Corecon-RS faz entrega de premiações nesta quinta, no Hotel Continental

O Conselho Regional de Economia do Rio Grande do Sul (Corecon-RS) promove, nesta quinta-feira, dia 13, às 20 horas, no Hotel Continental (Largo Vespasiano Júlio Veppo, 77), em Porto Alegre, a solenidade de entrega do “Prêmio Corecon-RS 2018”, o “Prêmio Economista do Ano” e o prêmio “Destaque Especial em Economia”. Na oportunidade, também serão entregues pelo Corecon/RS o “Prêmio Jornalista de Economia do Ano” e o “Prêmio Reportagem de Economia do Ano”, que homenageia os autores das melhores reportagens de Economia de mídia impressa, digital e radiojornalismo.

Economista do Ano 2018
Gustavo Inácio de Moraes

Destaque Especial 2018
Cezar Augusto Busatto (In Memoriam)

Jornalista de Economia 2018
Leandro Mariani Mittmann

 

PRÊMIO CORECON-RS 2018

Monografias ou Trabalhos de Conclusão de Curso

1º Lugar:

Título: “Uma análise sobre a demanda por alimentos em domicílios com baixa renda e o papel do Bolsa Família nos gastos com alimentação a partir da POF2008/2009”
Autor: Lorenzo L. Bianchi
Orientador: Marco Tulio Aniceto França
Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUCRS

2º Lugar:

Título: “Educação financeira na formação básica como alicerce para o futuro: estudo da proficiência dos estudantes de Ensino Médio de Caxias do Sul.
Autor: Cleusa Karina Warken
Orientadora: Jacqueline Maria Corá
Universidade de Caxias do Sul - UCS

3º Lugar:

Título: “Comparação do desempenho de medidas realizadas para previsão de volatilidade de ações da B3”
Autor: Tainan de Bacco Freitas Boff
Orientador: João Fróis Caldeira
Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS

 

Artigos Técnicos ou Científicos

Título: “Os arranjos familiares importam no momento de decidir em qual rede de ensino matricular os filhos?”
Autora: Julia SbroglioRizzotto
Co-autores: Marco Túlio Aniceto Franca
Gustavo Saraiva Frio

 

Dissertações de Mestrado
1º Lugar:

Título: “Previdência dos servidores públicos e concentração de renda: teoria e evidências empíricas para os municípios brasileiros no período 2000 a 2010”
Autor: Henrique Serra Sitja
Orientador: Giácomo Balbinotto Neto
Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS

2º Lugar:

Título: “Análise da persistência inflacionária no Brasil (1999-2016)”
Autora: Eduarda Fernandes Lustosa de Mendonça
Orientador: Andre Moreira da Cunha
Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS

3º Lugar:

Título: “Rodada Doha e a possível redução de barreiras tarifárias e não tarifárias: Uma estimativa dos benefícios para o Brasil por meio do Modelo de Equilíbrio Geral Computável”
Autora: Alessandra Biavati Rizzotto
Orientador: André Filipe Zago de Azevedo
Universidade do Rio dos Sinos - Unisinos

 

PRÊMIO REPORTAGEM DE ECONOMIA 2018

Mídia Impressa (Jornal/Revista)

1º Lugar:
“Corrida pelo dinheiro virtual”
Jornalista Fernando Soares (Jornal Pioneiro)

2º Lugar:
“Colheita Farta”
Série de reportagens sobre a força do cooperativismo para o Brasil
e para a região Sul
Jornalistas Marcos Graciani, Karine Menoncin e Ítalo Bertão Filho (Revista Amanhã)

3º Lugar:
“Tensão no Bloco”
Jornalista Danton Junior (Correio do Povo)

Radiojornalismo
“Cooperativismo: crescimento mesmo diante da crise”
Jornalistas Eduardo Matos e Felipe Daroit (Rádio Gaúcha)

Mídia Digital/OnLine
“Novos tempos do leite”
Jornalistas Danton Junior e Cíntia Marchi (Correio do Povo)

