Abertas inscrições para a sexta edição do “Desafio Quero Ser Economista”


Encontram-se abertas as inscrições para mais uma edição do “Desafio Quero Ser Economista”. Promovido pelo Conselho Federal de Economia (Cofecon), em parceria com os Corecons, o jogo, dirigido a estudantes de Ensino Médio de todo o País, que tem como objetivo apresentar a área de Economia e informar sobre o mercado de trabalho dos profissionais economistas, com o intuito de ajudar na escolha da futura profissão.

O jogo acontece, a partir do dia 3 de maio, apenas em ambiente online, no site http://desafioquerosereconomista.org.br/ , onde você responde a enigmas, assiste a vídeos interativos e é desafiado a cumprir diversas missões, tudo de uma forma muito divertida, simples e dinâmica. Assim, você tem a oportunidade de conhecer melhor as escolas de pensamento econômico, os economistas históricos e diversos conceitos básicos da Economia.

Nessa competição todos se divertem e ganham conhecimento, mas além de aprender sobre a área, você também concorre Brasil participaram do jogo e puderam conhecer um pouco mais sobre a área da Economia.a ótimos prêmios. Os três primeiros colocados ganham, respectivamente, R$ 2.000,00, R$ 1.500,00 e R$ 1.000,00, respectivamente.

O Desafio
O Desafio Quero Ser Economista acontece a partir do dia 3 de maio neste site. É necessário fazer o login para acessar a área de jogo. Os desafios são acessíveis apenas aos participantes inscritos. Para quaisquer dúvidas, entre em contato conosco pela página www.facebook.com/querosereconomista, pelo nosso perfil no Instagram (@querosereconomista_) ou pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

A página do Facebook e o perfil no Instagram, do Cofecon, servem de apoio ao jogo durante toda a competição. Por lá são divulgadas as palavras-chave respectivas a cada #DESAFIO.

A primeira fase da competição tem a duração de três semanas. O jogo acontece de segunda a sexta, com um #DESAFIO por dia, obedecendo o seguinte modelo:

Segunda-feira e quarta-feira: "Vídeo Interativo".
Em vídeo, economistas e estudantes falam sobre a função do profissional da área e as oportunidades do mercado de trabalho. Esses vídeos são postados na página www.facebook.com/querosereconomista e no nosso Instagram. O participante tem de responder a uma pergunta relativa ao vídeo. Aqueles que acertam a questão, dentro do prazo estipulado, ganham 100 pontos.
Terça-feira e quinta-feira: "Enigma".
Enigmas são apresentados na forma de pequenos textos relativos a alguma escola de pensamento, economista famoso ou conceitos econômicos, por exemplo, mas sem dizer sobre o quê ou quem se trata. Aqueles que acertam, dentro do prazo estipulado, ganham 50 pontos.

Sexta-feira: "Missão".
São propostas atividades desafiadoras, como tirar uma foto com determinado tema; escrever um pequeno texto sobre algum assunto; entre outras possibilidades. Aqueles que cumprem a missão no prazo estipulado ganham 200 pontos.

Última semana: "Vídeos dos Competidores".
Na última missão, lançada na sexta-feira da terceira semana de competição, os participantes serão desafiados a gravarem vídeos falando sobre um determinado tema. Esses vídeos serão postados nos perfis Quero ser economista no Facebook e no Instagram. Todos os competidores que alcançarem 100 curtidas e 10 comentários de pessoas diferentes em seus vídeos tanto no Facebook como no Instagram estarão automaticamente classificados para a Grande Final.

Grande Final: Os competidores classificados para a Grande Final terão seus vídeos analisados pela Comissão Avaliadora do Desafio Quero Ser Economista, que atribuirá pontos aos vídeos de cada competidor. A delegação avaliará os vídeos dos participantes de acordo com os seguintes critérios: clareza da exposição, coerência de ideias, precisão do conteúdo, relevância do tema, criatividade e originalidade do material. Ao final da avaliação da Comissão, os pontos atribuídos aos vídeos serão somados aos pontos conquistados pelos competidores ao longo de todos os desafios. Vence quem tiver o maior número de pontos.

