Conselheiro do Corecon-RS fala no "Café com Economia", da Aeconsul

O conselheiro do Corecon-RS, economista João Carlos Madail, será o palestrante da próxima edição do Café com Economia, promovido pela Associação dos Economistas da Região Sul do RS (Aeconsul). Madail abordará o modelo de gestão do Clube Brilhante, de Pelotas, no dia 4 de abril, às 10 horas, na Sala de reuniões do Clube Brilhante (Acesso pela Rua Pinto Bandeira).

Maiores informações pelo telefone (53) 32259425 ou e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Seminário da PPGE/UnisinosPoA terá transmissão ao vivo pela Internet

 

O Programa de Pós-Graduação em Economia da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (PPGE/Unisinos) está iniciando um novo momento de sua trajetória, que teve início em 2006, que é a sua nova localização no Campus Porto Alegre.

Com o intuito de contribuir ainda mais para o debate de questões relacionadas à organização industrial, à competitividade de setores e aglomerados produtivos locais e ao processo de integração internacional (formação de blocos econômicos e acordos multilaterais), o Seminário de Pesquisa do PPGE passará a ter transmissão ao vivo a partir deste ano.

Seminário de Pesquisa/PPGE/Unisinos

Palestrante:
Verónica Robert
(Centro de Estudios Económicos del Desarrollo da Universidad Nacional de San Martín, Argentina)
Tema:
“Productive structure, technology, and economic development: network and clustering analysis”

Data:
23/03/2018
Horário:
Das 16h30 às 17h30
Local:
Sala 316 | Campus Unisinos 
Av. Nilo Peçanha, 1600 - Porto Alegre

Transmissão ao vivo:
https://youtu.be/tK0UHhLyIfA

 

Economistas Tolfo e Meneghetti assumem no Conselho do TART

 

Os economistas Rogério Vianna Tolfo e Alfredo Meneghetti Neto assumiram, na tarde da última quarta-feira, dia 14, no Conselho da Primeira Câmara do Tribunal Administrativo de Recursos Tributários da Prefeitura de Porto Alegre (TART).  Tolfo, que assume na condição de titular, e Meneghetti, na suplência, tiveram seus nomes escolhidos para ocuparem a vaga do Corecon-RS durante a reunião-plenária N° 1492, ocorrida em 20 de novembro de 2017. Eles assumem para mandato de dois anos, de 14 de março de 2018 a 14 de março de 2020.

meneghetti

Presente à solenidade, o secretário Municipal da Fazenda economista Leonardo Busatto lembrou que o TART “é referência nacional, em eficiência e transparência, pelas suas ações sempre voltadas ao interesse da sociedade”. O presidente do Tribunal, Giovani Lucas de Aguiar, parabenizou os novos conselheiros e ressaltou a importância da função, com “os desafios que envolvem ética, legalidade, ndependência, imparcialidade e espírito coletivo”.

O TART é o órgão de decisão administrativa, em segunda instância, sobre questões de natureza tributária envolvendo o Município de Porto Alegre e seus contribuintes. Instalado no dia 14 de março de 2006, é integrado por 14 conselheiros, sendo oito servidores municipais e seis representantes de entidades da sociedade, constituindo-se num centro de decisões da correta aplicação da legislação tributária municipal com a participação ativa da sociedade. O Tribunal atua por meio do plenário ou de suas duas câmaras, sendo que compete à Primeira Câmara os recursos referentes ao ISSQN e à segunda, os recursos referentes ao IPTU e ao ITBI.

UFRGS recebe economistas para o Corecon Acadêmico

abertura

O Corecon-RS, em parceria com a consultoria econômica Equilíbrio, da UFRGS, promoveu, no dia 13 de março último, a primeira edição do ano do Corecon Acadêmico, que abordou as “Perspectivas do economista”. O evento aconteceu no Auditório da Faculdade de Ciências Econômicas da Universidade e contou com a participação dos economistas Fabiano Almeida (economista-perito), Leonardo Busatto (Secretário Municipal da Fazenda de Porto Alegre), Patrícia Palermo (Economista-Chefe da Fecomércio-RS), Róber Ávila (professor de Economia UFRGS) e Tiago Lemos (consultor empresarial). O encontro teve a mediação do presidente da Equilíbrio/UFRGS e estudante do quinto semestre de Economia da FCE, Sérgio Pestana.

