica enfrentada pelo país no período, e também por problemas estruturais. Lembrou que a Previdência Geral é explosiva porque ela cresce de 3% a 4% sobre o crescimento vegetativo, que é o movimento das pessoas em direção à aposentadoria. “Enquanto a receita do INSS cresceu nominalmente 2,2%, a despesa aumentou 16,5%”, explicou.

O economista abordou, ainda, a questão das contribuições sociais, os números da seguridade social, a composição dos devedores da Previdência Social e o processo de cálculo da expectativa de sobrevida aos 65 anos de idade. Apresentou gráficos comparativos sobre o RPPS dos estados, e abordou a situação da previdência no Rio Grande do Sul, com foco aos casos das aposentadorias especiais. Concluiu sua apresentação dizendo que, “independente do que contiver ou for alterado na proposta de reforma que tramita no Congresso, é fundamental que se observe o aumento das idades mínimas e o tempo de contribuição, assim como a inclusão dos militares e de policiais civis no projeto de reforma”.

felippeFelippe Hermes, que também é graduando em Economia pela Universidade Federal do Ceará (UFC) e fundador do Grupo de Estudos Dragão do Mar, fez uma breve apresentação do blog Spotniks.com e explicou que a preocupação do blog é levar ao público jovem notícias de economia, política e de geral num formato mais simples, de fácil compreensão. Disse que são nos momentos de crise, em que a economia vai muito mal, é que são feitas as maiores reformas brasileiras, como o caso do Plano Real, PEC dos Gastos, entre outras. Lembrou que o Rio Grande do Sul gasta mais com aposentadorias do que com educação e saúde somadas. “Isso quer dizer que o estado está fazendo a escolha política de privilegiar determinados grupos de funcionários em detrimento de todo o resto da população”, disse.

O fundador do Spotniks.com lembrou, ainda, que metade dos gastos da previdência, em torno de R$ 300 bilhões, é utilizado para pagamento de funcionários públicos nas três esferas de governo, união, estado e município, o equivalente a três milhões de pessoas aposentadas no serviço público contra 30 milhões de aposentados na previdência. E que cerca de 1% dos beneficiários da previdência, o equivalente a 310 mil pessoas, num total de 30 milhões de aposentados e pensionistas, recebem 15% da renda total da previdência, ou R$ 70 bilhões. “Ou seja, os 50% mais pobres, cerca de 15 milhões de pessoas, recebem 13% do que é gasto pela previdência. Ou seja, 1% recebendo em media 50 vezes mais do que a metade mais pobre. “O que é uma absurda distorção entre a população em geral, que recebe salário mínimo e esse pequeno número de aposentado pelo serviço público”, complementou.
No final do evento foi servido um coquetel aos presentes, com a cortesia da Água Mineral Sarandi, Vinícola Laurentia, Car House e Hotel Plaza São Rafael.

Além do vice-presidente Rogério Tolfo, estiveram presentes nesta edição do Economia em Pauta os conselheiros Aristóteles Galvão, Bruno Breyer Caldas, Guilherme Stein e Jorge Melo, os ex-presidentes Fernando Ferrari Filho e Lauro Renck, o ex-vice-presidente Carlos Abel e o ex-conselheiro Vladimir da Costa Alves.

BAIXE O CONTEÚDO DA APRESENTAÇÃO 

apoiadores ep 2017

Obra "Economia da Ciência, Tecnologia e Inovação" é lançada pela Unisinos

 

unisinosA professora do PPG em Economia da Unisinos, Janaina Ruffoni, integra o grupo de pesquisadores que lançaram o livro “Economia da Ciência, Tecnologia e Inovação – Fundamentos Teóricos e a Economia Global”.

Juntamente com as professoras Gisele Spricigo e Aurélia Melo, dividem o capítulo que trata do papel da universidade em sistemas de inovação. Para as autoras, a universidade é compreendida como um importante ator no processo de geração e transmissão de conhecimentos e inovações, e o capítulo busca compreender como esta instituição constrói este papel ao longo do tempo, desde o seu surgimento. Essa é uma das linhas de pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Economia, que está com inscrições abertas.

Confira em http://www.unisinos.br/ppg

 

Lançamento da Campanha pela Redução da Desigualdade Social no Brasil reuniu mais de 300 pessoas

 

Realizado na quinta-feira, 11 de maio, na Câmara dos Deputados, o ato de lançamento da Campanha Pela Redução da Desigualdade Social no Brasil reuniu cerca de 320 pessoas e lotou o auditório Nereu Ramos. O evento contou com a presença de 12 parlamentares de cinco partidos diferentes (PT, PSB, Rede, PSOL e PCdoB), além de 30 dirigentes de entidades nacionais e algumas locais.

O ato teve início com a leitura do manifesto do Fórum Nacional Pela Redução da Desigualdade Social, realizada pelo presidente do Cofecon, Júlio Miragaya. Em seguida, vários parlamentares subiram ao púlpito para falar sobre o assunto e expressar apoio à Campanha.

Júlio Miragaya afirmou que a luta pela desigualdade “é uma ansiedade do povo brasileiro, que quer uma sociedade melhor e mais justa. Temos a convicção de que levaremos ao povo esta sensibilização, que passaremos um projeto de um novo modelo tributário em que os ricos paguem impostos e que os trabalhadores sejam aliviados”, observou.

Nos próximos 90 dias, o Fórum Nacional pela Redução da Desigualdade Social receberá propostas para incorporar a um projeto de iniciativa popular para apresentar ao Congresso Nacional. No hotsite da Campanha na internet há um espaço para enviar sugestões, que pode ser acessado em: http://campanha.cofecon.org.br/consulta.html

 

 

Economia da Unisinos abre inscrições para Mestrado

 

Encontram-se abertas, até o dia 12 de junho próximo, as inscrições para o processo seletivo do Mestrado Acadêmico em Economia da Unisinos. Com área de concentração em Organização Industrial e Economia Internacional, o curso prevê as linhas de pesquisa sobre Inovação e Aglomerados Produtivos Locais e Integração Econômica Internacional.

Maiores informações e inscrições em http://www.unisinos.br/mestrado-e-doutorado/economia/presencial/sao-leopoldo

Pagina 6 de 27