Clique aqui para mais informações sobre a Sexta Edição do Desafio Quero Ser Economista

LIVE: "Avaliação de empresas e o mercado de trabalho", com os economistas José Junior de Oliveira, Camila Ribeiro e Rogério Tolfo


live050421 400Os economistas JOSÉ JUNIOR DE OLIVEIRA (Vice-presidente da ApimecSul, ex-presidente do Corecon-RS), CAMILA RIBEIRO (Assistente de Inteligência e Pesquisa de Mercado Grupo Studio) e ROGÉRIO TOLFO (Consultor Empresarial, ex-presidente do Corecon-RS) participam de live, na próxima segunda-feira, dia 5 de abril, às 19 horas. Abordarão o tema "Avaliação de empresas e o mercado de trabalho”, dentro do projeto “Força-tarefa: economistas falam à sociedade gaúcha”, promovido pelo Corecon-RS.

Transmissão
www.facebook.com/coreconrs
https://www.youtube.com/c/CoreconRS2020


Currículo

José Junior de Oliveira
Possui graduação em Economia pela PUCRS, Pós-Graduação em Administração Financeira pela Unisinos e Mestrado Profissional em Economia Aplicada pela UFRGS. Foi presidente da Seccional Sul da Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Marcado de Capitais (Apimec-Sul), onde atualmente ocupa a vice-presidência. É Analista de Investimentos Sênior da Caixa de Assistência dos Empregados do Banco do Estado do RGS (Cabergs) e professor universitário na área de Finanças e Mercado Financeiro e de Capitais na ESPM-SUL. Professor de Finanças, Mercado de capitais e Governança Corporativa em cursos de Pós-Graduação e MBA em diversas instituições de ensino superior. É especialista em avaliação de empresas. Atua na área de Economia, Análise de Investimentos, com ênfase em Finanças e Gestão de Recursos no Mercado Financeiro e de Capitais. Foi presidente do do Corecon-RS, onde, atualmente ocupa a função de conselheiro.

 

Camila Ribeiro
Economista, especialista em finanças e mestranda em economia do desenvolvimento. Assistente de Inteligência e Pesquisa de Mercado Grupo Studio.

 

Rogério Vianna Tolfo
Economista, pós- graduado em gestão e finanças, consultor empresarial, atua na área de fusões e aquisições, gestão financeira e captação de financiamentos de longo prazo e incentivos fiscais há mais de 20 anos. Membro do Tribunal Administrativo de Recursos Tributários (TART), da Prefeitura Municipal de Porto Alegre. Ex-presidente do Corecon-RS.

 

 

Banco abre 1.200 vagas de estágio em empresas clientes

A sétima edição do programa Universitário-Empresas Santander oferece 1.200 vagas, com remuneração de R$ 1 mil cada uma. Estudantes de qualquer curso e de qualquer região do país podem se inscrever até o dia 31 de outubro, pelo site da Universia Jobs (https://jobs.universia.net/universitarioempresas).

O estágio tem duração de quatro meses, e a carga horária é de quatro horas diárias. A iniciativa é uma realização do Santander Universidades em parceria com a Programa Avançar, que já beneficiou, ao longo de sete anos, mais de 4,3 mil que estudantes universitários garantindo que pudessem ter suas primeiras experiências no mercado de trabalho. A bolsa é copatrocinada: R$ 500 pagos pelo Banco e a parte restante pela empresa contratante.

Todos os inscritos ainda receberão uma bolsa de estudos para o curso Próximos Passos, voltado a apoiar a carreira profissional dos estudantes, que é certificado pela FIA USP e Santander.

“Conseguir um estágio no cenário atual é um desafio. Nós aproximamos quem precisa de apoio na contratação de um estagiário e quem está tentando acessar o mercado de trabalho pela primeira vez”, afirma Nicolás Vergara, head do Santander Universidades.

As empresas interessadas em oferecer um estágio podem se inscrever também no site da Universia Jobs, observando os critérios que constam no regulamento.

Inscreva-se em https://jobs.universia.net/universitarioempresas

Pesquisa Mulher Economista

O Conselho Federal de Economia (Cofecon) está dando continuidade aos trabalhos realizados pela Comissão Mulher Economista, que busca realizar ações voltadas a ampliar a participação das profissionais economistas no mercado de trabalho, em projetos determinantes para a economia brasileira.

As mulheres economistas são fundamentais na luta por uma sociedade mais inclusiva. A participação na pesquisa contribuirá para o planejamento de projetos focados em temáticas femininas. O preenchimento do questionário é simples e rápido, totalmente on-line, disponível no seguinte link: http://cofecon.org.br/mulhereconomista/pesquisa.html.

