Empreendedorismo foi o tema do Corecon Acadêmico

 

O auditório da Faculdade de Desenvolvimento do RS (Fadergs), em Porto Alegre, sediou mais uma edição do Corecon Acadêmico. Numa promoção do Corecon/RS, com o apoio da Fadergs, esta edição do encontro teve como foco “O Economista Empreendedor” e contou com a participação dos economistas Artur de Castro Frischenbruder, CEO da Kynos Technologies, e Tiago Lemos, co-fundador e diretor de Operações da Ventiur, a aluna Michely Francy e a presidente do Corecon/RS, economista Simone Magalhães. O evento contou com a mediação do jornalista e coordenador do Curso de Comunicação da Fadergs, Ricardo Carneiro da Cunha.

Ricardo Cunha abriu esta edição do Corecon Acadêmico falando sobre a importância do evento e disse que se trata de uma grande oportunidade para os estudantes ouvirem os relatos sobre experiências de empreendedorismo sob o enfoque da Economia. Lembrou que, ao contrário de duas ou três décadas atrás, quando as empresas buscavam o recém formado praticamente dentro da universidade, atualmente o novo profissional tem que buscar um mercado, que “pode até ser chamado de alternativo, ou pelo menos distante do que se tinha há anos atrás como um mercado de trabalho mais padrão, como o setor público, bancos, entre outros”.

asimoneA presidente do Corecon/RS iniciou sua fala ressaltando a importância desse tipo de encontro e a necessidade de se quebrar paradigmas, especialmente com relação ao fato de se pensar que ao entrar no curso de Economia terá que seguir, depois, carreira no serviço público. “E esse é um paradigma que estamos conseguindo quebrar aos poucos, pois o economista tem um mercado de trabalho muito amplo, diverso e em constante evolução”, disse. Falou da necessidade de o estudante de Economia explorar o seu potencial ainda dentro da universidade, através da busca da pluralidade e da visão macro ofertadas pelo Curso. “Temos que desenvolver nossa capacidade de enxergar num simples objeto muito mais que a sua aparência e utilidade, mas todo o processo produtivo, a linha de montagem, que tem por trás daquele produto. Temos que desenvolver essa sensibilidade e mostrar ao mercado todo o potencial que o economista tem para oferecer”, completou. Simone Magalhães falou da economia criativa e citou o exemplo dos quatro parques tecnológicos existentes no entorno de Porto Alegre, “que se juntam à cidade para fazer essa aceleração dos processos de inovação”. Finalizou, dizendo que a crise gera oportunidades, “mas nós, economistas, temos que estar prontos para isso”.

alemosO economista Tiago Lemos explicou que entrou na UFRGS com 16 ou 17 anos e sempre teve o sonho de ser empreendedor. Abriu seu primeiro negócio com 17 anos de idade, a partir do que encontrava nos livros, mas que, apesar de funcionar com excelentes padrões de qualidade, não deu certo porque não entendia de gestão. Trabalhou na FEE, em bancos, no Sebrae e, sete anos depois, resolveu empreender novamente. “Aprendi que nem sempre que se constrói o melhor, tem-se a garantia de que se consegue manter os processos pré-organizados”, disse. Criou a Ventiur, que já investiu em 15 empresas e possui 50 investidores no Rio Grande do Sul e em outros estados brasileiros. A preocupação da Ventiur, hoje, é criar fundos de investimentos, analisar negócios de pequenas empresas que estão investindo no setor tecnológico, e fazer uma análise da equipe. Além disso, a Ventiur faz o smart-money, que ajuda e colabora com o crescimento das empresas, através do uso do network de seus investidores. Ressaltou a importância dos conceitos econômicos na compreensão dessas ações, mas disse que muito mais importante que isso é a multidisciplinaridade. “Independentemente do setor que estejas trabalhando ou estudando, tem que buscar conhecimentos que sejam transversais”. O economista disse, ainda, que a grande lição que vê no mundo do empreendedorismo são os valores, a essência, onde as pessoas desempenham suas atividades por amor. “Se o dinheiro tiver que vir, será por consequência”, afirmou, lembrando “com crise ou sem crise, o que faz realmente uma sociedade crescer são os empreendedores”.