fabiano1O economista-perito Fabiano Almeida falou sobre o início de sua carreira como professor de cursos técnicos no Senac, que, apesar de nunca ter imaginado que entraria para a docência, considera o seu grande desafio por ter sido a primeira oportunidade de utilizar a bagagem da faculdade e transmiti-la a outras pessoas. A convite, resolveu trabalhar em perícias nas áreas trabalhista e cível, conciliando a nova atividade com a docência. Falou, ainda, das diversas áreas da perícia e da importância da atividade no apoio técnico da solução de conflitos judiciais. “Trata-se de um mercado muito amplo, com uma atividade prática, onde se chega ao resultado assim que conclui o trabalho”. Disse, ainda, que os conhecimentos adquiridos na faculdade abrem um leque muito amplo, “mas o mais importante é a forma como o profissional se mostra ao mercado”.


roberO professor da UFRGS, economista Róber Ávila Iturriet, disse que sempre gostou de estudar e, ainda bem jovem, passou em concurso do Banco do Brasil. Depois de se graduar, durante o mestrado, iniciou sua carreira docente na Universidade Federal de Rio Grande (FURG) e, mais tarde, durante o doutorado, começou a ministrar aulas também da Universidade de Caxias do Sul (UCS). Fez concurso para a FEE, onde atuou por cinco anos, e com sua extinção, prestou concurso na UFRGS onde leciona atualmente. Disse que, apesar de nunca ter imaginado que seguiria a carreira docente, hoje sabe que por mais que se estude, o conhecimento se torna inesgotável e, mesmo, insuficiente. “Cada vez que se estuda, vai-se compreendendo melhor a economia, suas áreas próximas, e a própria realidade”, afirmou, lembrando que o curso proporciona uma visão da realidade muito diferenciada em relação a outras profissões, o que lhe abriu os horizontes para diversas oportunidades de emprego nos setores público e privado. “Nerds de plantão: vale à pena estudar! Leiam muito e sempre!”, alertou.

patricia

A Economista-Chefe da Fecomércio-RS, Patrícia Palermo, lembrou que teve origens muito humildes e que a entrada para a faculdade foi um marco na sua vida e de sua família. Como muitos jovens, a escolha da profissão foi pautada por um conteúdo em que se destacava no colégio, o que a fez se inscrever para o curso de Farmácia. Mesmo passando em quinto lugar no vestibular e registrando notas altas nas disciplinas, disse que não se sentia à vontade no curso, o que a levou a cancelar a matrícula um ano e meio depois, partindo, em seguida, para a economia. Ressaltou que a matemática e o modo lógico de processar o funcionamento das escolhas, proposto pelas ciências econômicas, a fizeram sentir-se rapidamente atraída pelo novo curso. Patrícia destacou que o curso de economia possibilitava a ela o exercício de uma habilidade em que se destacava, que é a capacidade de comunicar-se de forma clara, didática e objetiva. “Existe um desafio muito grande para os economistas, que é falar uma linguagem que as pessoas possam entender. A sociedade deseja informação, e, mais que isso, anseia por entender o que está sendo informado”, ressaltou. Abordou sobre sua trajetória estudantil, ressaltando a participação no Programa de Iniciação Científica. Comentou, também, sobre o Salão de Iniciação Científica da UFRGS, em que ganhou por duas vezes consecutivas o Prêmio Jovem Pesquisador da UFRGS. Falou aos estudantes sobre a importância de valorizar a prova do Enade, explicando que recebeu a sua primeira proposta de emprego da ESPM em virtude do seu resultado no antigo Provão do MEC. Ainda, durante o mestrado, foi chamada para uma vaga de economista na Fiergs, onde entrou como quarta economista até chegar à segunda na hierarquia do setor, de onde foi chamada, sete anos depois, para assumir o cargo de Economista-Chefe da Fecomércio-RS. “Esforcem-se porque, a partir daí as coisas boas começam a acontecer. Não interessa o que vocês façam, façam da melhor maneira possível, sempre!”, sugeriu. “Aprendam línguas, programação e comuniquem-se bem, na fala e na escrita!”, disse. Por fim, deu um conselho: “Cuidem como vocês se posicionam nas redes sociais porque elas são o seu cartão de visitas!”. Além de suas atividades como Economista-Chefe na Fecomércio-RS desde 2011, Patrícia ministra aulas na ESPM e na Faculdade São Francisco de Assis, atuando em ambas há quase 15 anos. Desde 2013 faz parte da equipe de professores da Pós-Graduação da Uniritter. Em 2016, foi eleita Economista do Ano pelo Corecon-RS.

