slogan

SELO ENEF

O Enoturismo em Pinheiro Preto



Bianca Batista Serafim

Bacharel em Ciências Econômicas, 2º Lugar Prêmio Corecon-RS 2019,
Categoria Monografias ou Trabalhos de Conclusão de Curso

 


Qual a proposta do trabalho “O Potencial Econômico do Enoturismo no Município de Pinheiro Preto/Santa Catarina”, 2º Lugar no “Prêmio Corecon-RS 2019”?

O objetivo do trabalho foi demonstrar o potencial econômico do enoturismo no município de Pinheiro Preto, localizado na região do Meio-oeste do Estado de Santa Catarina. De colonização italiana, Pinheiro Preto possui cerca de 3513 habitantes e 22 vinícolas ativas em seu território, sendo conhecida como Capital Catarinense do Vinho e município que possui o maior número de vinícolas ativas de Santa Catarina, fazendo da uva a sua principal vertente econômicaeconômica. Para atingir o objetivo do trabalho, além do contexto teórico, realizei uma pesquisa de campo, a fim de explorar e conhecer melhor a região. Dessa forma, pude identificar o desenvolvimento econômico regional, o enoturismo e o perfil socioeconômico do município de Pinheiro Preto.

 

Qual a importância do enoturismo para as economias locais?

O segmento ganhou força significativa no mercado brasileiro a partir de 1990, com a abertura do mercado brasileiro às importações, pelo então presidente Fernando Collor de Mello. Desta forma, as vinícolas tiveram que enfrentar a concorrência dos vinhos estrangeiros e como forma de diversificar e aumentar suas receitas as vinícolas brasileiras abriram suas portas para os turistas, investindo em novos atrativos e na qualidade de seus produtos, o que possibilitou o desenvolvimento de roteiros enoturísticos cujo foco concentra-se no vinho e na cultura local, proporcionando crescimento e desenvolvimento das regiões e do enoturismo, bem como alavancagem econômica das vinícolas. Estima-se que o enoturismo atraia cerca de 1,5 milhões de pessoas no Brasil.

 

As propostas para desenvolvimento do enoturismo em Pinheiro Preto poderiam se aplicar a outros municípios, em especial aos municípios produtores gaúchos?

Com certeza! No estudo propôs-se a criação de um cluster turístico voltado ao enoturismo, que beneficia seus integrantes e o município de Pinheiro Preto, fortalecendo-se por meio de conhecimentos e de ações em conjunto. As suas atividades fomentariam a produtividade, a inovação e o desenvolvimento local, gerando negócios, ampliando o acesso a empregos e incentivos a qualidade. Nesse contexto, a caracterização do cluster, bem como a maioria de suas propostas poderiam sim serem aplicadas em outros municípios, principalmente municípios com aptidões vitivinícolas e turísticas, como é o caso de muitos municípios gaúchos.

Quais as principais conclusões do teu estudo?

Com base nos indicadores apresentados, no interesse por parte das vinícolas e no diagnóstico realizado, identifiquei que há potencial econômico para o enoturismo, evidenciado na estruturação das 22 vinícolas presentes no território, respondendo, assim, ao objetivo do estudo. Porém, para que haja desenvolvimento desse segmento no município, é necessário que as propostas e ações sugeridas sejam executadas, principalmente, que o agrupamento de vinícolas seja formalizado e transformado em um cluster de turismo. Dessa forma, integrando as vinícolas e fazendo-as cooperarem entre si, impulsionando o desenvolvimento de toda a cadeia produtiva ligada a esse setor. Chamo atenção para a colaboração que esse agrupamento necessitará, sugerindo que haja expressiva cooperação entre o poder público e privado.