aarturO economista Artur Frischenbruder explicou que começou a estudar a área quantitativa dentro do mercado de capitais durante três anos, quando passou a ser gestor de um fundo de investimentos. Lembrou que, naquela época, trabalhava, estudava estatística, matemática e ainda tinha que vender o fundo para alguns clientes, sentindo, logo em seguida, a necessidade de se aventurar mais. Foi quando, a partir de experiências para acalmar o seu cão beagle, passou a se interessar por um brinquedo que tivesse essa finalidade. Foi pesquisar o mercado e, depois de estudar o modelo americano de empreendedorismo, desenvolveu um projeto de brinquedo para pets, conseguiu um parceiro e investimentos, o que fez com que a empresa começasse a crescer. “Mais cedo ou mais tarde, a pessoa vai ter que ir para um cargo de inovação”, disse. “E, para quem quer abrir uma empresa, estude antes e teste bem o modelo de negócios, sem medo de errar. Este é o caminho”.

amichelyA estudante Michely Francy falou de seus sonhos quando adolescente e disse que, ao entrar na faculdade, seu grande objetivo era fazer um concurso para trabalhar em banco, mas que o tempo foi passando e foi, aos poucos, se colocando no mercado. “A gente entra com uma perspectiva de valor sobre as coisas, de buscar uma forma de fazer melhor aquilo que está sendo feito”, disse, lembrando que, após a conclusão de seu curso, sua meta é desenvolver sua atividade profissional na área privada, consciente de que “o mercado espera pelas pessoas que pensam, que tenham planejamento”.

A segunda edição do Corecon Acadêmico foi organizada pelo conselheiro do Corecon/RS, economista Aristóteles Galvão, e pela coordenadora do Curso de Ciências Econômicas da Fadergs, economista Cláudia Katherine Rodrigues. Participaram da plateia professores e estudantes da Faculdade.

 

Encontro dos Cursos 2017

 

Atenção, senhores Coordenadores de Cursos!

No dia 30 de outubro próximo expira o prazo para inscrever seu projeto para sediar o Encontro de Cursos 2017, que deverá acontecer no mês de maio. O projeto precisa explicitar a temática do evento e, mesmo depois de entregue o cronograma, ainda existe margem para eventuais alterações. Todas as faculdades podem encaminhar seus projetos, independentemente de já terem ou não sediado o evento.

Para o próximo ano, certamente teremos apoio para trazermos excelentes palestrantes.

Contamos com vocês e seus alunos para trazerem um projeto de excelência!

Maiores informações no telefone (51) 32542600 ou e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Corecon Acadêmico discute O Economista Empreendedor

O Curso de Ciências Econômicas da Faculdade de Desenvolvimento do RS (Fadergs), em parceria com o Corecon/RS, realizam, nesta segunda-feira, dia 24, às 19h30min, no Auditório da Instituição (Rua Riachuelo, nº 1257), em Porto Alegre, a segunda edição do Corecon Acadêmico. Desta vez o debate será “O Economista Empreendedor”. O evento terá a participação dos economistas Leandro Lemos (ex-presidente do Corecon/RS, professor da PUCRS e sócio-diretor da Job & Labor Desenvolvimento), Artur de Castro Frischenbruder (CEO da Kynos Technologies) e Tiago Lemos (co-fundador e Diretor de Operações da Ventiur).

O debate será mediado pelo Jornalista Ricardo Ramos Carneiro da Cunha, Coordenador dos Cursos de Comunicação da Fadergs. O evento tem como objetivo discutir o mercado de trabalho do economista e seu relevante papel junto à sociedade. 

Previdência Social foi o tema do Economia em Pauta

 

“Previdência Social: verdades e mitos” foi a última edição do Economia em Pauta, ocorrido no dia 19 último, no Hotel Plaza São Rafael, em Porto Alegre. Participaram o vice-presidente do Corecon/RS, economista Darcy Francisco Carvalho dos Santos, e o jornalista Felipe Vieira, da Rádio Guaíba, da TVU, e editor do blog Felipe Vieira. 

simone

O encontro foi aberto pela presidente do Corecon/RS, economista Simone Magalhães, que falou sobre a importância do tema e agradeceu a presença dos palestrantes e da plateia. Simone Magalhães apresentou um breve histórico das recentes atividades da Entidade, entre elas a “Roda de Conversa” com os candidatos à prefeitura de Caxias do Sul, ocorrida naquele município, e convidou os presentes para o encontro da Entidade com os representantes das 257 Associações Comerciais do RS, na Federasul, além das demais edições do “Roda de Conversa”, com os candidatos de Canoas e Santa Maria, que acontecerão na próxima semana.