 

Cezar Busatto será homenageado, in memoriam, como “Economista Destaque Especial 2018”  

O ex-secretário da Fazenda do RS, economista Cezar Augusto Busatto, falecido em agosto deste ano, que receberá homenagem, in memoriam, com título do “Economista Destaque Especial 2018”, proferido pelo Conselho Regional de Economia do RS (Corecon-RS). A iniciativa, tomada durante reunião da Comissão Julgadora dos Prêmios Corecon-RS, foi aprovada, no dia 2 de dezembro último, durante sessão plenária dos conselheiros, na sede da Entidade.

Natural de Veranópolis, Cezar Augusto Busatto era auditor fiscal aposentado e foi professor universitário. Graduou-se em Ciências Econômicas, pela UFRGS, em 18 de setembro de 1975. Foi secretário especial de Governo e adjunto da Fazenda na administração de Pedro Simon, e secretário da Fazenda no governo de Antônio Britto. Foi deputado estadual por três mandatos, 1994, 1998 e 2002. Ex-secretário de Coordenação Política e Governança da prefeitura de Porto Alegre, na primeira gestão de José Fogaça e ex-Chefe da Casa Civil estadual no governo de Yeda Crusius.

A homenagem será oficializada durante solenidade oficial no dia 13 de dezembro próximo, às 20 horas, no Hotel Continental (Largo Vespasiano Júlio Veppo, 77 – em frente à Rodoviária), em Porto Alegre. Na oportunidade também serão homenageados os vencedores do “Prêmio Corecon-RS 2018”, nas modalidades Monografias ou Trabalhos de Conclusão de Curso, Artigo Técnico ou Científico e Dissertações de Mestrado. Também serão entregues o “Prêmio Economista do Ano” a Gustavo Inácio de Moraes, professor e coordenador do Curso de Ciências Econômicas da PUCRS, o “Prêmio Jornalista de Economia do Ano” a Leandro Mariani Mittmann, editor da Revista A Granja, além das melhores reportagens de Economia do ano.

 

Corecon-RS divulga melhores reportagens de Economia do ano

O Corecon-RS divulgou, no dia 3 de dezembro último, os vencedores do “Prêmio de Reportagem de Economia 2018”. Na categoria Mídia Impressa, o 1º Lugar ficou para a matéria “Corrida pelo dinheiro virtual”, de autoria do jornalista Fernando Soares, do Jornal Pioneiro; o 2º Lugar para “Colheita Farta”, produzida pelos jornalistas Marcos Graciani, Karine Menoncin e Ítalo Bertão Filho, da Revista Amanhã; e o 3º Lugar para a matéria “Tensão no Bloco”, de autoria do jornalista Danton Junior, do Correio do Povo. Na categoria Radiojornalismo, a melhor matéria foi “Cooperativismo: crescimento mesmo diante da crise”, de autoria dos jornalistas Eduardo Matos e Felipe Daroit, da Rádio Gaúcha. Na categoria Mídia Digital/OnLine, foi escolhida a matéria “Novos tempos do leite”, produzida pelos jornalistas Danton Junior e Cíntia Marchi, do Correio do Povo.

Os prêmios serão entregues durante solenidade oficial no dia 13 de dezembro, às 20 horas, no Hotel Continental (Largo Vespasiano Júlio Veppo, 77 – em frente à Rodoviária), em Porto Alegre. Na oportunidade também serão homenageados os demais vencedores do “Prêmio Corecon-RS 2018” — que destaca as melhores dissertações de Mestrado, artigos técnicos ou científicos e monografias ou trabalhos de conclusão de Curso —, o “Prêmio Economista do Ano”, o “Prêmio Destaque Docente do Ano” e o "Prêmio Jornalista de Economia do Ano".

