slogan

SELO ENEF

Mulheres que fazem o Corecon-RS

janile5Janile Soares

(Economista, consultora financeira, coordenadora da Comissão de Educação Financeira do Corecon-RS, autora do blog A Economista de Batom. Trabalha com jovens, nas escolas, e mulheres e suas famílias. Criadora dos projetos "Na Ponta do Lápis", de inclusão financeira, "Empreender o Futuro", para jovens, e do "Meu Planner Financeiro", ferramenta para gestão).


“Ainda recebo muito a seguinte pergunta: como é ser uma economista em um meio tão masculino? Tenho observado que temas como diversidade e inclusão estão sendo tratados com mais atenção dentro das empresas. E é natural que isso aconteça quando nos encontramos em uma sociedade que entende melhor a pluralidade. Porém ainda vemos uma minoria de mulheres ocupando cargos para os quais elas estudaram e tiveram uma formação acadêmica, menos ainda, quando falamos em cargos de liderança, visto que, dada a proporção, somos maioria. E é por isso que o meu trabalho é direcionado às mulheres e suas famílias, para trazê-las à luz do empoderamento econômico e finaneiro, tão importante para o desenvolvimento e para que possam ter o entendimento de que, sim, devemos ter mais economistas de batom nas mesas de reuniões.”

 

 


Marivia NunesMarivia de Aguiar Nunes

(Economista, Mestre e Doutora em Economia Regional pela PUCRS, Analista na Gerência de Análise Técnica da área de Estudos Econômicos do Banrisul. Trabalhou como trainee na UEE-FIERGS e também como trainee na Solidus SA CCVM, e como analista de financiamento de projetos na Excelência Energética Consultoria Empresarial Ltda, de São Paulo. Foi professora Assistente na Fadergs.)

“O meu desejo é que as mulheres, independentemente da área de atuação que escolheram para exercer suas atividades profissionais, sigam acreditando que, através da serenidade, comprometimento e competência, é possível reduzir significativamente o hiato de gênero que ainda se manifesta no mercado de trabalho. Não se deve esquecer que, para tanto, deve-se trabalhar em conjunto, atitude que tende, inclusive, a repercutir em entregas de qualidade superior, uma vez que equipes multidisciplinares são comprovadamente mais produtivas do que times compostos por pessoas de perfis semelhantes.”

 


giovana5Giovana Menegotto

(Economista, Mestre em Economia com ênfase em Economia Aplicada pela UFRGS e doutoranda pelo mesmo programa. Graduou-se com láurea acadêmica pela UFRGS e prêmio de aluno destaque pelo Corecon-RS. Atua como assessora econômica na Fecomércio-RS.)

"O cenário das instituições de grande relevância em temas da economia global nos ajuda a visualizar o avanço das mulheres no mundo na Economia, com a liderança de Gita Gopinath, economista-chefe do FMI, e Laurence Boone, economista-chefe da OCDE. No Brasil, não é diferente; aqui no Estado, por exemplo, temos a Patrícia Palermo à frente da Fecomércio-RS (com quem tenho o privilégio de trabalhar e me inspirar). Essa representatividade, embora ainda pequena, já é muito maior do que a de anos atrás. Ter exemplos em quem se espelhar incentiva as mulheres a buscarem seus objetivos profissionais, quaisquer que sejam, com a plena confiança de que podem chegar onde quiserem. Isso é fundamental em um mundo que, embora consideravelmente melhor, ainda tem um longo caminho a percorrer para que o tratamento profissional não dependa do gênero."

 


Vanessa Newmann Sulzbach

vanessa5(Economista, com mestrado em Economia na A Escola de Economia de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas (EESP/FGV), de São Paulo, e doutoranda em economia na UFRGS. Economista do Departamento Estadual de Estatística (antiga FEE). Foi economista da Fiergs.)

“Que as mulheres possam se lembrar de quem elas são, das suas forças, e do poder que têm e sempre tiveram. Os ambientes de negócios e a profissão de economista, tradicionalmente muito masculinizados, são hoje mais completos com a inserção das mulheres. Num mundo onde prevalecem as ideias, elas vêm se destacando por suas mentes brilhantes, sua determinação e suas habilidades interpessoais, transformando os ambientes de trabalho. Que a trajetória de inserção das mulheres economistas se torne referência e inspiração para muitas profissionais. Uma feliz Semana das Mulheres para todas!”