darcyauditorioO economista Darcy Carvalho dos Santos iniciou sua apresentação afirmando que o comprometimento crescente da receita com previdência social está conduzindo ao sistema compulsório de redução do tamanho do estado, já que tem provocado a escassez de recursos para o atendimento das demais funções de governo. “É o estado inchado e não o enxuto que se transformará em estado mínimo”, disse. Falou sobre as diferenças entre os regimes previdenciários existentes no Brasil, como o Regime Geral de Previdência Social (RGPPS), o Regime Próprio de Previdência Social (RPPS) e o Regime de Previdência Complementar. Explicou que o RGPPS reúne os trabalhadores vinculados ao INSS e que possui repartição simples, com caráter contributivo e de filiação obrigatória, e necessita de equilíbrio financeiro e atuarial para seu funcionamento. Também com caráter contributivo e de equilíbrio financeiro e atuarial, o RPPS é direcionado aos servidores públicos efetivos, enquanto que o Regime de Previdência Complementar, que reúne entidades abertas de previdência complementar, com fins lucrativos, assim como entidades fechadas de previdência complementar sem fins lucrativos e os fundos de pensão. Abordou os diferentes formatos de seus regimes financeiros, o equilíbrio do regime de repartição, o custo de transição de regimes e explicou o resultado financeiro dos principais regimes previdenciários e do Governo Central. Apresentou, ainda, uma análise histórica das contribuições previdenciárias no Brasil a partir de 1923, detalhando as regras dos principais benefícios do RGPS.

darcy5O economista abordou a situação previdenciária no Rio Grande do Sul, o Fundoprev, com foco nos casos de aposentadorias especiais, no impacto das regras previdenciárias e no Regime de Previdência Complementar. Através de quadros comparativos, enfocou a relação entre gastos previdenciários e a idade média de aposentadorias em alguns países, a taxa de mortalidade na infância, expectativa de vida e a variação populacional.

Darcy Carvalho dos Santos finalizou sua apresentação, elencando sugestões para amenizar a grave situação previdenciária do Brasil. No setor público, a elevação da idade mínima para 65 anos e do tempo de contribuição das aposentadorias especiais para 35 anos; acabar com toda acumulação e respeitar o teto constitucional; adotar imediatamente a média para efeito do cálculo dos proventos, em vez da integralidade e paridade, observando alguma regra de transição; manter a contribuição dos aposentados; e modificar os critérios de pensão por morte, de acordo com a nova legislação federal, Leil 13.125/2015. No Regime Geral (INSS), a sugestão é introduzir alguma modificação na aposentadoria rural, como aumento de idade mínima, limitando a apenas um cônjuge, sem contribuição, e levar em consideração a dificuldade de obter emprego após uma certa idade. “No futuro, os países terão três grandes problemas: poluição, água potável e previdência”, concluiu o economista.

felipeO jornalista Felipe Vieira apresentou uma análise sobre as chances de aprovação pelo Congresso Nacional das grandes reformas pretendidas pelo governo Temer. “A reforma da Previdência ficará para o próximo ano e o governo certamente enfiará goela abaixo do Congresso. O problema é que não se sabe ao certo o tamanho da reforma que será conseguida”, acrescentou. Lembrou que essa base do governo, normalmente movida a emendas compensatórias, não está muito preocupada com os movimentos populares de reação às futuras medidas, que venham a ser organizados por partidos de esquerda. Falou das expectativas do governo sobre uma recuperação da economia, e lembrou a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) redução dos juros básicos da economia, de 14,25% para 14%, ressaltando que acredita numa redução ainda maior da taxa até o final deste ano. “Até julho ou agosto de 2017 será a última oportunidade de o governo fazer alguma reforma, quando as candidaturas, inclusive de dentro da base governista, começarão a ser lançadas”, afirmou. “Exceção, é claro, as reformas trabalhista e política, que não fazem parte dessa agenda”, acrescentou.

No final do evento, foi servido um coquetel aos presentes, com a cortesia da Água Mineral Sarandi, Vinícola Laurentia e Hotel Plaza São Rafael.

Também participaram do Encontro os ex-presidentes do Corecon/RS, Geraldo Fonseca e Lauro Henck, o ex-vice-presidente do Corecon/RS, Carlos Abel, o conselheiro Aristóteles Galvão e o ex-conselheiro Vladimir Alves.

