“O cooperativismo de crédito no mercado financeiro” é tema do Economia em Pauta

novembro

 

O Corecon/RS promove, na próxima terça-feira, dia 10, às 18h30min, no Hotel Plaza São Rafael (Av. Alberto Bins, 514), mais uma edição do Economia em Pauta, com o tema “O cooperativismo de crédito no mercado financeiro”. Participarão o economista Alexandre Englert Barbosa (Corecon/RS nº 6090), Superintendente de Economia e Riscos do Banco Cooperativo Sicredi, e o jornalista Milton Siles Simas Júnior, presidente doSindicado dos Jornalistas do Estado do RS.

Na oportunidade, será servido um coquetel receptivo com a cortesia da Água Mineral Sarandi, Fante/Cordelier e Plaza São Rafael.

Maiores informações e reservas pelo fone (51) 3254.2600 ou pelo e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. .

ELEIÇÕES 2015 CORECON/RS: Notas das Chapas

 

Leia, abaixo, posicionamento das Chapas que concorreram às eleições 2015, para renovação de um terço dos Conselheiros, titulares e suplentes, do Corecon/RS e de Delegados Federais, titulares e suplentes.


Nota da Chapa 2 – “Um novo Corecon: renovação, equilíbrio e resultado”

"Criamos a Chapa 2 com o objetivo de aproximar mais o Conselho dos economistas, entregando a eles algo mais do que uma confraternização anual e a fiscalização da profissão. Nossos principais objetivos são a aproximação do CORECON/RS com nossos profissionais em todas as áreas em que atuam, bem como os estudantes de Economia, chamando-os para discutir as principais questões nacionais e regionais, contribuindo, assim, para a qualificação dos economistas e sua melhor inserção no mercado, de forma competitiva.

Estamos muito contentes com a votação que tivemos, a qual devemos a receptividade de nossas ideias no colégio eleitoral, bem como ao incansável trabalho de todos os nossos apoiadores. Parabenizamos os colegas da Chapa 1 pela participação, por sua votação e também por todas as contribuições que deram ao Conselho nos últimos anos. Terminada a eleição, sabemos que temos muito trabalho pela frente para transformar nossas ideias em ações a serem entregues ao longo dos próximos três anos. Esse é um grande estímulo neste momento."


Nota da Chapa 1 – “Valorização do economista, ética e pluralismo”

“Agradecemos aos integrantes de nossa Chapa e a nossos apoiadores pela luta e dedicação. Fizemos uma eleição limpa e transparente. Às vezes, vencer nem sempre é o melhor caminho a seguir. Torcemos por um CORECON/RS forte e dedicado aos economistas. 2015 ainda não terminou. Temos a certeza que estamos fazendo uma gestão que está por findar em 31/12 com grandes avanços obtidos pela categoria. Parabenizamos a Chapa 2, vitoriosa no Pleito de 2015. Porém, o que mais chamou à atenção nestas eleições e que merece uma profunda reflexão de ambas as chapas e seus apoiadores, bem como os conselheiros que compõem o atual plenário, é que foram APENAS 494 VOTOS, pouco mais de 10% dos economistas em dia com o nosso Conselho. Se comparado com as últimas duas eleições, que já vinha preocupando, onde aproximadamente 700 economistas votaram, a situação atual passa a ser mais preocupante. O que poderá ser feito para solucionar este problema? Não é só a atualização de cadastro que nos referimos. O que podemos fazer para que a grande maioria de nossos colegas se interesse pelo nosso CORECON/RS? Esta é a questão! Nossos agradecimentos.”

Chapa 2, “Um novo Corecon: renovação, equilíbrio e resultado” vence eleições no Corecon/RS

 

A Chapa 2, “Um novo Corecon: renovação, equilíbrio e resultado”, venceu as eleições para renovação de um terço do Conselheiros Efetivos e Suplentes do Corecon/RS e de Delegado Eleitor Efetivo e Suplente junto ao Colégio Eleitoral do Cofecon.

Assumirão, em janeiro próximo, para um mandato de três anos (2016/18), os economistas Darcy Carvalho dos Santos, Derly Fialho e Gabriel Torres, como Conselheiros Titulares, e Bruno Breyer Caldas, Filipe Grisa e Isabel Schutt, como Conselheiros Suplentes. Também assumem os economistas Henri Bejzman e Marcos Vinicio Wink Junior, como Delegado Federal Titular e Delegado Federal Suplente, respectivamente.

A chapa vencedora somou 286 votos de um total de 494 votos válidos, enquanto a Chapa “Valorização do economista, ética e pluralismo” obteve 185 votos. Foram contabilizados ainda 12 votos em branco e 11 votos nulos.

