slogan

SELO ENEF

“2019, um ano-chave para uma agenda de futuro”, diz Moraes

O coordenador do Curso de Ciências Econômicas da Pontifícia Universidade Católica do RS (PUCRS) e Economista do Ano em 2018, professor Gustavo Inácio de Moraes, foi o palestrante da primeira edição do Economia em Pauta do ano, ocorrido na noite do dia 21, no Hotel Plaza São Rafael, em Porto Alegre. O tema foi Perspectivas para a economia brasileira em 2019 e contou com a participação do jornalista Fernando Soares, do Jornal Pioneiro, vencedor do Prêmio Reportagem de Economia 2018, categoria Mídia Impressa.

O presidente do Corecon-RS, economista Rogério Tolfo, deu boas vindas aos palestrantes e ao público presente e explicou que, depois de um ano de sucessivos debates nas universidades, o Economia em Pauta retorna ao Hotel Plaza São Rafael, levando sempre à discussão do público os temas de conjuntura que se impõem para uma melhor compreensão da realidade econômica em que o País está inserido.

foto3O professor Gustavo Moraes iniciou sua apresentação perguntando como fazer para que o Brasil utilize todo seu potencial produtivo e econômico disponível e não aproveitado. Disse que há a necessidade de analisar problemas estruturais, como a baixa produtividade, a ausência relativa de infra-estrutura e o processo histórico de desenvolvimento concentrado no capital, ao invés de utilizar-se daqueles recursos que dispõem em abundância, como recursos naturais e trabalho. Apresentou uma análise do processo histórico através de um quadro comparativo com base no PIB per capita e disse que o ano de 1980 foi o momento em que a economia brasileira se perdeu, passando a ser ultrapassada por economias com perfis semelhantes, como Chile, Argentina e México. Explicou que o crescimento brasileiro foi baseado principalmente em acumulação de capital, embora carente de desenvolvimento em termos de trabalho e recursos naturais, e apresentou números que demonstram o descontrole das contas públicas e a fragilidade dos indicadores setoriais.

gustavofechado“O ano de 2019 será um fundamental para que implantemos uma agenda de futuro. Um ano que, no campo econômico, poderá ser de grandes resultados, no sentido de reorganizar o setor público e direcionar a economia brasileira para um acúmulo de poupança mais significativo”, acrescentou.  Alertou, no entanto que, caso fracasse a reorganização do setor público, especialmente a reforma da previdência e o encaminhamento de uma agenda de recuperação da capacidade de investimento, o ano de 2019 “marcará um crescimento econômico, mas sem construir uma esperada decolagem para os próximos anos”.

 

fernandoAntes de abrir os trabalhos à participação do público, o jornalista Fernando Soares apresentou algumas considerações sobre o tema abordado e levantou alguns questionamentos sobre o nível de crescimento da economia brasileira prevista para o ano de 2019, os riscos de fatiamento da reforma da previdência e os tipos de reforma necessárias para o realinhamento da economia brasileira.

Também estiveram presentes nesta edição do Economia em Pauta o conselheiro do Corecon-RS Aristóteles Galvão, o ex-presidente Lauro Nestor Renck e os ex-conselheiros Carlos Alberto Abel e Vladimir da Costa Alves.

O Economia em Pauta tem o apoio de Águas Mineral Sarandi.

Acesse a apresentação da palestra em pdf

Acesse os videos do evento