Em 2020, a pesquisa ficou disponível no site deste Cofecon, no período de março a outubro, e os resultados encontram-se anexos. No intuito de colher uma amostra maior, daremos continuidade à pesquisa em 2021, contando com o apoio dos Corecons em sua divulgação.

Também no ano de 2020, foi realizada uma pesquisa, direcionada aos Conselhos Regionais de Economia, sobre o perfil e área de atuação das mulheres economistas. Os resultados foram apresentados a partir das informações disponíveis nos respectivos bancos de dados dos Corecons, estão em fase de consolidação e oportunamente serão divulgados.

Cofecon lança 39ª edição da Revista Economistas

O Cofecon está disponibilizando a edição de nº 39 da Revista Economistas, que traz A publicação traz artigos sobre os efeitos do neoliberalismo, o desenvolvimento sustentável, a mulher no agronegócio, comércio internacional, a economia solidária e os efeitos da pandemia sobre as mulheres.

Os artigos apresentados são “1921 – O ano que não acabou” (Mônica Beraldo), “A violência do neoliberalismo e os efeitos devastadores da pandemia de Covid-19 sobre as mulheres” (Denise Lobato), “As subestruturas de opressão do neoliberalismo: o medo e o desamparo como política de opressão às mulheres” (Pamela Sobrinho), “O protagonismo feminino no desenvolvimento sustentável: a luta pela igualdade de gênero (ODS)” (Michele Lins Aracaty e Silva), “O papel da mulher no agronegócio brasileiro e como ela tem feito a diferença” (Junia de Alencar e Petula Nascimento), “Panorama da atuação da mulher no mercado de trabalho do agronegócio” (Yolanda Vieira), “Comércio internacional e igualdade de gênero” (Márcia Paixão), “Os efeitos adversos da pandemia da Covid-19 sobre as mulheres no mercado de trabalho brasileiro” (Poema Andrade) e “Mulheres e a economia solidária” (Marcela Vieira).

Acesse a Revista em http://cofecon.org.br/downloads/revistas/2021/capa39.pdf

LIVE: "Dívida pública e previdência social”, com os economistas Darcy Francisco Carvalho dos Santos, Roberto Balau Calazans e Mário de Lima


Os economistas DARCY FRANCISCO CARVALHO DOS SANTOS (Especialista em Finanças Públicas, Auditor Fiscal aposentado da SefazRS) e ROBERTO BALAU CALAZANS (Mestre em Economia, especialista em finanças públicas, Agente Fiscal aposentado do Tesouro do Estado), participam da live “Dívida pública e previdência social”, na próxima segunda-feira, dia 29, às 19h30min. O evento, promovido pelo Corecon-RS, terá a mediação do economista MÁRIO DE LIMA (Doutor em Economia, professor universitário, presidente do Corecon-RS).

Transmissão
www.facebook.com/coreconrs
https://www.youtube.com/c/CoreconRS2020

 

Currículos

Darcy Francisco Carvalho dos Santos
Bacharel em Ciências Econômicas e em Ciências Contábeis pela UFRGS, com curso de Especialização em Integração Econômica e Comércio Internacional pela PUCRS. Trabalhou em diversas empresas privadas e foi auditor externo do Tribunal de Contas do Estado e auditor de finanças públicas da Secretaria da Fazenda do Rio Grande do Sul, ambos com ingresso através de concurso público. Exerceu cargos de coordenação e diretoria na administração estadual, e foi contemplado em três oportunidades com o Prêmio do Tesouro Nacional tratando de temas variados. Foi ainda autor e co-autor de cinco livros na área de Finanças Públicas (Noções Básicas de Orçamento e Finanças Públicas para Municípios, A crise das finanças estaduais - causas e alternativas, Finanças estaduais: verdades e mitos, Previdência social no Brasil: 1923-2009, e O Rio Grande tem saída?), e coordenador do grupo em Finanças Públicas estaduais da Agenda 2020. Conselheiro do Corecon-RS.

Roberto Balau Calazans

Economista formado na Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), Mestre em Economia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Foi Técnico do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese) e Coordenador e Chefe do Departamento de Economia da Unisinos. Concursado no cargo de Agente Fiscal do Tesouro do Estado, aposentado. Foi Diretor de Projetos Especiais na Secretaria de Planejamento do Estado, Assessor Técnico dos Gabinetes da Secretaria de Estado da Fazenda e da Secretaria Municipal da Fazenda de Porto Alegre. Ex-Diretor Financeiro e Relações com Investidores do Grupo CEEE e Assessor do Gabinete do Governador. Possui duas premiações no Prêmio do Tesouro Nacional e é autor de artigos técnicos em finanças públicas.