 

Acesso aos gráficos apresentados no Encontro

 

“Previdência Social: verdades e mitos” é o tema do Economia em Pauta

felipe 


"Previdência Social: verdades e mitos” será o tema da próxima edição do Economia em Pauta, que acontecerá
 nesta quarta-feira, dia 19, às 18h30min, no Hotel Plaza São Rafael (Av. Alberto Bins, 514). Participarão o economista Darcy Francisco Carvalho dos Santos, especialista em finanças públicas e vice-presidente do Corecon/RS, e o jornalista Felipe Vieira, da Rádio Guaíba, da TVU, e editor do blog Felipe Vieira. 

Será fornecido um certificado de 2 horas complementares aos estudantes que participarem do evento.

No final do evento, será servido um coquetel aos presentes, com a cortesia da Água Mineral Sarandi, Vinícola Laurentia e Hotel Plaza São Rafael.
Entrada gratuita!

Informações e reservas pelo fone (51) 3254.2600 ou pelo e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

Informe Urgente Corecon/RS: Consulta Pública Lei do Economista


Senhores (as) Economistas,


Encontra-se aberta na internet, no sítio do Senado Federal, Consulta Pública para recebimento de opiniões dos cidadãos, com fulcro na Resolução nº 26/2013, que estabelece mecanismo de participação popular na tramitação das proposições legislativas no Senado Federal.

Dentre as proposições que tramitam no Senado, encontram-se o PLS 658/2007, que altera a Lei nº 1.411, de 13 de agosto de 1951, para atualizar a regulamentação do exercício da profissão de Economista. A relatoria do Projeto de Lei é do Senador Romero Jucá Filho.

Considerando que as manifestações relativas ao PLS 658/2007 na referida Consulta Pública foram até agora em número bastante reduzido, exortamos os(as) Economistas queacessem, o quanto antes, o portal para votarem sim ao nosso projeto de lei, por meio do endereço:

https://www12.senado.leg.br/ecidadania/principalmateria?palavraChave=&nomeAutor=&sigla=&numero=658&ano=2007

Por fim, reafirmamos que o Sistema COFECON/CORECONs mantém-se firme ao envidar esforços junto ao Relator para que resulte na tão esperada aprovação de nosso Projeto.

Fadergs abre Inscrições para Curso de Perícia Judicial e Extrajudicial

 

Encontram-se abertas as inscrições para mais uma edição do curso de especialização em Perícia Judicial e Extrajudicial (7ª Edição). Economistas com registro ativo junto ao Corecon/RS têm desconto de 40% na matrícula, quando realizada até três dias antes do início das aulas, que acontece dia 25 de novembro.

O objetivo do Curso é promover a capacitação e atualização de profissionais que atuem ou queiram atuar na área de perícia judicial e extrajudicial, contribuindo para sua atuação no mercado de trabalho de forma competente, ética e crítica. Através do Curso, potencializarão suas capacidades para se tornarem agentes de mudanças na sociedade, sustentados por uma visão completa, tanto em seus aspectos conceituais e estruturais, como em seus aspectos de utilização prática, relevantes para a elaboração de laudos periciais e pareceres técnicos.

O Curso é dirigido a profissionais e egressos das áreas da Administração, Direito, Economia, Engenharia, Contabilidade e áreas afins. Com carga horária total de 360 horas-aula, as aulas, quinzenais, serão realizadas no Campus Centro da Fadergs, das 18h às 22h (sextas-feira), e das 8h30min às 17h30min (sábados).

 

Noite de “Roda de Conversa” com candidatos às eleições de Caxias do Sul

 auditorio

O Corecon/RS promoveu, na última quinta-feira, dia 13, na Universidade de Caxias do Sul (UCS) uma “Roda de Conversa” sobre a Economia do município com os candidatos ao segundo turno das eleições para a Prefeitura de Caxias do Sul. Participaram o candidato Daniel Guerra, do PRB, e o candidato a vice-prefeito Antonio Feldmann, da chapa de Edson Néspolo, do PDT. O evento aconteceu no Auditório da Reitoria da Universidade e reuniu professores, estudantes, empresários, políticos, além de militantes das duas correntes e demais membros da comunidade local.

