Campanha de Valorizacao do economista

Difusão de inovação pela horizontalidade do TelessaúdeRS

juliana
Juliana de Oliveira Nascimento
Economista, professora
Corecon-RS Nº 8391

 

Qual o objetivo da dissertação, de sua autoria, “Difusão de inovação na área da saúde humana: Um estudo para o Telessaúde no Rio Grande do Sul”?

Este trabalho tem o objetivo de compreender o processo de difusão de uma inovação. É uma temática da economia, ao contribuir com o entendimento a respeito da dinâmica do progresso tecnológico na sociedade. Nesse contexto, o nosso estudo analisa a difusão de inovação do Programa Telessaúde no RS, a partir da percepção dos teleconsultores, médicos e enfermeiros, para compreender os elementos determinantes da difusão, o Telessaúde, uma tecnologia social adotada no Brasil que, por meio da tecnologia de informação e comunicação, contribui para ampliar e melhorar os atendimentos públicos na área da saúde.

Qual a metodologia utilizada pelo estudo?

Trata-se de uma metodologia qualitativa, com caráter exploratório, realizada através de pesquisa bibliográfica, documental e de campo. A coleta de dados deu-se, a partir das entrevistas, realizadas com 27 profissionais. Inicialmente, no mês de novembro de 2018, foram ouvidos coordenadores do Programa no RS, e, depois, entre os meses de abril e maio de 2019, com teleconsultores e profissionais de Estratégia da Saúde da Família, nos municípios de Porto Alegre e Cruz Alta, com o intuito de avaliar a percepção dos profissionais envolvidos com o programa.

Qual a importância desse Programa para a ampliação do atendimento da população?

O TelessaúdeRS é um projeto da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em parceria com o Ministério da Saúde (MS) e com a Secretaria Estadual de Saúde do Rio Grande do Sul (SES/RS), além de outras instituições. Por meio da tecnologia de informação e comunicação (TIC), contribui para ampliar e melhorar os atendimentos à saúde, qualificando profissionais e buscando eliminar ineficiências nos cuidados na Atenção Primária de Saúde. O Programa é muito importante para a completa universalização do sistema de saúde no Brasil. É através dele que o sistema de atendimento público da saúde pode chegar, por meio de um simples sistema de comunicação, que é o aparelho celular, à população residente dos locais mais longínquos deste Estado e do País.

Quando esse Projeto iniciou no Brasil?

O Programa Nacional Telessaúde Brasil Redes é instituído em 2007 com o intuito de fortalecer e qualificar o atendimento na atenção primária, embora já existissem, em anos anteriores, grupos de pesquisa desenvolvendo trabalho em rede, com compartilhamento de informação técnico científica, dentro de algumas universidades brasileiras. A partir do Programa Nacional em Telessaúde, nascem os núcleos de Telessaúde, inicialmente em alguns estados e, posteriormente, com abrangência maior. Em 2007, portanto, nasce o núcleo TelessaúdeRS, oriundo do programa de esfera federal, que começa a desenvolver atividades em ofertas de serviços no Rio Grande do Sul.

Quem participa das ações do Telessaúde?

Através de teleconsultorias, o programa é dirigido a todos os profissionais que trabalham na Atenção Primária à Saúde (APS), além de coordenadorias municipais de saúde. Ele se desenvolve como estratégia para aproximar a oferta de atenção especializada às equipes de saúde da família, especialmente as que atuam nos lugares mais longínquos do Brasil, ampliando, de forma efetiva, o acesso da população aos serviços de saúde.

O que falta para a implantação do Programa de forma mais efetiva?

A essência do processo de difusão do Programa está na transmissão do uso da tecnologia, processo que é coordenado pelas entidades municipais de saúde. O maior problema que constatamos é que esse processo, para o seu efetivo sucesso, ainda esbarra em algumas decisões políticas e conflitos de interesses. Apesar de ser de baixa complexidade, envolver elevada resolutividade e ter o efeito de democratizar evidências O Programa ainda não se transformou em uma política pública e, por isso, as secretarias de Saúde dos municípios não se veem obrigadas a adotarem.

Quais as principais constatações alcançadas pelo estudo?

Os principais resultados do trabalho demonstram que as secretarias de Saúde dos municípios são atores importantes no sistema de inovação local, uma vez que se configuram como fundamentais para a difusão do programa entre as equipes de saúde. Existe a necessidade de ampliar o conhecimento para acesso das ferramentas disponíveis e de mapear e ou atingir todos os profissionais da atenção primária. Outra constatação é que, enquanto no município de Porto Alegre, o processo de difusão do Telessaúde está mais estabelecido, nos municípios mais distantes da capital ainda existe necessidade de intensificar, já que ainda há barreiras na efetividade, em função de troca de governo, conflitos de interesses, barreiras técnicas e de cunho cultural nas unidades e esbarra na gestão dos municípios. É relevante pontuar que o estudo contribui para a compreensão do processo de difusão de uma importante tecnologia na área da saúde humana. Compreender como a difusão ocorreu, permite refletir a respeito de elementos que dinamizam ou retardam o processo de adoção da inovação e o quanto a inovação é relevante para o propósito de qualificação do atendimento público à saúde.

O que falta para superar essa barreira?

Ainda há uma ampla discussão para que seja aceito como uma política pública. Trata-se de um programa, com grandes impactos na sociedade, no que diz respeito a entrega mais eficiente de um atendimento profissional de saúde, especialmente as mais distantes dos grandes centros e de menor poder aquisitivo. Como Programa, não há obrigatoriedade na adoção pelos municípios e, com isso, a percepção de utilidade adquire uma menor relevância, pois a ferramenta não deve somente estar na APS, mas ser utilizada em cada unidade de atendimento e fazer parte do processo de trabalho dos profissionais. Também existe a necessidade de recursos de financiamento sólidos, pois a dependência de recurso influencia na difusão da inovação do Telessaúde.