Mário de Lima
Economista, com doutorado em Economia pela PUCRS. Atua nas áreas de políticas públicas, finanças públicas, gestão pública, planejamento e desenvolvimento regional, urbano e metropolitano, com experiências em diversos órgãos e conselhos da administração pública brasileira. É professor universitário de graduação e pós-graduação há mais de oito anos. Como economista, atua como assessor na Secretaria Municipal da Fazenda de Porto Alegre/RS e é presidente da delegação de Controle do Departamento Municipal de Água e Esgoto de Porto Alegre (DMAE). Presidente do Corecon-RS.

Fahor promove Painel "Cenários e Tendências Econômicas: Brasil, para onde estamos indo?""

O Curso de Ciências Econômicas da Faculdade de Horizontina (Fahor) promove, na próxima terça-feira, dia 30, às 19 horas, o painel "Cenários e Tendências Econômicas: Brasil, para onde estamos indo?". O evento, que será transmitido pela página da Fahor no youtube, contará com a participação do coordenador do Curso, economista Etephan Sawitzki, de Márcio Kalkmann (Economista, Mestre em Economia), Tiago Neu Jardim (Economista, Advogado) e Gilson Braz do Amaral (Economista, Mestre em Desenvolvimentoe Políticas Públicas). O mediador será Marcelo Blume (Administrador, Mestre em Engenharia de Produção).

Morre o economista Eugênio Cánepa

É com pesar que este Conselho de Economia informa o falecimento do economista e ex-conselheiro do Corecon-RS, Eugênio Miguel Cánepa, ocorrido na madrugada de quarta-feira, dia 24 de março, em Porto Alegre. Cánepa estava hospitalizado para tratamento de um câncer, contra o qual lutava já há muitos anos.

Graduado em Ciências Econômicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), com especialização em Teoria Econômica: Regional e Urbana, pela Universidade de São Paulo (USP), Cánepa foi pesquisador da Fundação de Ciência e Tecnologia do RS (Cientec), onde aposentou-se, e foi conselheiro do Corecon-RS. Tinha larga experiência na área de Economia, com ênfase em Economia da Tecnologia, e destacou-se junto à comunidade gaúcha e brasileira, especialmente ligada ao meio ambiente, pelos seus inúmeros trabalhos voltados ao direito das águas e uso dos recursos hídricos. Nascido na Argentina, Cánepa chegou ao Rio Grande do Sul ainda jovem, quando foi aprovado no vestibular de Medicina da UFRGS, migrando, logo em seguida, para Ciências Econômicas, que passou a ser o seu grande sonho. O economista deixa a esposa Mercedes, duas filhas e netos.

O presidente do Corecon-RS, economista Mário de Lima, lamentou o falecimento do professor e um dos seus mentores na discussão de políticas públicas e gestão dos recursos hídricos, que serviu de referência na sua tese de doutorado e às discussões voltadas ao novo marco regulatório do saneamento. “É com tristeza que o Eugênio Cánepa nos deixa, não apenas a nós, economistas, mas à toda a sociedade gaúcha, que hoje já colhe, diariamente, os frutos de sua incansável luta pela sustentabilidade ambiental, especialmente, por ter sido o percursor no Estado, da observação dos aspectos econômicos para o uso racional dos recursos hídricos. Deixa um legado que certamente será levado adiante por todos aqueles que pesquisarem sobre o uso racional das águas", afirmou o presidente.

LIVE: "Economia criativa: possibilidade de desenvolvimento?”, com os economistas Judite de Bem e e Moisés Waismann, e Joana Braga


Os economistas JUDITE SANSON DE BEM (Professora do Mestrado da UniLaSalle) e MOISÉS WAISMANN (Professor da UniLaSalle e membro do Comitê Municipal de Economia Criativa de Porto Alegre), e JOANA DE MACEDO BRAGA (Coordenadora de Economia Criativa na Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Porto Alegre) participam de live, nesta quarta-feira, dia 24, às 18h30min. Abordarão o tema "Economia criativa: possibilidade de desenvolvimento?”, em evento online, promovido pelo Corecon-RS, com transmissão simultânea pelas páginas do facebook e do youtube.