A presidente do Corecon/RS, economista Simone Magalhães, agradeceu a presença dos candidatos, da plateia e a UCS, afirmou que o Corecon/RS, como órgão que representa mais de 4,5 mil economistas de todo o RS, disse que a Entidade está atenta às iniciativas que venham impactar no desenvolvimento socioeconômico das diferentes comunidade e regiões do estado. “Esta iniciativa do Corecon/RS, com o apoio da UCS, tem o objetivo de oportunizar ao público maior conhecimento sobre os projetos e propostas do novo Governo deste município, - que tem o segundo maior PIB do RS e é o maior polo da indústria de transformação do estado -, nas áreas de finanças públicas e de investimentos, fundamentais para o desenvolvimento socioeconômico da região e do estado do RS”, disse. “Sabemos que a vida acontece na rua, no bairro, na comunidade, no Município. E é a partir da rua, do bairro, da comunidade e do Município que se constrói a política que irá nortear os rumos do nosso estado e do nosso País”, acrescentou.

Ao abrir o “Roda de Conversa”, a presidente do Corecon/RS explicou os procedimentos do evento, que não teria enfrentamentos diretos entre os candidatos para preservar o objetivo principal, “que é o esclarecimento sobre a atuação dos prefeitos nas áreas de finanças públicas e investimentos

mesaGuerraPor ordem de sorteio, os candidatos responderam a questionamentos, elaborados de forma indireta, por economistas e pelo público presente. Discorreram sobre a crise financeira do estado e do país e seus reflexos no município, políticas de emprego e renda para alavancar a economia local, atração de emprego, corrupção e transparência, entre outros temas.

Outro tema abordado no Encontro foi a forma como a futura gestão irá interagir com os Observatórios Sociais, que buscam o foco na transparência e na qualidade do serviço público. O candidato Daniel Guerra disse que a corrupção não se manifesta apenas na forma de crimes financeiros, mas, também, na omissão, na conivência e, mesmo, a corrupção intelectual. “Em nossa gestão, faremos com que a transparência seja efetivamente a marca do governo de Caxias. Cada movimentação de centavo, de real, de recurso estará completamente aberto ao acompanhamento por parte da população”, acrescentou, dizendo que se utilizará das diversas plataformas digitais para aproximar da sociedade as ações do seu governo.

mesaFeldmannO candidato Antonio Feldmann ressaltou a importância da transparência das ações dos governantes no dia a dia de sua população. Disse que a atual gestão vem participando das reuniões dos Observatórios Sociais, tanto na Câmara de Vereadores como na Câmara de Indústria e Comércio, e que a administração vem marcando suas ações com base na transparência de informações. “A sociedade deve ter, sim, como principais focos a busca constante e incansável de uma gestão cada vez mais eficiente e absolutamente clara e transparente no trato das decisões que envolvem recursos públicos”, concluiu.

A intervenção final dos candidatos foi em resposta a questionamento pelo reitor da UCS, professor Evaldo Kuiava, que quis saber como será a participação da Prefeitura na busca da integração do tripé universidade, empresários e poder público. O candidato a vice-prefeito Antonio Feldmann ressaltou como fundamental “a integração ente o poder público, a universidade e o mundo do desenvolvimento”, lembrando o programa da atual administração “Caxias do Sul 2040”, onde é feito um planejamento do desenvolvimento econômico e social do município para os próximos anos. Daniel Guerra falou da importância de desenvolver novas vocações econômicas, estimulando as empresas a investirem em inovação pesquisa e tecnologia e citou o documento “Caxias do desenvolvimento”, onde foram desenvolvidas “parcerias sustentáveis e criativas na defesa do desenvolvimento da cidade”.

A presidente Simone Magalhães finalizou o Encontro elogiando a participação dos candidatos pelo alto nível das propostas apresentadas e falou sobre a responsabilidade do Corecon/RS com as finanças públicas e ressaltou a importância da atuação do Economista nas gestões pública e privada e solicitou atenção ao futuro prefeito para a ampliação do espaço do profissional da Economia e estudantes de Economia na futura gestão de Caxias do Sul, “que são profissionais absolutamente preparados para essa função”.

