Corecon/RS acompanha posse do presidente do Cofecon, em Brasília

 

Simone Magalhães, Júlio Miragaya (pres Cofecon), Odisnei Béga (vice-pres Cofecon)

 

A convite do Conselho Federal de Economia, a presidente do Corecon/RS, economista Simone Magalhães, participou, na última quinta-feira, dia 28, em Brasília, da solenidade de posse do novo presidente do Cofecon, economista Júlio Miragaya. Na ocasião, também foram empossados o vice-presidente do Cofecon, economista Odisnei Béga, e seis novos conselheiros federais efetivos, e seus suplentes, entre eles, o economista gaúcho Henri Wolf Bejzman.

Discurso Julio

Em seu discurso de posse, o novo presidente do Cofecon agradeceu a presença dos presidentes dos Conselhos Regionais, dos colegas conselheiros federais, dos conselheiros do Corecon/DF e demais presentes, e disse que tem muito orgulho de ser economista e de presidir o Conselho Federal. Lembrou a criação da Lei 1.411, em 1951, que regulamentou a profissão de Economista, e apresentou uma retrospectiva de sua trajetória profissional desde sua graduação, em 1975, na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Falou sobre as principais atribuições do Cofecon, como orientar e disciplinar o exercício da profissão de Economista, e julgar, em última instância, os recursos de penalidades impostas pelos Corecons, e disse que existem outras, que nem sempre mereceram a devida atenção, como servir de órgão consultivo do Governo em matéria de economia profissional, contribuir para a formação de sadia mentalidade econômica através da disseminação da técnica econômica nos diversos setores de economia nacional e promover estudos e campanhas em prol da racionalização econômica do País. Falou sobre o cenário econômico mundial e sobre as dificuldades que o Brasil vêm sentindo para superar a crise econômica, lembrando que o sistema econômico “não prima exatamente pela justiça social e racionalidade econômica, mas gera dois dos maiores flagelos da humanidade, que são a pobreza e o desemprego”. Ressaltou que, em seu plano de trabalho, quando candidato à presidência, constava o propósito de propor e promover campanha pela redução da desigualdade na distribuição da renda e da riqueza no Brasil, e que esse objetivo agora passa a integrar o programa de ação do Cofecon. “Se o Conselho Federal de Economia deve e quer efetivamente contribuir para a formação de sadia mentalidade econômica através da disseminação da técnica econômica nos diversos setores de economia nacional e promover estudos e campanhas em prol da racionalização econômica do País, por que não começar por uma ampla campanha pela redução da desigualdade na distribuição da renda e da riqueza no Brasil?”, afirmou. Citou outras prioridades, como a aprovação do PLS nº 658/07, consolidação do Cofecon como referência no debate econômico nacional, a busca, junto ao governo federal, da elaboração de um Plano Nacional de Desenvolvimento Econômico, entre outras, e anunciou que a Entidade teve atendida antiga aspiração, que é sua participação no reativado Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social do Governo Federal.

Júlio Miragaya é conselheiro do Corecon/DF, onde foi presidente em 1999, e também foi vice-presidente do Cofecon em 2015. É doutor em Desenvolvimento Econômico Sustentável e mestre em Gestão Territorial pela Universidade de Brasília (UnB), e especialista em Planejamento Urbano e Regional pelo IPPUR/UFRJ. O economista também é presidente do Instituto Brasiliense de Estudos da Economia Regional (Ibrase) e foi eleito presidente da Associação Nacional das Instituições de Planejamento, Pesquisa e Estatística (Anipes) para o biênio 2016/2017.

 

Economista gaúcho Henri Bejzman assume Conselho Federal

posse henri

 

Eleito conselheiro federal efetivo junto ao Cofecon, para o triênio 2016-2018, Henri Bejzman, juntamente com outros 11 conselheiros federais, foi empossado na noite desta quinta-feira, em Brasília. Além de Bejzman, assumiram, como conselheiros titulares, Bianca Lopes de Andrade Rodrigues, de Roraima, Felipe Macedo de Holanda, do Maranhão, Nei Jorge Correia Cardim, da Bahia, Denise Kassama Franco do Amaral, do Amazonas, e Pedro Andrade de Oliveira, do Piauí. Como suplentes, Eduardo Rodrigues da Silva, de Goiás, Fernando de Aquino Fonseca Neto, de Pernambuco, Sebastião Demuner, do Espírito Santo, Paulo Polli Lobo, de Santa Catarina, Arthur Nemrod Menezes Guimarães, da Bahia, e Henrique Jorge Marinho, do Ceará.