busatto

Aos 17 anos de idade, orientado por um teste vocacional na Faculdade de Psicologia, o então secundarista Leonardo Busatto deixou de lado sua paixão por geografia e pela matemática da engenharia, para, motivado pela inquietação, buscar na Economia a porta de entrada na universidade. Iniciou na UFRGS em 2001, mas somente passou a se sentir atraído pelo Curso meses depois, com o contato com matérias mais específicas. Disse que, mesmo que não se utilize alguns temas durante a vida profissional, o Curso proporciona “uma base lógica para entender os aspectos sociais e econômicos do mundo”. Ressaltou que nunca foi considerado um nerd, mas que aprendeu cedo a distinguir os momentos do estudo e das festas. Disse que foi sugestionado por dois professores que foi prestar as provas para o concurso da Secretaria Estadual da Fazenda, onde é auditor-fiscal. E foi justamente no setor público, que se deparou com uma nova realidade, que foi a carência de economistas, em detrimento de engenheiros, contadores, administradores, entre outros. “Infelizmente, na faculdade, nos tornamos teóricos de mais e práticos de menos”, disse, fazendo um apelo para que os economistas façam concursos para as áreas públicas. “O setor público hoje toma decisões embasadas em achismos, com poucas amostras de evidências”, disse, lembrando que política pública se decide com dados quantitativos, com econometria, com análises substanciais, o que está em falta no Brasil. “Nós precisamos ocupar os espaços, que são nossos, seja nos ministérios ou nas secretarias estaduais e municipais”, alertou, deixando mais uma sugestão: “Aprendam idiomas e informática, e olhem a faculdade de maneira cada vez mais transversal”.

tiago1O consultor empresarial Tiago Lemos iniciou sua exposição dizendo que aos 16 de idade, antes de entrar na faculdade, as tentativas de empreender já lhe proporcionava vencimentos mensais mais altos que o do seu próprio pai. Só que seu negócio de importação de gramados sintéticos para campos de futebol sete, uma novidade da época, quebrou, e menos de dois anos depois, já na faculdade, era estagiário da FEE. Lemos, que criou a primeira aceleradora startup do sul do País, atua com investimentos em diversas empresas de tecnologia, além de sua empresa de consultoria de administração aberta que trabalha para grandes corporações, como Serasa, Porto Seguro, entre outras. Disse que, apesar de ter sido um péssimo estudante de economia, o Curso lhe proporcionou a perspectiva de buscar análises mais claras sobre o mercado, como, por exemplo, a forma de estabelecer um plano de negócios ou a compreensão da taxa de retorno na compra e venda de empresas.ão se preocupem, porque os seus futuros serão construídos ao longo de suas caminhadas”, disse aos estudantes, lembrando que “o conhecimento está disponível para aquele que realmente quer apender e, com isso, realizar”. Afirmou que sempre foi inquieto e sentia a necessidade de estudar e aprender sobre o que achava interessante e, por isso, hoje, investe mais em pessoas que têm capacidade e vontade de aprender e buscar soluções, que propriamente em empresas. “Segue o seu caminho, independentemente de a nota ter sido boa ou não. O que importa é o esforço e a dedicação”, acrescentou. Lembrou a plateia, ainda, que as pessoas têm que ganhar dinheiro e gerar emprego. Para isso, “vamos fazendo, errando e aprendendo. Mas, se errarmos, erremos rápido e barato”, finalizou.

Coordenado pelo conselheiro do Corecon-RS, economista perito Aristóteles Galvão, o Corecon Acadêmico é desenvolvido junto às universidades do RS com o objetivo de oportunizar aos estudantes dos cursos de Ciências Econômicas experiências de profissionais de diversos áreas da economia no mercado de trabalho. “Queremos discutir com os estudantes, de forma clara e transparente, a realidade que envolve o papel do economista na sociedade, desde sua opção no vestibular, suas dificuldades e conquistas no mundo acadêmico, até as vivências atuais no mundo profissional”, explicou Galvão.

auditorio

Também estiveram presentes no evento o presidente do Corecon-RS, economista Rogerio Tolfo, o ex-presidente, economista Lauro Renck, e o ex-conselheiro da Entidade, economista Vladimir Alves.