Informou que o Corecon/RS promove, também, no próximo dia 26, às 19 horas, no Auditório da Universidade Luterana do Brasil(Ulbra), uma “Roda de Conversa” com os candidatos à Prefeitura de Canoas, Beth Colombo, do PRB, e Luiz Carlos Busato, do PTB. Acrescentou, ainda, que a Entidade também encaminhou a proposta da "Roda de Conversa" aos candidatos do segundo turno das eleições de Porto Alegre, Nelson Marchezan (PSDB) e Sebastião Melo (PMDB), e de Santa Maria, Jorge Pozzobom (PSDB) e Valdeci Oliveira (PT), mas que ainda aguarda confirmação.

ucsAlém do reitor Evaldo Kuiava, também participaram do Encontro a diretora do Centro de Ciências Sociais da Universidade, economista Maria Carolina Rosa Gullo, a coordenadora do Curso de Ciências Econômicas da UCS e diretora da Câmara de Indústria e Comércio (CIC) de Caxias do Sul, economista Jacqueline Maria Corá, o delegado do Corecon/RS em Caxias do Sul, Milton Biazus, e o economista Gerson Peixoto Azambujo, do Corecon/RS.

Corecon/RS promove “Roda de Conversa” com candidatos de Caxias do Sul e Canoas

 

nspoloO Conselho Regional de Economia do Rio Grande do Sul (Corecon/RS) promove, nesta quinta-feira, dia 13, na Universidade de Caxias do Sul (UCS) uma “Roda de Conversa” sobre a Economia do município com os candidatos ao segundo turno das eleições para a Prefeitura de Caxias do Sul, Daniel Guerra (PRB) e Edson Néspolo (PDT). O evento acontece às 20 horas, no Auditório da Reitoria da UCS, Bloco A, da Universidade (Rua Francisco Getúlio Vargas, 1130, bairro Petrópolis).

A presidente do Corecon/RS, economista Simone Magalhães, esclarece que a Entidade, como órgão de maior representatividade dos economistas gaúchos está atento às iniciativas que venham impactar no desenvolvimento socioeconômico das diferentes comunidades e regiões do estado. “Nosso objetivo é oportunizar ao público das diferentes regiões maior conhecimento sobre os projetos e propostas do novo Governo do município, nas áreas de finanças públicas e de investimentos, fundamentais para o desenvolvimento socioeconômico da região e do estado do RS”.

Canoas

bethbusatoO Corecon/RS promove, também, uma “Roda de Conversa” com os candidatos à Prefeitura de Canoas, Beth Colombo (PRB) e Luiz Carlos Busato (PTB). O evento acontecerá no dia 21 de outubro, às 19 horas, no Auditório da Universidade Luterana do Brasil (Ulbra), na Av. Farroupilha, 8001 – Bairro São José/Canoas).

Os eventos serão abertos ao público em geral, especialmente integrantes dos setores da indústria, comércio e serviços, estudantes, economistas e demais membros acadêmicos.

O Corecon/RS também encaminhou a proposta da "Roda de Conversa" aos candidatos do segundo turno das eleições de Porto Alegre, Nelson Marchezan (PSDB) e Sebastião Melo (PMDB), e de Santa Maria, Jorge Pozzobom (PSDB) e Valdeci Oliveira (PT), mas ainda aguarda confirmação. 

 

Maiores informações e Contatos:
Econ. Gerson Peixoto
Fone (51) 91100518
E-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Jorn. Jairo Raymundo
Fone (51) 99848998
E-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Diretor da CHB fala no Café com Finanças, do IBEF/RS

 

O diretor da Cia. Hipotecária Brasileira (CHB), Moisés Jardim, será o palestrante da próxima edição do “Café com Finanças”, na próxima terça-feira, dia 11, às 7h45min, na sede da Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercdo de Capitais (Apimec Sul), na Rua General Câmara, 243, 3º andar, Centro Histórico, em Porto Alegre. Falará sobre Mercado de Capitais.

Moisés Jardim é executivo da CHB desde 2013, sendo responsável pela estruturação de operações de crédito e funding, voltados ao mercado imobiliário. Foi diretor do Unibanco, Banco Itaú, Finaustria CFI e BV Financeira, as áreas de gestão de crédito e cobrança, controladoria e estruturação de negócios e produtos. Atuou também nos Bancos Votorantim e BBA, as áreas de tesouraria, gestão de fundos de investimento e estruturação de operações no segmento corporate.

A promoção é do Instituto brasileiro de Executivos de Finanças do RS (IBEF/RS), com o apoio da Apimec Sul e do Corecon/RS.

Maiores informações e reservas pelo fone (51) 3225.4459, O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Pagina 9 de 23