A presidente do Corecon/RS, economista Simone Magalhães, e o conselheiro federal Henri Bejzman, participarão, ainda, ao longo dessa sexta-feira, de uma série de reuniões e encontros, na sede do Cofecon, que integram a programação oficial do evento em Brasília.

 

Corecon/RS nas posses do novo presidente do Cofecon e do conselheiro federal Henri Bejzman



A presidente do Corecon/RS, economista Simone Magalhães, participará, na próxima quinta-feira, dia 28, em Brasília, da solenidade de posse do novo presidente do Cofecon, economista Júlio Miragaya. Na ocasião, também serão empossados o vice-presidente do Cofecon, economista Odisnei Béga, e seis novos conselheiros federais efetivos, e seus suplentes, entre eles, o economista gaúcho Henri Wolf Bejzman.

Henri Bejzman toma posse no Conselho Federal



Eleito conselheiro federal efetivo junto ao Cofecon, para o triênio 2016-2018, Henri Bejzman também estará sendo empossado durante a solenidade da próxima sexta-feira, às 19 horas, no auditório vermelho do Hotel Nacional, em Brasília. A sua eleição foi realizada por ocasião da Assembleia dos Delegados Eleitores, ocorrida em dezembro último, na sede do Cofecon, da qual participaram 24 representantes dos Conselhos Regionais.

Junto com Bejzman, estarão sendo empossados, como conselheiros titulares, Bianca Lopes de Andrade Rodrigues, de Roraima, Felipe Macedo de Holanda, do Maranhão, Nei Jorge Correia Cardim, da Bahia, Denise Kassama Franco do Amaral, do Amazonas, e Pedro Andrade de Oliveira, do Piauí. Como suplentes, Eduardo Rodrigues da Silva, de Goiás, Fernando de Aquino Fonseca Neto, de Pernambuco, Sebastião Demuner, do Espírito Santo, Paulo Polli Lobo, de Santa Catarina, Arthur Nemrod Menezes Guimarães, da Bahia, e Henrique Jorge Marinho, do Ceará.

Presidente do Corecon/RS inicia visitas a instituições gaúchas



A presidente do Corecon/RS, economista Simone Magalhães, vem realizando uma série de visitas a instituições de expressão de nosso estado, com o objetivo de buscar maior aproximação entre as entidades e de reforçar, junto a seus dirigentes, a importância do Corecon/RS, que é o órgão de representatividade máxima dos economistas no Rio Grande do Sul, na valorização da atividade profissional.

Depois de reunir-se com o Economista-Chefe da Fiergs, André Nunes de Nunes, Simone Magalhães teve encontro com o vice-presidente do BRDE, Odacir Klein, e seu assessor Carlos José Ponzoni. “São visitas de extrema relevância, já que podemos conversar sobre as atividades do nosso Conselho, estabelecer uma troca de conhecimentos e experiências, fortalecendo as relações e desenvolvendo parcerias”, afirmou a presidente.

Inscrições para trabalhos no Encontro de Economia Gaúcha abrem em março

 

 

economia gacha

No dia 1º de março próximo, abrem as inscrições para submissão de artigos para o Encontro de Economia Gaúcha, que acontece na PUC/RS, nos dias 19 e 20 de maio de 2016. A promoção é da Fundação de Economia e Estatística (FEE) e PUC/RS.

As áreas para submissão de artigos são “Agricultura familiar e desenvolvimento rural”, “Desigualdade, pobreza e políticas públicas”, “Economia do trabalho e demografia”, “Economia regional e urbana”, “Estudos setoriais, cadeias produtivas e agronegócio”, “História econômica”, “Macroeconomia, setor externo e crescimento econômico”, “Meio ambiente e desenvolvimento sustentável”, “Setor público e finanças públicas”.

