slogan

SELO ENEF

Economia e eleições

gorskiGustav Gorski
Economista-Chefe GAP Economics
Corecon-RS Nº 6931

A economia brasileira ainda vive o impacto da greve dos caminhoneiros?
O país viveu um choque de ofertas, por ocasião da greve dos caminhoneiros, que teve um impacto nas projeções de crescimento para o ano, já que estavam em torno de 2,5% e os números hoje estão mais próximos de 1,5%, talvez até um pouco mais baixo que isso. Teve uma questão inflacionária, que estávamos esperando em torno de 3,2% ou 3,5% e esse número está mais próximo de 4% ou 4,1% em função do choque de ofertas que tivemos ali naquele período de maio, junho.

O que nos espera até o final do ano?
O que fica para o segundo semestre é uma recuperação econômica tímida, com uma inflação que deve se manter baixa, por mais que esse câmbio tenha se desvalorizado ao longo do ano. O choque foi claramente temporário. A inflação agora no mês de julho já voltou para patamares mais baixos e estamos percebendo uma melhora ainda não muito grande da atividade econômica, mas que realmente está acontecendo. O comércio melhorou um pouco, a indústria melhorou bastante. Ainda não vimos outros indicadores, mas tudo indica que seguirão nesse mesmo ritmo. A grande questão é o resto do semestre, o resto do ano. Não se vê uma recuperação muito forte da economia brasileira, justamente porque também há uma expectativa muito forte em relação às eleições, que pode colocar algo de novo para o país.

De que forma as eleições podem impactar na economia?
Talvez se experimente alguma melhora após as eleições, na medida em que os cenários vão ficando mais claros no ambiente eleitoral e notadamente na questão das reformas que serão implementadas mais a frente. Do ponto de vista eleitoral, por mais que os candidatos tenham pouca aceitação do publico, já que o número de votos em branco e de indecisos é muito grande, na minha visão, as equipes econômicas dos candidatos não são ruins, com exceção do pessoal do PT. Até mesmo o pessoal que esta junto com o Ciro Gomes é uma equipe econômica razoável, mas, apesar de serem desenvolvimentistas, não são malucos. O pessoal da Marina é muito bom, o do Bolsonaro também. O Pérsio Arida, junto com o Alckmin, é muito bom. Então, esses candidatos que têm chances de vencer o processo eleitoral, está muito bem assessorado do ponto de vista econômico. E todos eles anunciaram que vão fazer reformas, inclusive o PT, e cada um ao seu estilo. Então não vejo alguma hecatombe acontecendo do ponto de vista das eleições.