  

Prêmio Corecon-RS Reportagem de Economia 2018

 Mídia Impressa (Jornal/Revista)

 1º Lugar:
“Corrida pelo dinheiro virtual”
Jornalista Fernando Soares
(Jornal Pioneiro)

2º Lugar:
“Colheita Farta” – Série de reportagens sobre a força do cooperativismo para o Brasil e para a região Sul
Jornalistas Marcos Graciani, Karine Menoncin e Ítalo Bertão Filho
(Revista Amanhã)

3º Lugar:
“Tensão no Bloco”
Jornalista Danton Junior
(Correio do Povo)


Radiojornalismo

“Cooperativismo: crescimento mesmo diante da crise”
Jornalistas Eduardo Matos e Felipe Daroit
(Rádio Gaúcha)


Mídia Digital/OnLine

“Novos tempos do leite”
Jornalistas Danton Junior e Cíntia Marchi
(Correio do Povo)

 

Corecon-RS divulga melhores Monografias, Artigos Técnicos e Dissertações de Mestrado e “Economista Destaque Especial 2018”

 

O Conselho Regional de Economia do RS (Corecon-RS) homologou os vencedores do “Prêmio Corecon-RS 2018”, nas modalidades Monografias ou Trabalhos de Conclusão de Curso, Artigos Técnicos ou Científicos e Dissertações de Mestrado. A iniciativa tem como objetivo premiar, anualmente, trabalhos de profissionais que atuam na área da economia, de recém mestres dos cursos de Pós-Graduação em Economia e dos recém formados nos cursos de Graduação em Ciências Econômicas, de instituições de Ensino Superior no Rio Grande do Sul.

O Conselho divulgou, também, o nome do economista Cezar Augusto Busatto, ex-secretário da Fazenda do RS, falecido em agosto deste ano, que receberá homenagem, in memoriam, como “Economista Destaque Especial 2018”.

Os prêmios serão entregues durante solenidade oficial no dia 13 de dezembro próximo, às 20 horas, no Hotel Continental (Largo Vespasiano Júlio Veppo, 77 – em frente à Rodoviária), em Porto Alegre. Na oportunidade também serão entregues o “Prêmio Economista do Ano” a Gustavo Inácio de Moraes, professor e coordenador do Curso de Ciências Econômicas da PUCRS, o título de “Economista Destaque Especial do Ano de 2018”, in memoriam, ao ex-secretário da Fazenda do RS, Cezar Augusto Busatto, o “Prêmio Jornalista de Economia do Ano” a Leandro Mariani Mittmann, editor da Revista A Granja, além das melhores reportagens de Economia do ano.

 

Economista do Ano 2018
Gustavo Inácio de Moraes

Destaque Especial 2018
Cezar Augusto Busatto (In Memoriam)

Jornalista de Economia 2018
Leandro Mariani Mittmann

 

PRÊMIO CORECON-RS 2018

Monografias ou Trabalhos de Conclusão de Curso

1º Lugar:

Título: “Uma análise sobre a demanda por alimentos em domicílios com baixa renda e o papel do Bolsa Família nos gastos com alimentação a partir da POF2008/2009”
Autor: Lorenzo L. Bianchi - Reg. 8653
Orientador: Marco Tulio Aniceto França - Reg. 7705-PR
Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUCRS

2º Lugar:

Título: “Educação financeira na formação básica como alicerce para o futuro: estudo da proficiência dos estudantes de Ensino Médio de Caxias do Sul.
Autor: Cleusa Karina Warken - Reg. 8657
Orientadora: Jacqueline Maria Corá - Reg. 6414
Universidade de Caxias do Sul - UCS

3º Lugar:

Título: “Comparação do desempenho de medidas realizadas para previsão de volatilidade de ações da B3”
Autor: Tainan de Bacco Freitas Boff - Reg. 8633
Orientador: João Fróis Caldeira - Reg. 7682
Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS

 

Artigo Técnico ou Científico

Título: “Os arranjos familiares importam no momento de decidir em qual rede de ensino matricular os filhos?”
Autora: Julia SbroglioRizzotto - Reg. 8625
Co-autores: Marco Túlio Aniceto Franca – Reg. 7705
Gustavo Saraiva Frio