Os artigos obedecem à seguinte formatação: letra Times New Roman 12, espaço entrelinhas 1,5. Margens: superior e esquerda, 3,0 cm; inferior e direita, 2,0 cm. O artigo não deve exceder 25 laudas, incluindo tabelas, figuras, notas e referências bibliográficas (desde que não ultrapasse 2MB). O artigo deve apresentar título, de abstract em inglês, e de um resumo, em português, com 10 linhas no máximo.

Maiores informações, pelo fone (51)32169012/32169013 

Prazo para comunicação ao COAF é 31 de janeiro

O Conselho Regional de Economia da 4ª Região RS informa que 31 de janeiro de 2016  é o prazo para os profissionais da área de economia comunicarem a Entidade sobre a NÃO OCORRÊNCIA de fatos ou suspeições, que demandem comunicação ao COAF (Conselho de Controle de Atividades Financeiras - http://www.coaf.fazenda.gov.br/), no exercício de 2015, conforme determinação contida nos §§3º e 4º, do Artigo 3º, da Resolução nº 1.902/2013 - COFECON.

A comunicação é para pessoas físicas e jurídicas devidamente registradas neste Regional que exercem as atividades listadas na Seção 2.3.1 da Consolidação da Legislação da Profissão do Economista.

No caso de desempenho das atividades da Seção 2.3.1 supracitada, segue nos links abaixo o documento ser preenchido e enviado ao CORECONRS para o email O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

Para preencher o formulário clique abaixo.

>> COMUNICAÇÃO AO COAF VIA CONSELHO REGIONAL DE ECONOMIA <<

 

Em caso de comunicação positiva do economista/ou empresa, referente à suspeição, deverá relatar tal ocorrência diretamente ao COAF, por meio do sítio eletrônico https://siscoaf.fazenda.gov.br/siscoaf-internet/pages/cadastroPO/tipoPO.jsf

No intuito de esclarecer dúvidas relacionadas ao cumprimento da comunicação ao COAF, bem como o previsto na Resolução n.º 1.902/2013 – COFECON e Lei Federal n.º 9.613/92, baixe a cartilha explicativa disponibilizada no site do COFECON.

Alerta-se aos economistas que o não encaminhamento da declaração poderá resultar na aplicação das sanções previstas no art. 12 da Lei n.º 9.613/98.

Corecon/RS passa a usar o Selo ENEF

SELO ENEF RGB 01O Corecon/RS recebeu, nesta semana, a liberação para o uso oficial do Selo Estratégia Nacional de Educação Financeira (ENEF), concedido à entidade gaúcha, em novembro último, pelo Conselho Nacional de Educação Financeira (Conef).

Publicado no Diário Oficial da União, sob a Portaria Nº 9, de 06 de novembro de 2015, do Banco do Brasil, o Selo ENEF é um reconhecimento do Conef às iniciativas realizadas por instituições brasileiras na área de educação financeira.

O Corecon/RS, que é a primeira entidade nacional representativa dos economistas a ser premiada, recebeu o Selo ENEF pelo projeto "Concurso de Redação em Educação Financeira nas Escolas", promovido pela Entidade junto às escolas públicas e particulares de ensino médio e fundamental do Rio Grande do Sul.

O Concurso, cuja solenidade de premiação foi realizada no dia 20 de novembro último, abordou o tema “Educação Financeira em Casa e na Escola”, e selecionou as três melhores redações do ensino médio e as três melhores do ensino fundamental.

Juntamente com o Corecon/RS, também foram premiadas, em nível nacional, empresas, como Allianz Seguros, Banco Itaú, Banco Santander, Banco do Brasil, BrasilPrev Seguros e Previdência, HSBC Bank Brasil, Sebrae, entre outros.

A Comissão de Educação Financeira do Corecon/RS, coordenada pelo então conselheiro, economista Everton Lopes, era também composta pelos economistas Alfredo Menegheti Neto, Alexandre Reis e Volney Rosa.

Para acessar a lista das iniciativas aprovadas pelo Conef, clique aqui.