Fadergs abre inscrições para cursos de pós graduação

Cursos de Pós Graduação do Centro Universitário Fadergs.

Desconto 60% na matrícula ( 1ª mensalidade). Pagará R$192,80

Desconto 40% a partir da 2ª mensalidade até o final sempre que pagar em dia. Pagará R$ 289,20 ( desconto para matrículas realizadas em março/2018)

MBA EM PERICIA JUDICIAL E EXTRAJUDICIAL 10ªEdição ( turma terças e quintas)

MBA EM PERICIA JUDICIAL E EXTRA JUDICIAL 11ª Edição (turma sexta e sábado)

https://www.fadergs.edu.br/pos-graduacao/mba-em-pericia-judicial-e-extrajudicial

MBA EM CONTROLADORIA ESTRATÉGICA 9ª Edição ( turma sexta e sábado)

https://www.fadergs.edu.br/pos-graduacao/mba-em-controladoria-estrategica

MBA EM GESTÃO ESTRATÉGICA DE TRIBUTOS E PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO 6ª Edição (turma sexta e sábado)

https://www.fadergs.edu.br/pos-graduacao/mba-em-gestao-estrategica-de-tributos-e-planejamento-tributario

MBA EM ESTRATÉGIAS DE NEGÓCIOS COM ÊNFASE EM GOVERNANÇA, RISCOS E COMPLIANCE 2ª edição

HTTPS://WWW.FADERGS.EDU.BR/POS-GRADUACAO/MBA-EM-ESTRATEGIAS-DE-NEGOCIOS-COM-ENFASE-EM-GOVERNANCA-RISCOS-E-COMPLIANCE

MBA EM GESTÃO EMPREENDEDORA DO TERCEIRO SETOR 1ª EDIÇÃO

HTTPS://WWW.FADERGS.EDU.BR/POS-GRADUACAO/MBA-EM-GESTAO-EMPREENDEDORA-DO-TERCEIRO-SETOR

MBA EM GESTÃO FISCAL E PÚBLICA COM FOCO EM CARREIRA PÚBLICA - PREPARATÓRIO PARA CONCURSO PÚBLICO 1ª edição

https://www.fadergs.edu.br/pos-graduacao/mba-em-gestao-fiscal-e-publica-com-foco-em-carreira-publica-preparatorio-para-concurso-publico

MBA EM GESTÃO PÚBLICA ESTRATÉGICA 1ª edição

https://www.fadergs.edu.br/pos-graduacao/mba-em-gestao-publica-estrategica

Maiores informações pelo e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Abertas inscrições para mais uma edição do Prêmio Brasil de Economia

O Cofecon abriu as inscrições para o XXIV Prêmio Brasil de Economia. São cinco categorias que contemplam vários níveis de conhecimento, com prêmios de até R$ 8 mil. O objetivo do Prêmio é incentivar a investigação econômica em geral e estimular economistas e estudantes de economia a desenvolverem pesquisas voltadas para o conhecimento da realidade brasileira.

Maiores informações e inscrições em http://pbe.cofecon.gov.br/

IBEF-RS e Apimec-Sul promovem 3ª Edição do Programa de Mentoring 2018



O IBEF-RS, em conjunto com a Apimec-Sul, promovem a 3ª edição do Programa de Mentoring 2018. O programa tem por objetivo aproximar estudantes e executivos com expertise nas áreas pertinentes ao mercado financeiro. Dessa forma, os jovens poderão obter aconselhamento sobre carreira, desenvolvimento técnico e pessoal, empreendedorismo, bem como orientações para enfrentar os desafios atinentes aos profissionais de finanças. Esta proximidade dos jovens com os executivos deverá também proporcionar diversas oportunidades de trabalho e estágio, fundamentais para o desenvolvimento profissional.

Nos encontros One a One os participantes poderão conversar individualmente de maneira próxima e descontraída com os mentores escolhidos. A cada encontro será explorado um tema base, com possibilidade de ampliação da abordagem conforme as necessidades dos mentorados. Os mentores são profissionais recrutados nos quadros de associados do IBEF-RS e da Apimec-Sul, e tem como requisito a sólida e notável trajetória na área financeira e empresarial.

Para participar do Programa de Mentoring 2018 é preciso ser estudante de graduação, ter idade máxima de 30 anos, ser sócio universitário/associado jovem da Apimec-Sus ou do IBEF-RS.

