slogan

SELO ENEF

Hz, uma moeda pelo desenvolvimento

 

Stephan Sawitzki
Economista, coordenador do Curso de Economia Faculdade de Horizontina (Fahor)
Corecon-RS Nº  7591

 

 

O que é o Hz?

Hz é uma moeda bônus local, própria de Horizontina, criada pelo Curso de Economia da Fahor e pela Associação Comercial e Industrial de Horizontina (ACIAP), justamente para tentar valorizar o comércio local. Diferente de muitas moedas existentes no mercado, o Hz não é uma moeda social e sim uma moeda bônus comercial, com o objetivo fim de incentivar e estimular o comércio do município, gerando fidelização.

Como funciona, na prática, essa moeda?

Na prática, ela serve como um bônus em que o empresário, o comerciante, o prestador de serviços, pode fornecer, como um prêmio, ao seu funcionário ou ao seu cliente. Ou seja, ao invés de dar um desconto, ou dar um desconto menor, ele pode doar um Hz, já que ela é uma moeda física, manual, e o cidadão, a partir daí, poderá utilizá-la em qualquer loja ou prestador de serviço do município, para pagar sua compra ou um serviço realizado, com essa moeda Hz. O Hz é uma moeda lastreada. Para cada Hz em circulação existe um real depositado numa conta específica para dar segurança ao processo, permitindo uma conversão perfeita com o real, numa relação de um por um. Então, o Hz, como uma moeda de circulação, serve para fortalecer o giro de recursos dentro do município e para tentar amenizar um pouco a evasão de recursos pela internet ou para fora do próprio município.

Quem mais participa desse projeto?

Além da parceria entre o Curso de Economia da Fahor e a ACIAP, tivemos o apoio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do município de Horizontina, que aportou recursos para fazer a divulgação da moeda.

Quais as espectativas?

Esperamos que, com o Hz, o comércio de Horizontina acabe crescendo e se valorizando, gerando emprego e desenvolvimento. Então, o objetivo é justamente gerar desenvolvimento, fazendo com que mais dinheiro circule dentro do município e que se consiga fazer com que a renda do comércio e dos serviços cresça e gere mais empregos, promovendo efetivamente o desenvolvimento social e econômico do próprio município.

Há quanto tempo está em atividade a moeda?

O projeto foi lançado em setembro de 2017 e uma das primeiras iniciativas do Hz foi o Natal Fantástico daquele ano. Agora, na edição do Natal Fantástico de 2018, a moeda completou um ano de circulação, com premiações de Natal em Hz, e mesmo com bônus de final de ano doados em Hz pelas empresas do município, como presentes de Natal a seus funcionários, fornecedores e clientes. Para atender ao projeto Hz foram impressos mais de 200 mil hzs e essa é a possibilidade de giro de hzs dentro do município de Horizontina. Todas as cédulas foram impressasem papel moeda com cédulas numeradas e todos os dispositivos de segurança, inclusive QR Code. Portanto, é uma moeda normal.

Os objetivos estão sendo atingidos?

Alguns objetivos já conseguimos atingir, como a confiança na moeda, o que é muito importante. O público em geral tem confiança no Hz e utiliza a moeda. A gente sente ainda algumas resistências por parte dos empresários, não em sua aceitação, mas no giro da moeda, que é muito importante para a economia. Alguns empresários ainda, ao invés de fazer o Hz girar, acabamrealizando a conversão do Hz em reais, o que faz com que o principal objetivo não seja atingido neste primeiro momento. Estamos buscando correções pontuais para que se consiga realmente fazer uma Hz forte e que todos valorizem isso.

Por que está acontecendo isso?

Existe a questão do giro, que é importante para o empresário, que quer e precisa de liquidez para fazer o giro e pagar fornecedores. Esperamos que em 2019 esse comportamento melhore e, para isso, estamos trabalhando em visitas, mostrando como o Hz pode ser mais efetivo, que é manter essa moeda girando, e, assim, possa cumprir o seu papel na íntegra. O Hz surgiu como uma idéia inicial de um ano e, junto com a ACIH, achamos por bem deixar o Hz circulando por tempo indeterminado. Então, o Hz hoje virou uma moeda de Horizontina, de circulação absolutamente normal. Venceu esse período de um ano, que era um período sabático, e ocorreu tudo bem. Agora estamos providenciando correções pontuais para que se consiga fazer o Hz cada vez mais forte.

Todos os empresários da região participam?

Não. Apenas os empresários localizados dentro do território físico de Horizontina. O que acontece é que alguns empresários de municípios vizinhos aceitam o Hz, mas no momento em que eles aceitam, somente poderãoconsumir em Hz em Horizontina ou doar em forma de bônus para algum cidadão de Horizontina que vai comprar em sua loja. Mas nada impede que ele aceite. Apenas ele não conseguirá fazer diretamente a conversão do Hz em reais. Em Horizontina, aaceitação da moeda é muito boa e o destino mais comumdo Hz são nos supermercados, o que é bem compreensível.