As eleições do Sistema Cofecon/Corecons, que contaram com a primeira edição do voto eletrônico em 21 estados brasileiros, foram realizadas ao longo dos dias 29 e 30 de outubro, com os resultados de todo o País divulgados oficialmente ainda na noite da última sexta-feira, dia 30.

O presidente do Corecon/RS, economista Fernando Ferrari Filho, parabenizou os integrantes da chapa vencedora e elogiou todo o processo eleitoral, “que foi norteado pelo espírito democrático e participativo”.

Representantes das comissões eleitorais dos estados participantes da votação eletrônica acompanharam a apuração na sede do Cofecon, na noite de sexta-feira, em Brasília. Pelo Rio Grande do Sul, acompanhou o processo o economista Hans Peter Gerwy. Antes de conhecer os resultados das eleições, o coordenador substituto do grupo de trabalho encarregado da operacionalização da eleição eletrônica dos Conselhos Regionais de Economia, conselheiro federal Luiz Alberto Machado, parabenizou a equipe do Cofecon responsável pelo desenvolvimento do projeto e as empresas que o executaram. “A ideia já é trabalhada há algum tempo e agora pode ser implementada, o que representa um marco e uma conquista para a classe de economistas”, afirmou.

O presidente do Cofecon, Paulo Dantas da Costa, também esteve presente na cerimônia de encerramento das eleições. “Não há outro modelo que ofereça mais lisura e segurança ao processo eleitoral do que este que foi implementado”, destacou.

 


Foto: Assessoria de Imprensa Cofecon

 

Confira os novos conselheiros regionais e delegados do Corecon/RS, eleitos para o triênio 2016/2018.

 

CONSELHEIROS TITULARES

DARCY CARVALHO DOS SANTOS

Bacharel em Ciências Contábeis e em Ciências Econômicas (UFRGS), com curso de Especialização (PUCRS). Trabalhou em diversas empresas privadas e foi auditor externo do Tribunal de Contas do Estado, e auditor de finanças públicas da Secretaria da Fazenda do Rio Grande do Sul, ambos por concurso público. Exerceu cargos de coordenação e diretoria na administração estadual, e foi contemplado em três oportunidades com o Prêmio do Tesouro Nacional tratando de temas variados. Foi ainda autor e co-autor de cinco livros na área de Finanças Públicas (Noções Básicas de Orçamento e Finanças Públicas para Municípios, A crise das finanças estaduais - causas e alternativas, Finanças estaduais: verdades e mitos, Previdência social no Brasil: 1923-2009, e O Rio Grande tem saída?), e coordenador do grupo em Finanças Públicas estaduais da Agenda 2020.

 

DERLY FIALHO

Derly Fialho é economista com sólida experiência em governança corporativa, gestão de organizações associativas, governamentais e de desenvolvimento. Atuou como assessor da presidência do Sistema Fecomércio entre 2001 e 2005 e de 2009 a 2014. Em 2003, foi diretor regional do Serviço Social do Comércio (SESC/RS). Exerceu o cargo de secretário Municipal de Indústria e Comércio de Alegrete entre 1993 e 1996. É diretor-superintendente do SEBRAE/RS pela segunda vez (2005 a 2009).

 

 

GABRIEL P. TORRES

Graduado em Ciências Econômicas (UFRGS) e Mestre em Economia (PPGE-EA/UFRGS), com concentração nas áreas de Macroeconomia e Econometria. Foi economista da CDL Porto Alegre e assessor econômico da presidência da Associação Gaúcha para o desenvolvimento do Varejo (AGV) entre 2013-2015, quando também participou do grupo em Finanças Públicas estaduais da Agenda 2020. Teve sua dissertação premiada com o 3º Lugar no Prêmio Corecon-RS (2014). Desde 2015 é economista na Unidade de Estudos Econômicos (FIERGS), e associado efetivo do Instituto de Estudos Empresariais (IEE).

 

 

CONSELHEIROS SUPLENTES

BRUNO BREYER CALDAS 

Graduado em Ciências Econômicas (UFRGS), Mestre em Administração de Empresas com ênfase em Finanças (PPGA/UFRGS), e doutorando em Economia (PPGE/UFRGS), com um período como aluno visitante na NOVA School of Business and Economics de Lisboa. Já trabalhou com perícia econômica e atualmente é Pesquisador em Economia na FEE, Editor-Chefe do periódico Ensaios FEE e Professor Assistente na UFRGS, tendo artigos publicados em congressos e periódicos nacionais.

 

 

FILIPE GRISA

Graduado em Ciências Econômicas (UFRGS) em 2009, especialista em Economia e Finanças (PPGE/UFRGS) e especialista em Economia da Cultura  (PPGE/UFRGS). É economista concursado do DETRAN/RS, atuando como Fiscal-Auditor na Autarquia entre 2011 e 2015.