 

Dissertações de Mestrado

1º Lugar:

Título: “Previdência dos servidores públicos e concentração de renda: teoria e evidências empíricas para os municípios brasileiros no período 2000 a 2010”
Autor: Henrique Serra Sitja - Reg. 8659
Orientador: Giácomo Balbinotto Neto - Reg. 4815
Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS

2º Lugar:

Título: “Análise da persistência inflacionária no Brasil (1999-2016)”
Autora: Eduarda Fernandes Lustosa de Mendonça - Reg. 8660
Orientador: Andre Moreira da Cunha - Reg. 5243
Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS

3º Lugar:

Título: “Rodada Doha e a possível redução de barreiras tarifárias e não tarifárias: Uma estimativa dos benefícios para o Brasil por meio do Modelo de Equilíbrio Geral Computável”
Autora: Alessandra Biavati Rizzotto - Reg. 8618
Orientador: André Filipe Zago de Azevedo - Reg. 5219
Universidade do Rio dos Sinos - Unisinos

 

PRÊMIO REPORTAGEM DE ECONOMIA 2018

Mídia Impressa (Jornal/Revista)

1º Lugar:
“Corrida pelo dinheiro virtual”
Jornalista Fernando Soares (Jornal Pioneiro)

2º Lugar:
“Colheita Farta”
Série de reportagens sobre a força do cooperativismo para o Brasil e para a região Sul
Jornalistas Marcos Graciani, Karine Menoncin e Ítalo Bertão Filho (Revista Amanhã)

3º Lugar:
“Tensão no Bloco”
Jornalista Danton Junior (Correio do Povo)

Radiojornalismo
“Cooperativismo: crescimento mesmo diante da crise”
Jornalistas Eduardo Matos e Felipe Daroit (Rádio Gaúcha)

Mídia Digital/OnLine
“Novos tempos do leite”
Jornalistas Danton Junior e Cíntia Marchi (Correio do Povo)

 

 

Leandro Mittmann é o Jornalista de Economia do Ano

 

O jornalista Leandro Mariani Mittmann, editor da Revista Granja, foi escolhido o “Jornalista de Economia do Ano”, edição 2018. A distinção é concedida pelo Conselho Regional de Economia do RS (Corecon-RS), com o apoio da Associação Rio-Grandense de Imprensa (ARI) e do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado do RS (Sindjors), com o objetivo de homenagear um jornalista, devidamente registrado no Sindjors, que se destacou na sua área de atuação durante o ano. A escolha é feita por membros da ARI, do Sindjors, do Corecon-RS e de faculdades gaúchas que oferecem o curso de Comunicação Social/jornalismo no Rio Grande do Sul.

Natural de Passo Fundo e adotado por Santa Catarina até a juventude, Leandro Luís Mariani Mittmann tem 47 anos de idade, é casado com Weridiana Pacheco Mendonça e pai de Lorenzo Pacheco Mariani, com seis anos de idade. Jornalista profissional, graduado em 2001, pela Unisinos, possui MBA em Agronegócios pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), da Universidade de São Paulo (USP), e está cursando especialização em Cultura Digital e Redes Sociais pela Unisinos. Foi editor e repórter do Diário de Canoas, repórter de agricultura e pecuária da Revista Agrinova, repórter da área de pecuária da Revista AG-A Revista do Criador e é desde 2006, editor e repórter da Revista A Granja. Em sua trajetória profissional, conquistou diversos prêmios de jornalismo, como o primeiro lugar nas primeiras edições do Prêmio Agricultura Familiar de Jornalismoda FAO, e do Prêmio Sinurgs de Jornalismo, além de segundo e terceiro lugares em duas edições do Prêmio José Lutzenberger de Jornalismo Ambiental, entre outras premiações. Desenvolveu trabalhos para as revistas Imprensa, Esporte Business e doFutebol, de São Paulo, e para as revistas Amanhã e Aplauso, do Rio Grande do Sul. Foi o ghost writer do livro “Agropecuária – A Grande Virada”, de Rafael Saadi.