Transmissão
www.facebook.com/coreconrs
https://www.youtube.com/c/CoreconRS2020

 

 

Judite Sanson de Bem
Graduado em Ciências Econômicas pela UFRGS, Mestrado em Economia Rural pela UFRGS, Doutorado em História Ibéro- Americana pela Pucrs. Pós-doutorado em Geografia pela UFRGS. Professora do Mestrado Profissional e Doutorado Acadêmico em Memória Social e Bens Culturais da Unilasalle e do Mestrado em Avaliação de Impactos Ambientais na Universidade LaSalle. Possui experiência em Economia, com ênfase no Crescimento, Economia da Cultura, Economia do Trabalho, Planejamento Regional, Economia Ambiental, Economia Regional e Urbana. Responsável pelo estudo e desenvolvimento da análise econômica da Corede Sinos-RS. Trabalha principalmente nos seguintes temas: Economia da Cultura, Indústrias Criativas, Desenvolvimento Regional e Urbano, Economia do Trabalho, Economia do Meio Ambiente. Participa, como pesquisadora, do Núcleo Porto Alegre do Observatório das Metrópoles (INCT/CNPq).

Moisés Waismann
Pós-Doutorando em Educação no Programa de Pós-Graduação em Educação da UFRGS. Doutor em Educação no Programa de Pós-Graduação em Educação da Unisinos. Mestre em Agronegócios pelo Programa de Pós-Graduação em Agronegócios da UFRGS. Graduado em Ciências Econômicas pela UFRGS (1990). Professor-pesquisador e Coordenador da Linha de Pesquisa em Memória e Gestão Cultural do Programa de Pós-Graduação em Memória Social e Bens Culturais da Universidade LaSalle. Vice-Líder do Grupo de Pesquisa de Estratégias Regionais. Membro do Conselho Municipal de Cultura de Canoas e do Comitê Municipal de Economia Criativa de Porto Alegre. Coordenador do Observatório Unilasalle: Trabalho, Gestão e Politicas Públicas. Investiga assuntos relacionados ao trabalho e educação, ao mercado de trabalho, a economia da educação, ao ensino superior, as políticas públicas, as políticas públicas para educação, a economia da cultura, a cultura, a economia criativa e a moda.

Joana de Macedo Braga
Coordenadora de Economia Criativa na Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Porto Alegre. Bacharel em Turismo. Especialista em Patrimônio Cultural e Arquitetura do Brasil. Servidora da Prefeitura de Porto Alegre desde 2009, atuou no planejamento turístico, como gerente de oferta turística, no desenvolvimento de segmentos e na gestão de contratos e convênios para estruturação da infraestrutura turística. Implantou a Porto Alegre Film Commission.

LIVE: "Carreira do Economista no mercado financeiro”, com os economistas Stephan Sawitzki e Pedro Lutz Ramos


Os economistas STEPHAN SAWITZKI (Sócio da Lucrar Investimentos, Coordenador do Curso de Ciências Econômicas da FAHOR) e PEDRO RAMOS (Doutor em Economia, Economista-Chefe do Sidredi) e participam de live, nesta segunda-feira, dia 22, às 19h30min. Abordarão o tema "Carreira do Economista no mercado financeiro”, em evento, promovido pelo Corecon-RS.

Transmissão pelo Instagram
@coreconrs

 

Stephan Sawitski
Graduado em Economia, com MBA em Gestão Financeira e Controladoria e Mestrado em Desenvolvimento. Certificado pela Ancord e registrado na CVM como Assessor de Investimentos. Assessor de investimentos e sócio da Lucrar Investimentos. Professor e Coordenador dos Cursos de Gestão Financeira e Ciências Econômicas da Faculdade de Horizontina (FAHOR).

Pedro Ramos
Economista-Chefe do Sicredi e doutor em economia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), onde se especializou em modelagem macroeconômica. Tem experiência de mais de 10 anos na construção de cenários e projeções econômicas. Desde 2011, vem contribuindo para que a Gerência de Análise Econômica do Banco Cooperativo Sicredi seja premiada como uma das áreas econômicas do país com maior precisão em suas projeções, segundo a Bloomberg, o Banco Central do Brasil e o Ministério da Economia. Possui experiência como professor de Econometria em programas de MBA e tem artigos publicados em periódicos nacionais e em congressos de economia.

Página 2 de 82