 

 

 

ISABEL SCHUTT

Graduada em Ciências Econômicas (UFRGS), possui especialização em Finanças (PPGE/UFRGS).  Isabel é Gerente de Risco de Mercado, Risco de Liquidez e Alocação de Capital no Banco Cooperativo Sicredi, responsável pelo gerenciamento destes riscos para todas entidades do Sistema. Trabalha na instituição desde 2006, com experiência também na área de Administração e Gestão de Recursos de Terceiros.

 

 

 

DELEGADO FEDERAL – TITULAR

HENRI BEJZMAN

Tem experiência na área de Economia, com ênfase em Perícia Financeira e Matemática Financeira. É economista e contador. Possui experiência em Contabilidade, atuando em Prestação de Contas de Projetos Culturais e em Contabilidade Empresarial. Cursou Pós-graduação em Administração Financeira (FGV/RJ), em Contabilidade com Ênfase em Custos e Orçamentos (UFRGS) e em Administração Agroindustrial (FDRH/RS). Atuou como professor substituto de Matemática Financeira na Universidade Federal do Rio Grande do Sul por cinco anos intercalados. Também lecionou Matemática Financeira na Faculdade de Administração de Osório/RS. Atua como Professor Tutor de Cursos de Ensino à Distância (Ulbra/Polo Canoas).

 

DELEGADO FEDERAL - SUPLENTE

MARCOS VINICIO WINK JUNIOR

Graduado em Ciências Econômicas (UFRGS), Mestre em Economia (FGV-SP) e Doutor em Economia (PPGE-EA/UFRGS). Marcos é pesquisador em Economia da FEE e professor da ESPM-Sul. Tem experiência na área de economia social e avaliação de políticas públicas.

 

 

Para conferir os resultados das eleições do Sistema Cofecon/Corecons, em todo o País, clique aqui http://goo.gl/VKWL7L

Unisinos sedia 37ª edição do Encontro de Cursos de Economia do RS

O Conselho Regional de Economia do RS (CORECON/RS) promoveu, nos dias 30 e 31 de maio, o XXXVII Encontro dos Cursos de Ciências Econômicas do RS – 2014.
O evento, realizado na Universidade Rio dos Sinos (Unisinos), em São Leopoldo, reuniu profissionais docentes e estudantes da área de Economia para discutirem os mais variados temas da atualidade, como conjuntura econômica brasileira e internacional, o mercado de trabalho e situação dos cursos e faculdades do Rio Grande do Sul.


1-abertura

A abertura oficial do evento, ocorrida na manhã de sexta-feira, no Auditório Central do Campus, foi feita pelo vice-presidente do CORECON/RS, Carlos Alberto da Rosa Abel, e contou com a participação da Diretora da Escola de Gestão e Negócios da Unisinos, Yeda Swirski de Souza,  e dos coordenadores da Graduação em Ciências Econômicas,  Gisele Spricigo e Janaína Ruffoni Trez, e do coordenador do Programa de Pós-graduação em Economia,  Tiago Wickstron Alves. Com o auditório lotado de estudantes vindos de 14 faculdades de Ciências Econômicas do Rio Grande do Sul, o vice-presidente do CORECON/RS deu boas vindas aos presentes e falou sobre a importância do Encontro para a construção do conhecimento. Explanou, ainda, sobre os objetivos do CORECON Acadêmico e a preparação do futuro profissional de Economia para as grandes transformações do mercado de trabalho.


2-painel

Ainda na parte da manhã, o presidente do CORECON/RS e professor da PUCRS, Leandro Antonio de Lemos, e o conselheiro do CORECON/RS professor da UFRGS, Fernando Ferrari Filho, fizeram a apresentação do painel “Brasil 2020: Economia em Perspectiva”, sob a mediação da conselheira e professora da Unisinos, Simone Magalhães.


3-ferrari

Fernando Ferrari Filho iniciou sua fala, citando frases de Fernando Pessoa, John Lennon e de John Maynard Keynes, relacionadas às incertezas de prognósticos sobre o futuro, para argumentar que “é extremamente desafiador, para um keynesiano, fazer previsão para 2020, para a economia brasileira”. Apresentou uma análise sobre os impactos da grande recessão na economia brasileira, explicando os motivos que levaram aos processos de crescimento de desaceleração da economia e de persistência da inflação. Ferraria ainda apresentou os principais problemas da economia brasileira e propôs uma agenda para superá-los. 