Os prêmios serão entregues durante solenidade oficial no dia 13 de dezembro, às 20 horas, no Hotel Continental (Largo Vespasiano Júlio Veppo, 77 – em frente à Rodoviária), em Porto Alegre. Na oportunidade também serão homenageados os demais vencedores do “Prêmio Corecon-RS 2018” — que destaca as melhores dissertações de Mestrado, artigos técnicos ou científicos e monografias ou trabalhos de conclusão de Curso —, o “Prêmio Economista do Ano”,e o “Prêmio Destaque Docente do Ano” e as melhores reportagens de Economia do ano.

  

 

Economistas gaúchos são eleitos conselheiros federais


clovis meurerhenri wolf bejzmannOs economistas gaúchos Clovis Meurer e Henri Bejzman foram eleitos, durante a Assembleia de Delegados-Eleitores dos Conselhos Regionais de Economia do país, ocorrida na última sexta-feira, dia 30, em Brasília, conselheiros do Conselho Federal de Economia (Cofecon). Ex-presidente do Corecon-RS, Meurer foi o candidato mais votado para conselheiro efetivo. Ex-conselheiro do Corecon-RS e atual conselheiro do Cofecon, Bejzman integrará a suplência da autarquia federal nonovo mandato. Ao todo, foram eleitos seis conselheiros efetivos e seis suplentes, para um mandato de três anos, de 2019-2021.

A Assembleia ocorreu na sede do Cofecon, em Brasília-DF, e foi presidida pelo presidente do Cofecon, economista Wellington Leonardo da Silva.

Foram eleitos conselheiros federais efetivos os economistas Clóvis Benoni Meurer (RS), Denise Kassama Franco do Amaral (AM), Heric Santos Hossoé (MA), Lauro Chaves Neto (CE), Maurílio Procópio Gomes (AL), e Paulo Dantas da Costa (BA). Como suplentes, foram eleitos Bianca Lopes de Andrade Rodrigues (RO), Eduardo Reis Araújo (ES), Henri Wolf Bejzman (RS), Nei Jorge Corrêa Cardim (BA), Paulo Roberto de Jesus (SC) e Teresinha de Jesus Ferreira da Silva (PI).

Gustavo de Moraes é o Economista do Ano


O economista Gustavo Inácio de Moraes foi escolhido, nesta segunda-feira, dia 26, o Economista do Ano 2018. Os candidatos ao “Prêmio Economista do Ano” são indicados por entidades públicas, privadas, universidades e entidades de categoria, como associações e sociedades, entre outras, sediadas no Rio Grande do Sul. A Comissão Julgadora é independente e formada por nove economistas com atuação profissional no âmbito do Rio Grande do Sul, sendo três representantes do setor público, três do setor privado e três do setor acadêmico.

Professor doutor da Pontifícia Universidade Católica do RS (PUCRS), é coordenador do Curso de graduação em Economia da PUCRS. Doutor em Economia Aplicada pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, da Universidade de São Paulo (Esalq-USP), mestre em Desenvolvimento Econômico pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e bacharel em economia pela Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA-USP). Foi economista no Banco Inter American Express.

A iniciativa do Corecon-RS é um reconhecimento a economistas que atuam nos mais diferentes campos da profissão, engajados em atividades dos setores privado ou público, academia ou profissionais autônomos, no Rio Grande do Sul, e que tenham se destacado por sua contribuição no fortalecimento do desenvolvimento econômico regional ou nacional, através de análises críticas e inovadoras sobre assuntos relevantes e de interesse público.

O Prêmio será entregue durante solenidade oficial no dia 13 de dezembro, às 20 horas, no Hotel Continental (Largo Vespasiano Júlio Veppo, 77, Porto Alegre. Na oportunidade, também serão homenageados os vencedores do “Prêmio Corecon-RS 2018” – que premia as melhores dissertações de Mestrado, artigos técnicos ou científicos e monografias ou trabalhos de conclusão de Curso –, o “Prêmio Corecon-RS de Reportagem de Economia 2018” e o “Prêmio Jornalista de Economia do Ano/2018”.