Banco Central distribui R$ 35 mil às melhores monografias sobre política monetária

 

Com o objetivo de estimular a pesquisa nos campos da ciência econômica e em comemoração aos seus 50 anos de existência, o Banco Central do Brasil está lançando o Prêmio Banco Central de Economia e Finanças. Ao todo, serão distribuídos R$ 35 mil para os três melhores trabalhos de monografia, que deverão ter o tema política monetária como foco central.

Maiores informações, no site do Cofecon http://goo.gl/XwBBzJ

Economista Sylvio Motta assume presidência da Aeconsul em janeiro

mesa

A Aeconsul promoveu, na última quarta-feira, dia 16, em Pelotas, solenidade de apresentação da sua nova Diretoria, que assume a partir do dia 1º de janeiro próximo, para um mandato de dois anos. Para a presidência, foi eleito o economista Sylvio Motta.

A solenidade, realizada no Salão de Eventos do Curi Palace Hotel, foi coordenada pelo presidente da entidade, economista Volney Rosa, e contou com a participação de economistas, professores, políticos e empresários da região Sul do Estado. Os conselheiros Simone Magalhães, Aristóteles Galvão e Eduardo Mendonça estiveram presentes no evento, representando o Corecon/RS.

Em seu discurso, Volney Rosa apresentou um relatório das atividades realizadas ao longo deste ano. Destacou, entre elas, a reestruturação física da sede da Aeconsul, com aquisição de móveis e equipamentos, e lembrou os projetos “Educação Financeira” e “Café com Economia”, coordenado pelo vice presidente João Carlos Madail. “Somados os períodos em que fui presidente da Aeconsul, conselheiro do Corecon/RS e delegado regional, foram 27 anos consecutivos de serviços prestados em prol de minha categoria profissional”, afirmou.

O presidente eleito Sylvio Motta falou sobre projetos a serem desenvolvidos durante sua gestão e disse que “Assumo uma entidade prestigiada e forte, que tem entre suas metas a incansável busca da qualificação”.

No final do evento, o economista Volney Rosa foi homenageado pelos colegas da Aeconsul, com uma placa de reconhecimento e homenagem pelos relevantes serviços prestados à categoria.

sylviomota2

O economista e professor Sylvio Motta é o atual coordenador do Instituto Técnico de Pesquisa e Assessoria (Itepa), da Universidade Católica de Pelotas (UCPel),

  onde ministrou aulas nos cursos de Administração e Economia ao longo dos últimos 44 anos.

Júlio Miragaya é eleito presidente do Cofecon

 cofecon

O economista Júlio Miragaya foi eleito, durante sessão plenária ordinária, ocorrida no dia 12 último, presidente do Cofecon. Na vice-presidência, assumirá o economista Odisnei Béga, também para um mandato de um ano, que terá início em 1º de janeiro próximo.

Após a eleição, Júlio Miragaya agradeceu o apoio dos conselheiros e afirmou que o Cofecon tem tido grandes avanços nos últimos anos, em especial a implementação do voto eletrônico, a inauguração da nova sede e as tratativas no Senado para implementação da lei que regulamenta a profissão de economista. “São conquistas de todos nós e, no próximo ano, queremos avançar ainda mais”, afirmou.

Júlio Miragaya foi conselheiro do Corecon/DF e presidente da entidade em 1999, e vice-presidente do Cofecon em 2015. É doutor em Desenvolvimento Econômico Sustentável e mestre em Gestão Territorial pela Universidade de Brasília (UnB) e especialista em Planejamento Urbano e Regional pelo IPPUR/UFRJ. O economista também é presidente do Instituto Brasiliense de Estudos da Economia Regional (Ibrase) e foi eleito presidente da Associação Nacional das Instituições de Planejamento, Pesquisa e Estatística (Anipes) para o biênio 2016/2017.

Odisnei Antônio Béga é formado em Ciências Econômicas pela Universidade Federal do Paraná. Foi funcionário do Banco do Estado do Paraná (Banestado) por 28 anos e trabalhou como agente autônomo de investimentos de 2001 a 2013. Foi conselheiro do Corecon/PR por três anos e membro do Conselho Administrativo do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), de 2003 a 2010.

Pagina 28 de 31