4-leandro

Leandro Lemos, por sua vez, disse que a proximidade do vigésimo aniversário do Plano Real e do quadragésimo aniversário da II Plano Nacional de Desenvolvimento (PND) nos remete a uma nova agenda, para o Brasil e para o Rio Grande do Sul, que inclui obrigatoriamente a profissão de Economista. Criticou a herança de desacertos deixada pelo Governo Geisel, que acabou criando a cultura da inflação, do déficit público, além de equívocos da balança comercial e de políticas monetária e cambial. “Precisamos formar um exército eficiente de novos economistas para ajudarem a consertar os erros do passado e enfrentar os novos cenários que se apresentam”, afirmou.  Falou sobre a economia do conhecimento, da inovação e do desenvolvimento, e  encerrou sua participação dizendo que fazer um mundo com mais economia significa, também, também, erradicar a pobreza e ajudar na construção da sustentabilidade ambiental e econômica. “Viemos propor uma nova agenda, de inovação e de desenvolvimento, já que é a partir dos jovens, dos cursos, das universidades que está nascendo uma nova economia”.

Na parte da tarde, aconteceram as Oficinas Profissionais, onde foram apresentados cases e discutidas a interdisciplinaridade entre a Economia e diferentes áreas do mercado de trabalho, como Administração e Contabilidade, Direito, Meio Ambiente, Engenharia, Comunicação e Saúde, entre outras.
Ocorreram as oficinas “Economia & Administração e Contabilidade, apresentada pelo Contador Clovis Antonio Kronbauer, professor da Unisinos, e “Economia & Direito”, pelo Economista Giácomo Balbinotto Neto, professor da UFRGS. Também falaram sobre “Economia & Meio Ambiente” o Economista Eugênio Miguel Cánepa, e sobre “Economia & Engenharia e Avaliação Econômica” o Economista Jaime Macadar.


4-kronbauer
Kronbauer: “Economia, Administração e Contabilidade”

balbinotto
Balbinotto: “Economia e Direito”


5-canepa)
Cánepa: “Roteiro de estudo de economias ambiental e ecológica, com Instrumentos econômicos para a gestão ambiental”


5-macadar
Macadar: “Economia, Engenharia e avaliação Econômica”

O Jornalista Cleber Benvegnú apresentou a Oficina “Economia & Comunicação”, e a Economista Luciana de Andrade Costa, professora da Unisinos, falou sobre “Economia & Saúde”. Ainda no final da tarde, a conselheira do CORECON/RS, Economista Simone Magalhães, também professora da Unisinos, apresentou a Oficina “Economia & Perícia Econômico-Financeira”.

Cléber: “Economia e Comunicação”


6-luciana

Luciana: “Pesquisas nas áreas nacional e internacional e tipos de análises de métodos quantitativos de dados”


7-simone

Simone: “Perícia econômico-financeira, com provas técnicas e cases sobre perícia com foco nos crimes econômicos e financeiros”
O primeiro dia do Encontro encerrou com a Palestra Magna do professor de Econometria da Unisinos e consultor da Apex Brasil, Economista Marcos Tadeu Caputi Lelis, que abordou o tema “Interfaces Academia versos Mercado de Trabalho do Economista”.

Na apresentação, que ocorreu no Auditório Central do Campus, o professor Lelis falou sobre o início de sua trajetória profissional, enfatizando a importância do empirismo e da teoria para a formação do Economista. Alertou sobre a necessidade de uma reorganização dos cursos de Economia e falou da importância de uma base multidisciplinar mais empírica na formação do profissional. “O Economista tem que ser mais pragmático, sem perder a ternura, ou seja, sem deixar de lado o teórico”, concluiu.


8-lelis

 

As atividades do XXXVII Encontro dos Cursos de Ciências Econômicas do RS continuaram na manhã de sábado, com a apresentação do CORECON Acadêmico, feita pelo coordenador da respectiva Comissão, conselheiro Henri Wolf Bejzman, e o painel “Trajetória estudante de economia e economista no mercado de trabalho”, com apresentações de cases de seis ex-alunos, recentemente graduados em Economia, que falaram sobre suas experiências de até cinco anos no mercado de trabalho.


9-academicos

Participaram Camila Flores Orth, da Apex Brasil, Tiago Johann, da Valorar Consultoria Empresarial, Mario Jaime de Lima, docente da Unilasalle, Eduarda Martins Correa da Silva, do Banco do Brasil, Matheus Gonzalez, do Fundo de Pensão CEEE, e Kátia Fernanda Silva, docente da Unisinos e funcionária da Caixa Econômica Federal. Na oportunidade, o vice-presidente do CORECON/RS, Carlos Alberto da Rosa Abel explanou sobre sua experiência de mais de 35 anos de atuação na área de projetos de viabilidade econômico-financeira. “A idéia foi demonstrar aos estudantes que, por ter uma formação diferenciada e qualificada, o profissional de Economia possui um enorme campo de atuação no mercado de trabalho”, afirmou Abel.

Também acompanharam os trabalhos envolvendo o XXXVII Encontro dos Cursos de Ciências Econômicas do RS, ocorrido no Campus da Unisinos, os conselheiros Everton André Batista Lopes, Rogério Vianna Tolfo e Vladimir da Costa Alves.

Pagina 24 de 24