"O consumidor brasileiro vem desenvolvendo, a cada dia, uma relação mais forte com o mercado de seguros", afirma Vladimir Alves

vladimirO economista e especialista na área de seguros, Vladimir da Costa Alves, foi o palestrante do Economia em Pauta, realizado no dia 22, no Auditório da Faculdade de Desenvolvimento do RS (Fadergs), em Porto Alegre. Numa promoção do Corecon-RS, com o apoio do Curso de Ciências Econômicas da Faculdade de Desenvolvimento do RS (Fadergs), o economista falou sobre “O setor de seguros no Brasil: uma análise conjuntural”, apresentando um panorama atual da atividade no Brasil, com foco sobre as possibilidades de inserção de economistas e de pessoas com formação na área financeira neste mercado.


A coordenadora do Curso de Ciências Econômicas da Fadergs, professora e economista Cláudia Catherine Rodrigues, agradeceu a presença do palestrante e deu boas vindas aos estudantes, que prestigiaram o encontro.

Vladimir Alves iniciou sua apresentação falando sobre os conceitos básicos utilizados pelo setor de seguros, órgãos reguladores, história da regulação, gerenciamento de risco, além dos conhecimentos necessários para o exercício da atividade. Disse que, pelo conhecimento que vão adquirindo ao longo do curso, os estudantes de economia possuem o domínio de história, matemática e estatística, o que os torna extremamente hábeis e preparados para atuar no setor. Falou sobre o Sistema Nacional de Seguros Privados, a representação institucional, sindicatos e traçou um perfil das empresas atuantes no mercado e, através de gráficos, demonstrou o histórico de arrecadação de seguros, por segmento, elencando as 20 maiores empresas atuantes no País. Salientou que o setor de seguros no Brasil vem crescendo a cada ano e que, do total do PIB brasileiro de 2017, que foi R$ 6,56 trilhões, o setor foi responsável pela fatia de R$ 428,9 bilhões em arrecadação, o equivalente a 6,5% do PIB do Brasil. “As políticas de incentivo governamental, em especial a produtos que envolvem capacitação de poupança e a eficiência do sistema financeiro, com a redução dos custos de transação, geração de liquidez, fomento de economias de escala, entre outros, são as maiores causas desse crescimento”, afirmou. Apresentou, ainda, dados por segmento sobre a arrecadação de seguros no Brasil, a distribuição de receitas por região do país e ressaltou a importância do setor para a economia brasileira. Disse, também, que o comportamento da economia acarreta impacto direto no setor e que o consumidor brasileiro vem desenvolvendo uma relação gradualmente mais sólida com o mercado de seguros, dada a ampliação das suas aquisições de proteção, muito além de somente proteção automotiva, tais como seguros de vida, planos de previdência e garantias de execução contratual entre empresas.

baixar pdf da palestra

Mercado de seguros e previdência complementar no Brasil é tema do Economia em Pauta, nesta quinta, na Fadergs

 

O Corecon-RS e o Curso de Ciências Econômicas da Faculdade de Desenvolvimento do RS (Fadergs) pomovem, nesta quinta-feira, dia 22, às 18h30min, na sede da Faculdade (Rua Riachuelo, 1257, Centro Histórico – Porto Alegre), mais uma edição do Economia em Pauta. O Consultor de Empresas e especialista na área de seguros, economista Vladimir da Costa Alves, falará sobre “O mercado de seguros e previdência complementar no Brasil”. Apresentará, também, um panorama sobre a atividade, com foco sobre as possibilidades de inserção de economistas e de pessoas com formação na área financeira neste mercado.

Entrada gratuita!