As vagas são limitadas. As inscrições poderão ser realizadas até 29 de março 2018.

Mentores confirmados: Ademar Schardong, Altair Toledo, Carlos de Azevedo Muller, Clóvis Meurer, Cristiano Seguecio, Frederico Vontobel, Ivanor de Oliveira Torres, Jorge Luiz Daniel Weiler, José Eduardo Zdanowicz, José Júnior de Oliveira, Marcos Fritzen, Nei De Lellis Jr, Patrick Victor Lee, Rafael Dalla Coletta, Santiago Gottschall, Valter Bianchi Filho e Zulmir Três.

Para participar do Programa de Mentoring 2018, entre em contato com Eva Cavalheiro (IBEF-RS), pelo telefone (51) 3225-4459 ou pelo e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. ou com Patrícia Tong (Apimec-Sul), pelo telefone (51) 3224 3121 ou pelo e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

UFRGS sediará primeira edição do Corecon Acadêmico 2018


 

O Corecon-RS e a consultoria econômica Equilíbrio promovem a primeira edição do ano do Corecon Acadêmico, que abordará as “Perspectivas do economista”. Será no dia 13 de março próximo (terça-feira), às 18h30min, no Auditório da Faculdade de Ciências Econômicas da UFRGS (Av. João Pessoa, 52 - Porto Alegre).

Participarão os economistas Róber Ávila (professor de Economia UFRGS), Patrícia Palermo (Economista-Chefe do Sistema Fecomércio-RS), Tiago Lemos (consultor empresarial), Fabiano Almeida (economista-perito) e Leonardo Busatto (Secretário Municipal da Fazenda de Porto Alegre).

Maiores informações pelo e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. ou pelo fone (51) 32542600.

Economistas Rogério Tolfo e Alfredo Meneghetti indicados para o TART


alfredo meneghettiOs economistas Rogério Vianna Tolfo e Alfredo Meneghetti Neto foram indicados pelo Corecon-RS para ocuparem assento no Conselho da Primeira Câmara do Tribunal Administrativo de Recursos Tributários da Prefeitura de Porto Alegre (TART). Os nomes de Tolfo, que assume na condição de titular, e de Meneghetti, na suplência, foram escolhidos na reunião-plenária N° 1492, ocorrida em 20 de novembro de 2017. Eles assumem para mandato de dois anos, de 14 de março de 2018 a 14 de março de 2020.


O Tribunal é o órgão de decisão administrativa, em segunda instância, sobre questões de natureza tributária envolvendo o Município de Porto Alegre e seus contribuintes.

Instalado no dia 14 de março de 2006, o TART é integrado por 14 conselheiros, sendo oito servidores municipais e seis representantes de entidades da sociedade, constituindo-se num centro de decisões da correta aplicação da legislação tributária municipal com a participação ativa da sociedade. O Tribunal atua por meio do plenário ou de suas duas câmaras, sendo que compete à Primeira Câmara os recursos referentes ao ISSQN e à segunda, os recursos referentes ao IPTU e ao ITBI.

Desoneração da folha de pagamento foi tema de palestra da Aeconsul

 

A Associação dos Economistas da Região Sul do RS (Aeconsul) promoveu, no dia 28 de fevereiro último, na sede da Entidade, em Pelotas, mais uma edição do "Café com Economia", que contou com a palestra com o professor do Departamento de Economia da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) e coordenador do Mestrado em Economia (PPGOM) da Universidade, Felipe Garcia. O evento aconteceu na sede da Associação dos Municípios da Zona Sul (Azonasul), em Pelotas.

O economista, que também é conselheiro do Corecon-RS, falou sobre “Desoneração da Folha de Pagamento”, tema de estudo que produziu, junto com os pesquisadores do Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (IPEA), Adolfo Sachsida e Alexandre Ywata de Carvalho, que avaliou os impactos da desoneração da folha de pagamento, política implementada no País em 2011. O trabalho, que teve muita repercussão na imprensa do centro do País, concluiu que a política do governo Dilma não atingiu o propósito, que era a geração de novas vagas de emprego, pois os empresários optaram por incorporar os benefícios aos lucros das empresas. Ao abordar o estudo, a Revista Exame publicou recentemente que, segundo cálculos da Receita Federal, o custo total da renúncia para os cofres públicos chegou a R$ 77,9 bilhões entre 2012 e 2016, 

 

Pagina 5 de 36