slogan

SELO ENEF

Em breve, toda a receita nacional ira para a Seguridade e Previdência

 

Não precisa ser um “expert” para ver que com menos de 18% da receita líquida não dá para cobrir as despesas de todos os ministérios, exceto os três da Seguridade, de todos os Poderes,aplicar 4,5% da receita líquida em educação (18% da receita líquida de impostos), fazer investimentos e, ainda, formar superávit primário, sem o que a dívida explode!
É comum ouvir-se dizer que não há déficit na Previdência. Há até uma tese de mestrado ou doutorado nesse sentido. Recentemente aprovaram uma CPI que concluiu que esse déficit não existe.

Na realidade,quando dizem isso, estão querendo dizer que não há déficit na Seguridade Social, que é formada por Previdência, Saúde e Assistência Social, onde também existe grande déficit, conforme demonstrado mais adiante. O que existe é uma alquimia contábil nascontas da Seguridade Social que acaba transformando déficit em superávit.

Nem Previdência, nem Seguridade podem ser tomadas isoladamente, por maior que seja sua importância. Elas estão dentro de um contexto econômico e assim devem ser analisadas.

Como diz a frase em epígrafe, praticamente 88% do dinheiro do Governo Federal está sendo despendido dom Seguridade Social, devendo chegar aos 100% em pouco tempo,se nada for feito.

O problema previdenciário do governo federal é tanto no INSS, como no RPPS. No primeiro, há maior crescimento e no segundo há uma grande injustiça.

A situação dos estados também é trágica, pelo alto e crescente gasto com previdência.

E nos municípios, está sendo armada uma bomba financeira de consequências imprevisíveis para o futuro. É o que contém o texto maior.

 Leia artigo na íntegra em http://darcyfrancisco.com/2019/02/11/em-breve-toda-a-receita-nacional-ira-para-previdencia-e-seguridade-social/

 

Artigo do Conselheiro do Corecon-RS, economista Darcy Francisco Carvalho dos Santos