Maiores informações pelo fone (51) 3254.2600 ou pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

 

Equilíbrio e Corecon-RS encerram I Maratona de Economia da UFRGS

Encerrou, na noite de terça-feira, dia 20, a I Maratona de Economia da Universidade, numa promoção conjunta do Corecon-RS e a Empresa Júnior Equilíbrio, da UFRGS. O evento, que aconteceu nos dias 19 e 20 de novembro, no auditório da Faculdade de Ciências Econômicas da UFRGS, reuniu economistas, oriundos do setor público e do setor privado, para apresentaram a estudantes de economia, administração, entre outros cursos, temas de conjuntura, além de depoimentos sobre o mercado de trabalho e a caminhada profissional.


O evento foi aberto, na noite de segunda-feira, pelo estudante de Economia da Universidade, presidente da Equilíbrio, Thales Gregolin, que deu boas vindas ao público participante e falou dos objetivos do Encontro, que é “proporcionar experiências de profissionais de economia sobre sua trajetória profissional”. 


“Trajetória de uma Economista: da rampa do Niemeyer à Lomba do Pinheiro” foi o tema escolhido pela Diretora da Justiça, da Secretaria do Desenvolvimento Social, Trabalho, Justiça e dos Direitos Humanos do Estado do RS, economista Ana Severo, que apresentou um relato de sua trajetória estudantil, iniciada em Brasília, no início dos anos 80, logo depois de, inclinada a cursar arquitetura, descobriu sua paixão pela economia. Explicou que o Brasil saía de um período de milagre econômico para entrar, anos depois, no segundo choque do petróleo, pela maxidesvalorização do cruzeiro, dívida externa e pela instabilidade econômica do cenário internacional. Vivendo no Depois de frustração com estágio no setor público, experimentou o sonho de empreendedora de turismo, tolhido logo em seguida pelo Plano Collor, instituído em março de 1990. Retornou a Porto Alegre, onde iniciou, no ano seguinte, o mestrado em Administração pelo PPGA da UFRGS, época em que foi aprovada em concurso público para a Secretaria da Fazenda do RS, abrindo, então, os horizontes para sua trajetória no setor público, com grande foco para a área de gestão e planejamento. Foi secretária adjunta de Planejamento e Gestão e chefe adjunta da Casa Civil do governo Yeda Crusius, retornando, mais tarde para a Sefaz. Convidada para assumir o cargo de Diretora de Justiça, durante o governo Sartori, atuou na elaboração de políticas de prevenção à violência e letalidade juvenil, onde constatou espaço importante para atuação de economistas, estatísticos e cientistas sociais, em função da carência de dados e da falta de avaliação de impactos dessas políticas. Ao finalizar a apresentação, lembrou o surgimento de novos campos para atuação do profissional de Economia, como economia do crime, economia feminista, economia do cuidado, meio ambiente, ciência de dados, entre outros. Parafraseando Michael Porter, diz que “Acertei em procurar meu diferencial. Quando agir localmente, pense global. Quando seu agir for global, pense o impacto local. O trabalho tem que fazer sentido”, disse.

clovis“O lucro é muito bom”, afirmou o Sócio e Diretor Superintendente da Companhia de Participações (CRP) e ex-presidente do Corecon-RS, economista Clóvis Meurer, ao iniciar seu depoimento. Falando sobre “Economia e empreendedorismo”, o economista elogiou a presença do setor público como instrumento de regulação da economia, mas ressaltou a importância do empreendedorismo como forma de fortalecer e desenvolver a estrutura econômica do país. Explicou a atuação da CRP Companhia de Participações, que procura fazer investimentos em empresas de qualquer porte, desde que já tenham um produto desenvolvido, geralmente promovidas por jovens ligados à área de tecnologia e inovação. Disse que a participação do economista nesse contexto é fundamental para a realização dos cálculos e prospecções do volume de lucro que determinado investimento vai gerar ao longo de um determinado período de tempo. Ressaltou a importância do conhecimento gerado a partir dos cursos de economia, com o uso da microeconomia, através do cálculo de projeções, projetos e taxas de retorno, é fundamental para a escolha da dimensão do retorno do investimento. “Saibam inglês, matemática e estatística, saber perguntar e projetar o cenário para o futuro, fundamentais para a compreensão dessa realidade. Aprendam a perguntar e a projetar cenários para o futuro. Sejam estudantes, mas procurem ser empreendedores, seja no setor privado, ou, mesmo, no setor público”, complementou.

portugalNa noite seguinte, o economista Marcelo Portugal, professor de Graduação e Pós-Graduação em Economia e em Administração da UFRGS, abordou a unificação monetária no Mercosul. Iniciou sua apresentação, dizendo que nos países do Mercosul claramente não estão presentes as condições necessárias para a adoção de uma moeda única, por não existir sincronia de ciclos econômicos entre eles. Lembrou que, em áreas de livre comércio não existem obstáculos comerciais entre seus membros, mas as regras comerciais entre eles e países de fora da área são comuns. “Não somos nem mesmo uma área de livre comércio”, afirmou. Elencou uma série de condições consideradas necessárias para que uma determinada área geográfica tenha uma moeda única e alertou que a moeda única pode ser um problema, já que o câmbio, que pode ser bom para um país, pode não ser para outro, dependendo das características de sua economia. “Um país pode estar em recessão e com inflação baixa, recomendando uma redução na taxa de juros, enquanto um outro país membro da união pode estar com a economia superaquecida e elevada inflação, requerendo uma elevação de juros”, disse. Disse que a idéia básica para a unificação é que as economias dos países membros sejam realmente integradas, com livre mobilidade do trabalho e do capital, flexibilidade de preços, livre fluxo de bens, sincronização do ciclo de negócios e com sistema fiscal integrado. Apresentou uma análise histórica sobre as experiências da União Europeia que, a seu ver, não passava de um projeto político e também não reunia as condições necessárias para a unificação monetária e citou exemplos de crises na Grécia e Itália.
 

portugalAo abordar o tema “Ciência de Dados para o Economista”, o Avaliador de Empresas e Marcas e sócio-fundador da Macadar Avaliações, economista Jaime Macadar, explicou que a Ciência de Dados alia a informática a outras áreas interdisciplinares, como estatística, economia, engenharia e outros subcampos da computação. “Existe há 30 anos, mas ganhou destaque com a expansão e a conectividade dos sistemas de informação”, ressaltou. Apresentou uma análise sobre a função, oportunidades criadas pela Ciência de Dados, assim como suas inúmeras aplicações no mundo contemporâneo, como detecção de fraudes, carros automatizados, sistemas de monitoramento, detecção e prevenção de epidemias, combate ao crime e ao terrorismo, entre outras.


O uso de Econometria no mercado de trabalho foi o último tema da noite, apresentado pelo gerente de Análise Econômica do Banco Cooperativo Sicredi, economista Pedro Lutz Ramos. Falou sobre os métodos quantitativos que vêm sendo utilizados, de forma crescente, pelas empresas, e a eficiência da Econometria como ferramenta de análises mais robustas, colaborando de forma efetiva nas tomadas de decisões. Ressaltou a importância do conhecimento de programação para a Ciência de Dados e disse que as empresas estão, cada vez mais, acumulando uma série de informações sobre seus clientes, suas operações, seus fornecedores e seus colaboradores, principalmente pela queda dos custos computacionais e pela disponibilidade de softwares livres, como R, Gretl e o Octave, que vêm ganhando espaço relevante e adquirindo cada vez mais confiabilidade. Discorreu sobre as aplicações de diferentes modelos de análise utilizados pelo mercado e, especialmente, sobre o método quantitativo utilizado em instituições financeiras ou, mesmo, o Machine learning, para estudos mais abrangentes. Ao concluir sua apresentação, falou da importância do economista no contexto da Ciência de Dados, especialmente pela sua acumulação teórica e conhecimento de econometria. “Falta, apenas, o economista sinalizar a vontade de trabalhar com ciência de dados e aprimorar-se na programação em diferentes linguagens”, completou.

Página 1 de 46